Síndrome nefrótica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A síndrome nefrótica (ou simplesmente nefrose) é um conjunto de sinais, sintomas e achados laboratoriais que se desenvolvem quando ocorre uma elevação exagerada da permeabilidade dos glomérulos renais às proteínas, ocasionando em proteinúria (aumento da taxa de proteínas na urina).

Na síndrome nefrótica, a proteinúria é superior a 3,5g/1,73 m²/24h, ou seja, em 24 horas, a quantidade de proteínas encontradas na urina deve ser maior que 3,5 gramas (no adulto). Na criança, o valor de referência é uma taxa de proteinúria acima de 50 miligramas por quilo (em 24 horas).

Outros achados laboratoriais decorrentes da proteinúria elevada são:

Patogenia[editar | editar código-fonte]

Diferentemente do que ocorre na síndrome nefrítica, na síndrome nefrótica não há invasão glomerular por células inflamatórias (glomerulonefrite), mas sim um importante comprometimento da permeabilidade glomerular, tornando os glomérulos incapazes de reter macromoléculas, como as proteínas, justificando o aumento da quantidade de proteínas na urina.

Grande parte dos distúrbios que afetam os glomérulos podem acarretar em síndrome nefrótica (evolução lenta e insidiosa), incluindo também os que participam na síndrome nefrítica (rápida evolução).

Nesta síndrome há perda constante de proteína sérica na urina (proteinúria maciça) e hipoalbuminemia (baixa albuminaa no sangue), causando edema generalizado (anasarca) decorrente à perda da pressão oncótica.

Classificação e causas[editar | editar código-fonte]

A síndrome nefrótica possui muitas causas e pode ser causada por uma doença limitada ao rim, sendo chamada de síndrome nefrótica primária, ou uma condição que afete o rim e outras partes do corpo, chamada de síndrome nefrótica secundária.

Classificação etiológica[editar | editar código-fonte]

Uma classificação ampla da síndrome nefrótica baseada na etiologia:

 
 
 
Síndrome
nefrótica
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Primária
 
 
 
Secundária

Classificação histológica[editar | editar código-fonte]

A sindrome nefrótica é frequentemente classificada histologicamente:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Síndrome nefrótica
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lesão mínima
 
 
 
Glomeruloesclerose segmentar e focal
 
 
 
Nefropatia membranosa
 
 
 
Glomerulonefrite membranoproliferativa

Causas primárias[editar | editar código-fonte]

As causas primárias de síndrome nefrótica geralmente são as descritas pela histologia: Doença de lesão mínima, glomeruloesclerose segmentar e focal e nefropatia membranosa.Glomerulonefrite membranoproliferativa

Elas são consideradas como diagnóstico de exclusão, já que são diagnosticadas somente após outras causas terem sido descartadas.

Causas secundárias[editar | editar código-fonte]

As causas secundárias de síndrome nefrótica possuem os mesmos padrões histológicos das causas primárias, no entanto podem exibir algumas diferenças sugerindo uma causa secundária como corpos de inclusão.

Causas secundárias de acordo com o padrão histológico[editar | editar código-fonte]

Nefropatia membranosa[1]

Glomeruloesclerose segmentar e focal[1]

  • Nefroesclerose hipertensiva
  • HIV
  • Diabetes mellitus
  • Obesidade

Doença de lesão mínima

Referências

  1. a b Fogo AB, Bruijn JA. Cohen AH, Colvin RB, Jennette JC. Fundamentals of Renal Pathology. Springer. ISBN 978-0387-31126-5.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]