Molusco contagioso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Lesões do Molusco na Pele

O molusco contagioso é uma doença dermatológica causada pelo vírus do molusco. Caracteriza-se por tumores cutâneos claros que surgem na pele. É comum em crianças de 0 a 12 anos de idade, embora também aconteça em adultos, podendo, em alguns casos, ser considerada uma doença sexualmente transmissível (DST).

Vírus do Molusco[editar | editar código-fonte]

  • Grupo: Grupo I (dsDNA,dst)
  • Família: Poxviridae
  • Género: Molluscipoxvirus
  • Espécie: Vírus do Molusco

O vírus do Molusco é um Poxvirus, parente do vírus da varíola. É o maior (300 nanómetros) e mais complexo vírus que infecta o ser humano. O vírus do molusco é de DNA bicatenar (dupla hélice), que se multiplica no citoplasma usando as suas próprias enzimas de replicação de ácidos nucléicos, utilizando apenas os ribossomas e o restante da maquinaria de síntese protéica da célula hospedeira. A sua área de replicação no citoplasma, a chamada fábrica viral, é vísivel ao microscópio óptico.

Epidemiologia[editar | editar código-fonte]

O vírus é transmitido por contato direto. Pode ser transmitido através de contato sexual. Pode, também, ser transmitido pela luta corpo a corpo ou por objetos como toalhas, sendo comum em crianças e em jovens. É comum pessoas com problemas de estresse, de ansiedade ou de diferentes transtornos psicológicos serem portadoras desse vírus , uma vez que essas condições são favoráveis ao vírus.

Progressão e sintomas[editar | editar código-fonte]

Lesões do Molusco

O vírus infecta células da pele, e tem um período de incubação (após infecção e antes dos sintomas) de 2 a 8 semanas. Surgem então pequenas pápulas que se desenvolvem numa espécie de verrugas (tumores) claras com pedículo, de cerca de 2 milímetros a um centímetro. Podem ser dolorosos ou irritativos, mas frequentemente não o são. Estes tumores têm sempre uma zona central em forma de cratera cheia de uma substância com a consistencia de queijo mole (cratera caseosa) que é facilmente espremida pela compressão dos seus bordos. Contudo esta substância contém vírus e é infecciosa para outras zonas da pele, sendo portanto desaconselhável espremê-las. Aparecem freqüentemente no peito ou nos genitais, mas podem surgir em qualquer zona da pele, em grupos de apenas alguns até tantos como 20.

A doença não tem qualquer perigo e é apenas desconfortável e inestética. O sistema imunitário geralmente elimina o vírus e resolve a condição em alguns meses. A infecção pode ser acompanhada por um período de latência de até 6 meses, no entanto o período de incubação é geralmente de 2 a 8 semanas.

Indivíduos imunocompetes eliminam a virose, podendo levar para isso, de 6 meses a 5 anos. É benigna e não carece de vacinação. Entretanto pode ser um sinal de enfraquecimento do sistema imunológico, sendo casos epidêmicos corporais e principalmente faciais comuns em pessoas com a imunidade muito baixa, como em portadores do vírus HIV, em anêmicos, etc.

Diagnóstico e tratamento[editar | editar código-fonte]

O diagnóstico é por recolha de amostras do tumor e observação microscópica. As células têm inclusões típicas.

O tratamento não é realmente necessário, porém se o paciente quiser podem ser removidas por curetagem ou com nitrogénio liquido ou iodeto. O tratamento geralmente é fácil e rápido, contudo isso depende do organismo de cada paciente.

Um tratamento alternativo pode ser feito utilizando-se pomadas, cremes e sabonetes à base de Calendula.

Outro tratamento alternativo é feito com óleo essencial de Tea Tree, conhecido também como Melaleuca.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]