Reino da Suécia (1523-1611)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Konungariket Sverige
Reino da Suécia

Reino

Flag of the Kalmar Union.svg
1523 – 1611 Sweden-Flag-1562.svg

Bandeira de Reino da Suécia

Bandeira

Continente Europa
Região Escandinávia
País Suécia
Capital Não especificada
Língua oficial Sueco
Religião Luteranismo
Governo Não especificado
Monarca
 • 1521-1560 Gustavo I
 • 1560-1568 Érico XIV
 • 1568-1592 João III
 • 1592-1599 Sigismundo III
 • 1599-1611 Carlos IX
Período histórico Idade Moderna
 • 1523 Independência da Suécia
 • 1611 Dissolução
Moeda Riksdaler

Desde a independência da Suécia sobre a União de Kalmar até 1654 a Suécia foi governada pelos monarcas da Casa de Vasa. Em 1611 sob o governo de Gustavo II a Suécia tornou-se uma grande potência e adquiriu o título de Império.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Após muitas batalhas sobre a Noruega e a Dinamarca no governo de Cristiano II finalmente em 1523 a Suécia obteve a independência. Isso depois de várias tentativas te reconquistas sobre a Suécia que estava aos protestos, sendo as principais tentativas em 1517, 1518 e 1520. A Dinamarca ainda teve apoio dos escoceses e alemães. Em 1523, Gustavo I torna-se rei da Suécia.

Sobre o domínio da Casa de Vasa[editar | editar código-fonte]

Gustavo I (1521-1560)[editar | editar código-fonte]

Logo após a independência da Suécia um das providências a serem romadas era quem ficaria no lugar de Gustav Trolle como arcebispo. O desejo de Gustavo I era que Johannes Magnus fosse o substituto, mas o Papa Clemente VII recusou a proposta porque a igreja considerava Johannes um rebelde. O Papa ordenou que Gustav Trolle se tornasse novamente arcebispo. Então no dia 18 de fevereiro de 1527 dois bispos foram enforcados em Estocolmo depois de um julgamento. A partir daí começaram abalos entre a igreja católica e a Suécia, chegou ao ponto do Luteranismo tornar-se religião

Gustavo I

oficial. Nesta época o principal objetivo de Gustavo I era de que a população abandonasse o catolicismo, porém a população que era anti-protestante continuou com as antigas praticas religiosas. Entre 1525 e 1543 Ele enfrentou várias rebeliões, os camponeses o consideravam traidor. Os camponeses exigiam que as antigas crenças fossem restauradas a Suécia, mais de uma vez ameaçaram destruir Estocolmo. Outro problema era os inimigos, sendo que entre 1554 e 1557 ocorreu a II Guerra Russo-Sueca. Um ano mais tarde ocorreu a Guerra da Livônia, que envolveu praticamente todo o Norte da Europa. Esta guerra se estenderia desde 1558 até 1582. A Suécia adquiriu uma parte dos territórios conquistados (o norte da Estônia) segundo o Pacto de Wilno). Aos 64 anos Gustavo I morre e seu filho Érico XIV assume o trono com 27 anos. Seu objetivo era terminar os trabalhos que haviam se iniciado pelo pai.

Érico XIV

Érico XIV (1560-1568)[editar | editar código-fonte]

Quando Érico assumiu o trono a primeira coisa que ele e Frederico II da Dinamarca e Noruega fizeram foi proteger os novo territórios adquiridos (adquiridos no último dia de vida de Gustavo I). Em 1563 iniciou-se a Guerra Nórdica dos Sete Anos. A causa desta guerra f que a Dinamarca-Noruega reivindicava posse sobre a Suécia, mas esta conseguira independência anos antes. Logo a Polônia se une a Dinamarca-Noruega pois estavam insatisfeitos com o controle da Suécia sobre o Báltico que prejudicava o comércio do país. Em 1568 Érico XIV foi deposto e seu irmão João III assume o trono.

João III (1568-1592)[editar | editar código-fonte]

Novamente tudo ficava pela metade. A situação da Suécia na época era péssima já que muitas guerras estavam acontecendo na região. Em 1569 a Letônia que estava devastada com a Guerra da Livônia se une a Polônia formando a

João III

República das Duas Nações. Em 1570 é assinado um acordo de paz sobre a Guerra Nórdica dos Sete Anos, a Suécia devolveria as terras de Skåne, Halland, Blekinge e Gotland a Dinamarca-Noruega. A Dinamarca-Noruega devolveria a Suécia as terras de Älvsborg (se eles pagassem uma quantia de 150 000 Riksdaler) e a reconheceriam a independência da Suécia. Agora a Guerra da Livônia procedia com a Rússia, a República das duas Nações, a Suécia e o Império Otomano. Em 1582 ´w assinado o Tratado de Plussa que acaba com a Guerra da Livônia. A partir desta época a Suécia não precisaria mais se importar com a Polônia, pois anos antes João III havia se casado com Catherine Jagiellonica quando ele era Duque da Finlândia. Catherine Jagiellonica é irmã de Sigismundo II da Polônia. Logo a República das duas Nações e a Suécia já estavam a assinar acordos. Com a morte de João III seu filho, Sigismundo III, assume o trono.

Sigismundo III

Sigismundo III (1592-1599)[editar | editar código-fonte]

Sigismundo III assume o trono aos 26 anos. Pela primeira vez parecia que não havia tantas tarefas deixadas. Talvez o maior problema agora para Sigismundo seria a República das duas Nações, ele estava governando a República das Duas Nações e a Suécia. Para que seu governo ficasse mais organizado, deixou a Suécia sob o controle de um regente, seu tio Carlos IX. Suas principais ambições era a conquistado do Principado da Moldávia. Nesta época a população na Suécia já era de maioria Luterana. Carlos IX assumiu total controle sobre a Suécia porque Sigismundo III tinha planos de implantar o catolicismo na Suécia. Em 1598 ocorreu a Batalha de Stångebro cujo Sigismundo III atacou a Suécia, a fim de reconquistá-la de Carlos IX. A partir dai começou a Guerra polaco-sueca que durou até 1629 com algumas interrupções.

A Suécia sob o ponto de vista de Carlos IX quando regente[editar | editar código-fonte]

Aos 42 anos Carlos IX torna-se regente da Suécia, entre 1592 e 1599. Uma grande preocupação de Carlos IX quando regente foi a III Guerra Russo-Sueca. O Objetivo da Rússia era conquistar a Estônia e a Letônia que haviam sido conquistadas no ultimo dia de vida de Gustavo I, na Guerra da Livônia. A III Guerra Russo-Sueca teve fim em 1595 no Tratado de Tyavzino, quando a Suécia sede o norte da Estônia à Rússia. Logo após o término da guerra ocorre a Guerra Polaco-Sueca e em 1599 Carlos IX, tio de Sigismundo III assume o poder na Suécia.

Carlos IX
Suécia entre 1560 (Reino) à 1660 (Império)

Carlos IX (1599-1611)[editar | editar código-fonte]

Desde 1599 Sigismundo III já reconhecera que a Suécia estava nas mãos de Carlos IX, porém ele só adquiriu este título a partir de fevereiro de 1600 e só foi coroado em março de 1607. Em 1610 ocorreu mais uma guerra, a Guerra Ingriana. Esta guerra novamente entre a Rússia e a Suécia. A guerra cessou em 1617 com o Tratado de Stolbovo, nesta época a Suécia já com a denominação de Império. Naquela época a Suécia ganhou grande parte territorial. Carlos IX morreu em 1611 e Gustavo II assume o trono.