Lavrentiy Beria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Lavrentiy Beria
Lavrentiy Beria
Comissário de assuntos internos (NKVD)
Mandato Novembro de 1938
a 26 de junho de 1953
Antecessor(a) Nikolai Yezhov
Sucessor(a) Ivan Serov
Secretário do Partido Comunista na Geórgia
Mandato 1931 a agosto de 1938
Antecessor(a) Samson Mamulia
Sucessor(a) Kandid Charkviani
Vida
Nascimento 29 de março de 1899
Abecásia, Geórgia
Império Russo
Morte 23 de dezembro de 1953 (54 anos)
Moscou, União Soviética
Dados pessoais
Assinatura Assinatura de Lavrentiy Beria

Lavrentiy Pavlovich Beria (em georgiano ლავრენტი ბერია, transl. Lavrenti Beria; em russo Лаврентий Павлович Берия, Lavrentiy Pavlovich Beriya; Abecásia, 29 de março de 1899Moscou, 23 de dezembro de 1953) foi um político soviético e chefe da NKVD na Geórgia.

Beria é lembrado principalmente como o executor do Grande Expurgo de Stalin na década de 1930, apesar de só o ter presidido durante as suas fases finais; e por ter cometido crimes de guerra, tendo comandado o Massacre de Katyn, no qual mais de 22 mil oficiais e intelectuais poloneses foram assassinados (ver: crimes de guerra dos Aliados e invasão soviética da Polônia).

História[editar | editar código-fonte]

Beria com Svetlana Alliluyeva, filha de Stálin, com o próprio Stálin ao fundo.

Nasceu em 1899, filho de Pavel Khukhayevich Beria, um camponês, em Merkheuli, perto de Sukhumi, na Abecásia, região da Geórgia, que fazia parte do Império Russo. Participou da Revolução de outubro na Geórgia. Após a vitória ingressou na Tcheka (em russo, ЧК - чрезвычайная комиссия), a primeira das muitas polícias secretas da URSS, antecessora da KGB, chegando a chefiar a NKVD na Geórgia. Em 1938, foi trazido por Stalin para ser o adjunto do comissário do povo para o interior Nikolai Yezhov, a quem sucedeu após a queda deste.

Foi membro do Comitê Central do Partido Comunista. A coordenação do projeto nuclear soviético, iniciado em 1943, foi entregue a Beria, homem forte dentro do regime e uma das poucas pessoas em quem Stalin parecia ter confiança absoluta. Beria também dirigiu, o poderoso Comissariado do Povo para a Segurança do Estado, responsável pela polícia política e pelos serviços de espionagem. Em 1942, comandou a controversa prisão dos irmãos Starostin, fundadores da associação esportiva Spartak Moscou. O clube foi considerado clandestino, pois permitia a jovens operários participar de campeonatos profissionais, em uma época em que o esporte era considerado uma preparação para o combate.

Em julho de 1953, Lavrentiy Beria foi detido e processado por "atividades criminosas contra o partido e o Estado". Condenado à pena máxima como traidor, foi executado em 23 de dezembro pelo general Pavel Batitsky. Foi acusado de perseguir e violentar mulheres. Seu nome causava terror nas pessoas. Era responsável por um laboratório onde eram produzidos venenos para serem usados contra os inimigos do regime. Segundo alguns historiadores, Beria pode ter envenenado Stálin.

Ver também[editar | editar código-fonte]