Mononucleose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Mononucleose é um sintoma, em patologia médica, onde o indivíduo apresenta um número muito alto de leucócitos de um só núcleo celular na corrente sanguínea.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Pode ter várias causas, sendo a mais comum delas a infecciosa, em geral causada por vírus. Geralmente, as infecções mais comuns são as provocadas pelo vírus Epstein-Barr (EBV), seguida pelo citomegalovírus (CMV).

A mononucleose pode ser contraída com a ingestão de alimentos; carnes mal passadas, sushi e por frutas, legumes e verduras não lavadas corretamente. Louças mal lavadas também podem provocar tal doença.

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Os sintomas mais expressivos e que exigem intenso cuidado duram algumas semanas, entre elas febre acima de 39°, dores de garganta e glândulas inchadas, o que exige repouso absoluto. Outros sintomas podem perdurar por diversos meses ou, em alguns casos, por mais de um ano. Entre eles estão o sono em excesso, falta de apetite, falta de fome e falta de sede. O indivíduo que sofreu com a doença deve prestar atenção nesses fatos e procurar se alimentar e se hidratar bem. Entre esses fatores, os meses que se seguem à mononucleose podem vir acompanhados de leves tonturas, principalmente se seguidas de alimentação ou hidratação deficientes.

Ícone de esboço Este artigo sobre Patologia (doença) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.