Tapera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tapera
Bandeira desconhecida
Brasão desconhecido
Bandeira desconhecida Brasão desconhecido
Hino
Fundação 18 de dezembro de 1954 (59 anos)
Gentílico taperense
Prefeito(a) Ireneu Orth (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Tapera
Localização de Tapera no Rio Grande do Sul
Tapera está localizado em: Brasil
Tapera
Localização de Tapera no Brasil
28° 37' 33" S 52° 52' 12" O28° 37' 33" S 52° 52' 12" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Não-Me-Toque IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Sul: Espumoso, Leste: Victor Graeff, Oeste: Selbach, Norte: Lagoa dos Três Cantos
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 179,626 km² [2]
População 10 452 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 58,19 hab./km²
Altitude 409 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,827 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 205 046,023 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 19 029,79 IBGE/2008[5]
Página oficial

Tapera é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 28º37'34" sul e a uma longitude 52º52'12" oeste, estando a uma altitude de 409 metros.

Possui uma área de 182,46 km² e sua população estimada em 2013 era de 7,381 habitantes, formada principalmente por descendentes de imigrantes alemães e italianos.

Origem do Nome[editar | editar código-fonte]

O nome do município deve-se a um antigo casebre (uma "tapera", termo de origem tupi que significa "aldeia extinta", pela junção de taba, aldeia e ûera, extinta[6] ) existente na região onde hoje situa-se o centro da cidade, que servia de paradeiro para viajantes que passavam por ali. Conta a tradição que a mesma tapera teria sido construída por um fugitivo da polícia, que teria buscado se esconder nessa região, então deserta e até inóspita.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia do município é baseada principalmente na agricultura, sobretudo com o plantio de soja, trigo e milho, e na pecuária, destacando-se a criação de aves e suínos.

A principal indústria do município é o Curtume Tapera (antigo Curtume Mombelli, hoje já fechado), situado no centro da cidade, cuja produção de couros atende ao mercado nacional e até internacional, mas cujo impacto ambiental vem sendo cada vez mais discutido e sentido pelos habitantes. Muitos têm manifestado crescente insatisfação em relação ao odor desagradável provocado pela indústria, também acusada de poluir arroios que cortam a cidade.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Sem tradição no ramo turístico, Tapera vem tentando, nos últimos anos, desenvolver ações que a insiram nas rotas de turismo do Estado. Integrando-se à Rota das Terras, a cidade busca atrair visitantes interessados por turismo rural e religioso. No entanto, os resultados, até aqui, mostram-se pouco significativos. Os principais pontos de visitação para turistas são a Igreja Matriz, o Santuário dos Três Mártires, o Seminário Sagrado Coração de Jesus, o Memorial Taperense e diversas propriedades rurais localizadas no interior do município, que oferecem atrativos ligados à natureza e à gastronomia.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Os principais eventos anuais realizados em Tapera são:

Toca do Coelho: realizada anualmente nas duas semanas que antecedem a Páscoa, trata-se de uma feira e exposição temática voltada principalmente ao público infantil.

Rodeio Crioulo Interestadual: realizado em março, no Parque de Exposições da cidade.

Festa de Maio: comemora a festa da padroeira do município, Nossa Senhora do Rosário da Pompeia, realizada no início de maio.

Feira do Livro e Semana da Cultura: ocorrem geralmente em setembro, com atividades voltadas à literatura e cultura em geral.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • 1955 a 1959: Dionísio Lothário Chassot - PSD
  • 1960 a 1963: João Maximiliano Batistella - PTB
  • 1964 a 1968: Romeu Claudio Kloeckner - PTB
  • 1969 a 1972: João Maximiliano Batistella - PTB
  • 1973 a 1976: Isidoro Gregório Simon - ARENA
  • 1977 a 1982: João Maximiliano Batistella - MDB
  • 1983 a 1988: Ireneu Orth - PDS
  • 1989 a 1992: Luiz Antônio Brunori - PMDB
  • 1993 a 1996: Ireneu Orth - PDS
  • 1997 a 2000: Luiz Antônio Brunori - PMDB
  • 2001 a 2004: José Nelson Balensiefer - PP
  • 2005 a 2008: Nestor Arnemann - PTB
  • 2009 a 2012: Ireneu Orth - PP
  • 2013 a 2016: Ireneu Orth - PP

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 118.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.