Ops (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lívia vestida como a deusa Ops.

Na antiga religião romana, Ops ou Opis, (em Latim, "Abundância"), era uma divindade relacionada a fertilidade e a terra, de origem sabina.

Mitologia[editar | editar código-fonte]

O marido de Ops era Saturno, o generoso monarca da Era Dourada. Assim como Saturno fora identificado com a divindade grega Cronos, Ops foi identificada com Reia, mulher e irmã de Cronos. Em suas estátuas e moedas, Ops geralmente é exibida sentada, como as divindades ctônicas normalmente estão, e com um cetro ou espiga de milho como seus principais atributos.

Nos escritos latinos da época, o caso nominativo (Ops), não era usado, apenas Opis era atestado pelos escritores clássicos. De acordo com Rufo Festo, "Ops era a mulher de Saturno. Para ela designaram a terra, porque nela se distribui todos os bens para o gênero humano" (Opis dicta est coniux Saturni per quam uolerunt terram significare, quia omnes opes humano generi terra tribuit). A palavra latina ops significa "riquezas, bens, abundância, presentes, generosidade, fartura". A palavra também está relacionada com opus, que significa "trabalho", particularmente no sentido de "trabalhar a terra, arar e semêa-la". Esta atividade foi considerada sagrada, e muitas vezes era realizada a partir de rituais religiosos destinados a obter a boa vontade das divindades ctônicas como Ops e Conso. Ops também está relacionado com a palavra sânscrita ápnas ("bens, propriedade").

Segundo a tradição romana, o culto a Ops foi instituído por Tito Tácio, um dos reis sabinos de Roma. Ops logo tornou-se a padroeira da riqueza, abundância e prosperidade. Ops obteve um famoso templo no Capitólio. Originalmente, um festival acontecia em honra a Ops, provavelmente todo o dia 10 de agosto. Além disso, nos dias 19 de dezembro (alguns 9 de dezembro), a Opália era comemorada. Todo 25 de agosto, a Opiconsivia era realizada. Opiconsivia foi outro nome usado para Ops, indicando o período de semeamento da terra. Estes festivais também incluiam atividades que eram chamadas de Consualia, em honra a Conso, seu consorte.

Ops, quando sincretizada com a mitologia grega, não era apenas a mulher de Saturno, mas também sua irmã e filha de Caelus. Seus filhos foram Júpiter, Netuno, Plutão, Juno, Ceres e Vesta. Ops também adquiriu status de rainha e tinha a reputação de ser uma deusa eminente. Por decreto, todos os templos públicos, sacerdotes e sacrifícios deveriam ser concedidos a ela.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

Fontes secundárias[editar | editar código-fonte]