Pico (mitologia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pico (no latim Picus), era um deus da Roma Antiga, filho e sucessor de Saturno, pai de Fauno [1] e que seria esposo da ninfa Canente,[2] Circe ou de Pomona.[3]

Mito[editar | editar código-fonte]

Era o deus da agricultura e possuía dons de profecia e conhecido por ter sido transformado num pica-pau por Circe.[4]

Era também referido como um dos primeiros reis do Lácio, o mesmo ocorrendo ao seu filho, Fauno.[4]

Pico e Circe[editar | editar código-fonte]

Uma versão do mito conta que Circe, a bruxa que, havia se enamorado da beleza de Pico, e revoltou-se por não ser correspondida. Transformando o amado num pica-pau, ave tida como sagrada pelos antigos áugures, esta ave passou a ser-lhe o símbolo.[3]

Representação[editar | editar código-fonte]

Era representado como um tronco de madeira com um pica-pau sobre ele; mais tarde era figurado como um jovem com um pica-pau sobre a cabeça. A visão desta ave significava, aos romanos, um sinal dos deuses.[3]

Não deve ser confundido com Picumno, irmão de Piluno, deuses romanos do matrimônio.

Referências

  1. Nennius, Historia Brittonum, Projeto Gutenberg (em inglês) (página acessada em novembro de 2008).
  2. Ovídio, Metamorfoses
  3. a b c MURRAY, Alexander. Quién es Quién en la Milogía (Who’s Who in Mythology), trad. Cristina María Borrego, M. E. Editores, Madri, 1997, ISBN 84-495-0421-X (em espanhol)
  4. a b Encyclopedia Mythica por Micha F. Lindemans (acessada em novembro de 2008).