São Miguel dos Campos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de São Miguel dos Campos
"São Miguel, Terra da Felicidade"
Bandeira de São Miguel dos Campos
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 29 de setembro
Fundação 1864
Gentílico miguelense
Prefeito(a) George Clemente Vieira (PSB)
(2013–2016)
Localização
Localização de São Miguel dos Campos
Localização de São Miguel dos Campos em Alagoas
São Miguel dos Campos está localizado em: Brasil
São Miguel dos Campos
Localização de São Miguel dos Campos no Brasil
09° 46' 51" S 36° 05' 38" O09° 46' 51" S 36° 05' 38" O
Unidade federativa  Alagoas
Mesorregião Leste Alagoano IBGE/2008[1]
Microrregião São Miguel dos Campos IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Boca da Mata, Barra de São Miguel, Campo Alegre, Jequiá da Praia, Coruripe, Roteiro e Marechal Deodoro.
Distância até a capital 60 km
Características geográficas
Área 360,846 km² [2]
População 59,077 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 0,16 hab./km²
Altitude 12 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,623 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 589 504,065 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 11 108,05 IBGE/2008[5]
Página oficial

São Miguel dos Campos é um município brasileiro do Estado de Alagoas. Sua população estimada em censo 2010 era de 54.522 habitantes. A sua economia baseia-se no petróleo, gás natural, agricultura canavieira , pecuária e indústria açucareira e de cimento.

Instalação petrolífera.

História[editar | editar código-fonte]

Antiga aldeia de índios samambis, recebeu a missão exploradora portuguesa que chegou através do Rio São Miguel, em 1501. Os exploradores, atraídos pela riqueza do solo, se estabeleceram cultivando cana-de-açúcar e outros produtos agrícolas, além da criação de gado, abrindo caminhos pelas matas e a comunicação com Marechal Deodoro (antiga Vila Madalena) e Anadia (Campos dos Arrozais de Inhaúns). O povoado que se formou teve destaque importante na história do Estado pois seu povo teve participação ativa na luta contra os holandeses, na destruição do Quilombo dos Palmares e na Revolução Republicana de Pernambuco, em 1817. em 1832 foi elevada a vila e em 1864, tornou-se cidade. São Miguel dos Campos é conhecida pelas suas antigas e tradicionais famílias como os Jatobás, Césares, Torres, Alves, Cavalcantes, Venâncio, Lopes, Ribeiros, Aprigios, Clementes, Aprattos, Fernandes, Soriano Bomfins e os Palmeiras.


Hino Municipal de São Miguel dos Campos

O Hino do município de São Miguel dos Campos foi criado pela lei n°616 de 24 de agosto de 1970 e oficializado no governo de Júlio Soriano Bonfim, com respectivas letras de autoria de Iramilton Leite e música do maestro Benedito Fonseca.


São Miguel dos Campos feliz território,

Dos campos vestidos por canas viçosas;

Dos ares floridos de estrelas formosas,

Dos jardins tecidos com brisas e rosas...


Teu rio translúcido que a fome,

Sacia da gente que busca os seus dons;

Chamado-se tal como tu, o teu nome,

Repete nas águas em sonoros tons.


Teus operários ativos obreiros,

No duro trabalho tem braço risonho;

Mágicas colméias são as tuas fábricas...

Do açúcar mais puro e de panos de sonhos.


(Estribilho)

São Miguel dos Campos de azul te coroas,

Levando diversos emblemas de glória;

Bem alto revoas recitando versos,

A luz de alagoas, no céu da historia.


São Miguel dos Campos, heráldico berço,

Dos homens altivos, de ilustras senhoras...

Na paz compassivos, teus filhos valentes,

São armas urgentes nas cívicas horas.


Invencível terra, por bravas façanhas,

Ganhastes da sorte preciosa espolio;

Nas profundidades de tuas entranhas,

Palpitam os veios do rico petróleo.


Secular cidade, passado plasmado,

Com fé e ciência, com sangue esperança,

Fecundo presente futuro plantado,

Na inteligência de tuas crianças.

Características[editar | editar código-fonte]

Município da zona da mata alagoana.Seu nome foi dado pela expedição comandada por Gonçalves Coelho, que transpôs a barra do Rio São Miguel no dia 29 de setembro, dia de São Miguel Arcanjo. Foi neste lugar que ocorreu um fato histórico que está nos livros de História do Brasil quando os índios Caetés mataram e devoraram os membros da exploração portuguesa entre eles o bispo D. Pero Fernandes Sardinha importante figura eclesiástica da época. Este fato levou a quase aniquilação dos antropófagos Caetés. Foi acrescentado “dos Campos”, por pertencer e a Campos dos Arrozais dos Inhauns, atual Anadia. A padroeira é Nossa Senhora do Ó.

Por ser um polo regional, São Miguel dos Campos recebe diariamente, mas principalmente às segundas-feiras, dia da famosa "Feira de São Miguel" centenas de pessoas das outras cidades cidades da região.Com seu comércio é punjante possui várias lojas de grifes famosas,lojas de varejo como Insinuante, Guido entre outras. No setor de gêneros alimentícios o destaque é a Rede Unicompra que possui ampla loja que atende não só São Miguel mas aos consumidores das cidades de sua micro-região.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

  • Rodovia Governador Mario Covas (BR-101) (Em Duplicação)
  • Rodovia Senador Teotônio Vilela (AL-220)
  • Rodovia (AL-150)

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Pedro Fernandes da Costa de 1951 a 1954 José de Medeiros Apratto de 1947 a 1950 Armando Moreira Soares de 1955 a 1958 Moacir Cavalcante de Albuquerque de 1961 a 1964 Humberto Maia Alves de 1965 a 1968 Júlio Soriano Bonfim de 1969 a 1972 Humberto Maia Alves de 1973 a 1976 Tarcísio Soares Palmeira de 1977 a 1979 Manoel Ferreira de Amorim de 1979 a 1982 Wellington Apratto Torres de 1983 a 1988 Francisco Hélio Jatobá de 1989 a 1992 Humberto Maia Alves de 1993 a 1996 Nivaldo Jatobá de 1997 a 2000 Nivaldo Jatobá de 2001 a 2004 Rosiane Santoss 2005 a 2008 Rosiane Santos 2009 a 2011 George Clemente Atual Prefeito

Em seu primeiro mandato, o então prefeito Nivaldo Jatobá foi eleito o melhor prefeito de Alagoas, o segundo do nordeste e o sexto do Brasil, um marco único na história política de São Miguel dos Campos e de Alagoas.

Frise-se que, George Clemente foi candidato a prefeito por quatro vezes, mas nunca foi eleito, tendo perdido duas vezes seguidas para seu principal adversário político, o empresário e ex-deputado Nivaldo Jatobá. Nas eleições de 2004, perdeu para Rosiane Santos, sucessora de Nivaldo Jatobá. Nas eleições para prefeito em 2008, perdeu pela quarta vez, ficando novamente em 2º lugar. Existe um processo em trâmite no Judiciário, RESPE Nº 36038 - Recurso Especial Eleitoral, para assumir a vaga, com base no art. 14 da Lei Eleitoral No. 4.737, de 15 de Julho de 1965, em seu parágrafo 7o, que versa sobre os direitos políticos - no que diz respeito à inelegibilidade do cidadão. A tese foi a de que a ex-prefeita não poderia ter sido eleita, vez que possui união estável com o ex-prefeito Nivaldo Jatobá. O TSE cassou o mandato da prefeita em 17 de agosto de 2011 e, por isso, George assumiu o cargo de prefeito em 9 de outubro de 2011. No pleito eleitoral de 2012, George Clemente conseguiu vencer, tanto na Justiça quanto nas urnas, o candidado Nivaldo Jatobá, sendo atualmente o prefeito eleito para o exercício de 2013 até 2016.

Educação e cultura[editar | editar código-fonte]

A Universidade Estadual de Alagoas em seu campus IV oferece os cursos de letras e ciências contábeis. A taieira, em Alagoas, é um folguedo típico de São Miguel dos Campos, dança folclórica autenticamente de mulatos, ligados aos reinados dos congos e estruturados na época da escravidão. Foi introduzido em como folclóre típico miguelense por Jacinto de Andrade Mendonça e Albertina de Andrade , avós de dona Nair da Rocha Vieira (1913-1992), mais conhecida por Nair da Albertina, que dedicou toda vida toda em prol desta manifestação folclórica. Feira de Ponte - A Tradicicional feira da semana santa já existia desde o século XIX às margens do Rio São Miguel onde os pescadores ofereciam o pescado que iria ser consumido nos dias religiosos a estes juntavam-se comerciantes que vinham de várias partes do Estado de Alagoas e também de outros estados do nordeste para comercializar as suas mercadorias para o povo da terra. Ainda nos dias de hoje além do peixe e alimentos típicos da semana santa há também a venda de artesanato e bazar onde os artistas e vendedores expõem seus trabalhos e mercadorias ao grande como panelas e utensílios de barro, bugigangas, alumínio, objetos de plásticos, roupas, calçados,louças, vidros e tantos outros artigos espalhados pelas ruas centrais da cidade. A feira ainda conta com várias brincadeiras culturais como: shows artísticos, emboladas, folguedos, parque de diversão e comidas típicas em geral, e a nossa maior atração cultural, tendo inicio dois dias antes da sexta-feira da paixão (quarta-feira), terminando na madrugada de quinta-feira.

Na cidade não há somente a FEIRA DA PONTE como referência cultural, há pessoas que buscam inovar, jovens buscam mostrar para as cidades de fora que a dança e a música é muito mais do quê folclore, o Hip-Hop é de muito agrado aos adolescentes, não só os adolescentes, mas pessoas de todas as idades. Há também pessoas do teatro, da pintura, da escrita, mas infelizmente o município não tem verba para financiar e alavancar a cultura artística de nossa cidade, se limitando na maioria das vezes.

Segurança pública[editar | editar código-fonte]

Encontra-se na cidade a instituição 'GUARDA CIVIL METROPOLITANATexto a negritode são Miguel dos campos, tendo o GOE (grupo de operações especiais) instalada na cidade, a 3ªCPMI (Terceira Companhia de Policia Militar Independente) e também o Pelotão do BOPE (Batalhão de Operações Policiais Especiais) tropa de elite da PMAL. Na rodovia federal Governador Mario Covas (BR-101) que corta a cidade, encontra-se instalada o Posto da Polícia Rodoviária Federal. Além da Delegacia Regional de [Polícia Civil], que abrange diversos municípios circunvizinhos, como Barra de São Miguel, Roteiro, Campo Alegre entre outras cidades. Estudos recentes sobre o armamento da população brasileira constatou que o município é o mais armado do estado de Alagoas e está entre os 10 mais do Brasil junto com Rio Largo, Palmeira dos Índios e Maceió.

Transportes Rodoviário[editar | editar código-fonte]

No Terminal Rodoviário de São Miguel é possível comprar bilhetes para diversas cidades da região e também para as principais cidades do nordeste, sudeste, sul e centro oeste. Do terminal chegam e partem diariamente ônibus para boa parte das cidades de alagoas como: Arapiraca, Penedo, União dos Palmares, Palmeira dos Indios e também para capital do estado Maceió.

Emprego e renda[editar | editar código-fonte]

A cidade de São Miguel é referência regional e por isso concentra a maior parte do comércio e indústrias da região. Com suas principais vias pavimentadas a cidade tem garantido o escoamento da produção de açúcar e alcool, produzido pelas Usinas de Açúcar e Alcool e Destilarias instaladas no município, bem como extrativismo de gás natural onde o mesmo é transportado pelos gasodutos para outras regiões fora do município. A tradicional feira da cidade, que acontece às segundas-feiras, atrai milhares de pessoas, não só da cidade, mas de grande parte dos municípios que compõe a região.

Aspectos socioeconômicos[editar | editar código-fonte]

A mortalidade infantil é de 33,1 por 1000 nascidos vivos.

A esperança de vida ao nascer é de 68,1 anos. A proporção de pobres é de 62,8%. 40,8% da renda são apropriados pelos 80% mais pobres, enquanto que 59,2% ficam com os 20% mais ricos. 14,4% das mães de no mínimo dez anos, com filhos menores, não têm cônjuge. A taxa de fecundidade é de 3,2 filhos por mulher.

O município é um polo regional de comércio, já que possui muitas empresas de "grife" das grandes redes de varejo. Encontra-se quase de tudo em São Miguel, e só vai à Maceió ou Arapiraca quem realmente quer adquirir produtos mais sofisticados, enquanto que os básicos são encontrados no comércio local.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 04 de setembro de 2013.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.