Manuel Joaquim de Albuquerque Lins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Manuel Joaquim de Albuquerque Lins.

Manuel Joaquim de Albuquerque Lins (São Miguel dos Campos, 20 de setembro de 1852São Paulo, 7 de janeiro de 1926) foi um advogado, lavrador e político brasileiro. Foi o oitavo presidente do estado de São Paulo entre 1908 e 1912.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido no interior de Alagoas, iniciou seus estudos jurídicos na Faculdade de Direito do Recife, na turma de 1877, concluindo o curso na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo,[1] tendo logo a seguir se estabelecido no estado de São Paulo, inicialmente como juiz do termo de Capivari. Casou-se com Helena de Souza Queiroz,filha do Senador do Império, o Barão de Souza Queiroz. Foram seus filhos:

  • Manoel Joaquim de Albuquerque Lins
  • José de Albuquerque Lins
  • Antonio de Albuquerque Lins
  • Carlos de Albuquerque Lins
  • Ana de Albuquerque Lins
  • Helena de Albuquerque Lins
  • Álvaro de Albuquerque Lins
  • Maria de Albuquerque Lins

Através do casamento, ligou-se à família Sousa Queirós [2] , tornou-se fazendeiro, capitalista e lançou-se na carreira política.[1] Nos últimos anos do Império foi deputado provincial, em 1888, além de ter sido nomeado presidente da Província do Rio Grande do Norte em 1889.

Já em São Paulo, foi vereador da câmara municipal de 1899 a 1901, presidindo-a nesse período. Torna-se senador do Estado em 1901, permanecendo no cargo até 1904. Depois de ocupar a Secretaria da Fazenda (1902-1906) e do Tesouro do Estado (1904 a 1907), exerceu mandato como presidente do Estado durante o período de 1908 a 1912.

Graças aos preços favoráveis do café no mercado internacional conseguiu despontar como um dos maiores presidentes do Estado, construindo edifícios, expandindo o sistema de armazenamento da rede escolar, criou o ensino técnico agrícola e a Diretoria Geral de Instrução Pública, em substituição à Inspetoria do Ensino. Deu continuidade à construção do Instituto Butantan, iniciou a construção do Hospital de Isolamento de Santos e deixou o estado com grande superávit financeiro.

No seu governo houve uma grande expansão do povoamento do oeste do estado com a construção da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, sendo criados muitos municípios naquela região.

Em 1908 teve início a imigração japonesa para as fazendas de café no interior do estado de São Paulo. Albuquerque Lins relata em sua mensagem anual referente a 1908, que a maioria destes imigrantes ficaram pouco tempo nas fazendas, sendo na maioria solteiros e pouco afeitos aos trabalhos do campo, obrigando o governo a rever a política de imigração para a vinda somente de pessoas acostumadas à agricultura.

Em 1910 formou com Rui Barbosa uma chapa presidencial contra o candidato oficial, o marechal Hermes da Fonseca. Depois de governar São Paulo, ainda foi senador estadual por três mandatos: de 1913 a 1916, de 1916 a 1922 e de 1922 a 1926.

Referências

  1. a b *Enciclopédia Barsa. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica Editores, 1966. Vol. 1, p.203.
  2. jbcultura_ Albuquerque Lins

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Fausto Barreto
Presidente da província do Rio Grande do Norte
18881889
Sucedido por
Antônio Basílio Ribeiro Dantas
Precedido por
Jorge Tibiriçá Piratininga
Presidente do estado de São Paulo
19081912
Sucedido por
Rodrigues Alves


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.