Sapucaia do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Município de Sapucaia do Sul
"Terra do Zôo"
Bandeira de Sapucaia do Sul
Brasão de Sapucaia do Sul
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 20 de agosto de 1961 (Emancipação)
Fundação 17 de Julho de 1912 (elevação a 7º Distrito de São Leopoldo)
Gentílico sapucaiense
Prefeito(a) Vilmar Ballin (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Sapucaia do Sul
Localização de Sapucaia do Sul no Rio Grande do Sul
Sapucaia do Sul está localizado em: Brasil
Sapucaia do Sul
Localização de Sapucaia do Sul no Brasil
29° 50' 20" S 51° 08' 38" O29° 50' 20" S 51° 08' 38" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre IBGE/2008 [1]
Microrregião Porto Alegre IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Porto Alegre
Municípios limítrofes São Leopoldo, Novo Hamburgo, Gravataí, Cachoeirinha, Esteio, Nova Santa Rita e Portão
Distância até a capital 19 km
Características geográficas
Área 58,644 km² [2]
População 130 988 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 2 233,61 hab./km²
Altitude 23 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,806 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 1 705 758,391 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 13 528,64 IBGE/2008[5]
Página oficial
Bandeira de Sapucaia do Sul.jpg
Parque Zoologico de Sapucaia do Sul, Brazil 01.jpg
Panthera tigris 1, Parque Zoológico de Sapucaia do Sul, Brazil.jpg
Ara chloropterus, Parque Zoológico de Sapucaia do Sul, Brazil.jpg

Sapucaia do Sul é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Pertence à Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre e à Microrregião de Porto Alegre. Tem como limites os municípios de São Leopoldo ao norte, Novo Hamburgo a nordeste, Gravataí ao leste, Cachoeirinha a sudeste, Esteio ao sul, Nova Santa Rita a oeste e Portão a noroeste.

História[editar | editar código-fonte]

Também conhecida como a Fazenda do Cerro, foi fundada em 1737, pelo retirante da Colônia de Sacramento, o português Antônio de Souza Fernando. A fazenda localizava-se no sopé do Morro Sapucaia. A estância se estendia desde o rio Gravataí até o rio dos Sinos. Ao lado, localizava-se a Fazenda Guaixinin-Sapucaia que se estendia até Porto Alegre, de propriedade de Francisco Pinto Bandeira, genro de Antônio de Souza Fernando.

Para povoar essas fazendas, os tropeiros prearam o gado bravio que se criava selvagem pelos campos, remanescente do gado criado pelos padres jesuítas das missões, destruídas pelos bandeirantes. Por mais de um século, o meio de vida da região foi a criação de gado.

Já no final do século XIX, foram surgindo os matadouros no território de Sapucaia. No início do século XX, oito matadouros abasteciam toda a região, inclusive Porto Alegre. Por toda esta época as fazendas deram lugar a grandes invernadas, que recebiam o gado de outros lugares, das tropas e dos trens, em vagões especialmente preparados para tal.

Por volta de 1930, surgiu a moda, junto às famílias mais abastadas, de ter uma casa no campo. O distrito de Sapucaia distava apenas 25 km de Porto Alegre, sendo ligada à Capital pelo trem, que fazia duas viagens diárias e tornou-se o local ideal para os sítios de lazer. Os grandes proprietários passaram a dividir suas terras em pequenos sítios, que eram comercializados principalmente na Capital.

A era da industrialização iniciou em 1940, com a construção da BR2, hoje BR 116. O governo do Estado e o Município de São Leopoldo concederam isenções de tributos a todas as empresas que viessem a se estabelecer nesta região.

A primeira grande empresa que se estabeleceu no então distrito de Guianuba foi a empresa Vacchi e Cia LTDA. Logo depois, em 1946, chegava o Lanifício Riograndense S/A, hoje denominado de Paramount Lansul S/A. Em 1945 foi a vez da Siderúrgica Riograndense e do Lanifício Kurashiki do Brasil S/A instalarem-se no município. Em 1965, a Recrusul e a White Martins também vieram para o município.

Estas empresas, e outras, não mencionadas, transformaram o "7º Distrito de São Leopoldo" numa verdadeira potência econômica, encerrando a luta pela emancipação, ocorrida em 1961.

As indústrias trouxeram pessoas de todos os lugares em razão do número de empregros que geravam. Em 1920, Sapucaia tinha 880 habitantes. Em 1960, alcançara a casa dos 18 mil e, atualmente, o município possui 130 mil habitantes.

Sapucaia chegou a ser o 7º município no ranking de arrecadação de ICMS do Estado. Tal imposto representa praticamente 75% do total de arrecadação municipal.

Com a construção da linha férrea da Trensurb na década de 80, Sapucaia foi dividida pelos trilhos do trem. Com isso, a maioria das empresas de comércio e serviços do lado oeste do centro da cidade tiveram que mudar para o lado do calçadão ou então fechar as portas. Porém, com a construção da passagem subterrânea ligando as Avenidas Ruben Berta com João Pereira da Vargas, no centro da cidade, os dois lados passaram a experimentar um progresso mais equitativo.

O município possui zona rural e zona urbana e a árvore figueira é um dos símbolos da cidade.

Marcos históricos[editar | editar código-fonte]

  • 1737: Antonio de Souza Fernando estabelece-se no território, denominando sua propriedade de Fazenda Sapucaia;
  • 1846: Capela Curada de São Leopoldo, é elevada à categoria de Vila em 1º de abril; em 6 de junho homologa-se as divisas da Vila de São Leopoldo; e na data de 24 de julho instala-se o Município de São Leopoldo, de cujo 1º distrito fazia parte o território de Sapucaia;
  • 17 de julho de 1912: Sapucaia se desmembra do 1º Distrito e passa à categoria de 7º Distrito de São Leopoldo;
  • 31 de março de 1938: Decreto Estadual nº 7119 eleva o 7º distrito leopoldense (Sapucaia) à categoria de Vila;
  • 29 de dezembro de 1944: Alteração do nome de Sapucaia para Guianuba, pelo Decreto-lei Estadual n.º 720.
  • 13 de janeiro de 1948: A então Vila de Guianuba perde o território que hoje forma a cidade de Esteio, que é desmembrado e passa a ser denominado 1º Subdistrito de São Leopoldo;
  • 20 de agosto de 1951: O então prefeito de São Leopoldo, Dr. Mário Sperb, sanciona a lei nº 303 que restabelece o nome de Sapucaia ao distrito.
  • 1953: Em 30 de junho uma comissão de líderes de Esteio (já elevado à categoria de 11º Distrito de São Leopoldo) lança o manifesto "Movimento Emancipacionista em Esteio e Sapucaia" em reunião realizada no Clube 7 de Setembro com a Liga dos Amigos de Sapucaia; Em 22 de setembro a Liga dos Amigos de Sapucaia proclama manifesto negando apoio à emancipação conjunta de Sapucaia e Esteio, que pretendia a unificação das duas localidades para formar um único município. Conseqüentemente, os sapucaienses optam nas urnas pela manutenção da união com São Leopoldo;
  • 14 de junho de 1960: É emitido protocolo de pedido de plebiscito de emancipação à Assembleia Legislativa;
  • 12 de julho de 1961: Assembleia aprova a consulta plebiscitária através da lei nº 4092, que estabelecia, entre outras coisas, o território a ser alvo da consulta;
  • 20 de agosto de 1961: Sapucaia se emancipa de São Leopoldo, após vitória no plebiscito que consultou a vontade da população. A opção pela emancipação venceu por 1921 votos contra 1171;
  • 14 de novembro de 1961: O então governador Leonel de Moura Brizola oficializa a criação do Município de Sapucaia do Sul através da Lei nº 4203;
  • 21 de janeiro de 1962: O município é constituído do distrito sede e instalado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localização geográfica[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul, é uma cidade de baixa altitude, estando o centro da cidade a apenas 23 metros acima do nível do mar. A região mais baixa encontra-se ao longo do Rio dos Sinos, com cerca de 3m de altitude. Já o ponto culminante é o Morro Sapucaia com 295 metros. Destacam-se ainda o Morro das Cabras e o Da Pedreira. O município tem 58,6 km² (FEE/2003).

É uma cidade banhada pelo rio dos Sinos e pelo Arroio José Joaquim. Enquanto o rio dos Sinos nasce a muitos quilômetros de distância no município de Caraá, Arroio José Joaquim tem sua nascente em terras da zona rural do município. O Arroio Sapucaia tem suas nascentes em municípios vizinhos (Gravataí e Novo Hamburgo) e passa ao sul de Sapucaia do Sul junto à refinaria Alberto Pasqualine, fazendo a divisa natural entre os municípios de Esteio e Canoas.

Ponto turísticos[editar | editar código-fonte]

Os principais pontos turísticos de Sapucaia do Sul são:

  • Parque Zoológico do Rio Grande do Sul, uma das Unidades de Conservação da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul
  • Morro de Sapucaia, tem destaque por sua forma peculiar que lembra o fruto da árvore sapucaia. Sua altura é 289m, com uma vista panorâmica da região privilegiada ;
  • Morro do Chapéu: localizado nas proximidades do município de Gravataí. No seu cume havia uma rocha em formato de chapéu, daí o nome dado ao morro. Esta rocha teria sido destruída por um acidente aéreo ocorrido em 28 de julho de 1950. O morro Localiza-se em área rural de beleza ímpar e atraente; em uma área bastante próxima ao Morro do Chapéu, é realizado todos os anos o Festival de Pandorgas, evento promovido pelo Centro de Estudos Ambientais CEA-SAPUCAIA, Organização Não-Governamental que atua no município e adjacências desde o ano de 1995 em defesa do meio ambiente.
  • Morro das Cabras: morro menor que se encontra atrás do Morro do Chapéu. Este nome se deve ao fato de que sua superfície é rica em gramíneas que, no passado, serviam de pasto para cabras, criadas nas propriedades adjacentes à sua área. É um morro que tem pouca expressão devido à sua pouca altura, muito inferior à do Morro do Chapéu e do Morro de Sapucaia.
  • Estação Ecológica do Pesqueiro, às margens do rio dos Sinos;

Outras belezas ainda fechadas e não abertas à visitação pública:

  • Queda D'Água dos Freitas, na divisa de Sapucaia com Gravataí, uma belíssima queda d'água de cerca de trinta metros de altura;
  • Alambique dos Cassel, preciosidade erguida em 1914, hoje desativado;

A área rural do município é adequada para a prática de esportes radicais, tais como escalada e rapel, mas também é dada ao trekking (o esporte da caminhada) e principalmente ao camping selvagem em contato íntimo com a natureza. Atividades ciclísticas podem ser desenvolvidas, pois além da bela paisagem, muitas estradas favorecem a esta prática.

Visando incentivar o turismo, foi criada na cidade a associação Geração 2000. Todas as ações visam incentivar as mais diferentes formas de turismo. O slogan da associação é: Sapucaia, a terra do Zoo.

Regiões, bairros e vilas[editar | editar código-fonte]

O município conta com área rural e área urbana. Nesta última, além do centro, vários bairros e vilas compõem o cenário da ocupação populacional.

Cemitérios[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul possui dois cemitérios municipais, o mais antigo é o João XXIII, no bairro Primor, próximo da RS-118, e o Pio XII, no bairro Lomba da Palmeira, este último conhecido como cemitério do morro. Na época de finados, 2 de novembro, a prefeitura municipal estima que 35 mil pessoas visitam os dois cemitérios da cidade.

Administração[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul tem um prédio próprio para a administração municipal. No prédio da administração, além do gabinete do prefeito estão os de algumas secretarias e principais diretorias da administração. A Secretaria de Obras, por precisar de uma área maior para operações e manutenção, está localizada próximo dos complexos esportivos do SESI e do Kurashiki.

A Câmara Municipal também funciona em sede própria na Avenida Assis Brasil esquina com a rua São Luís, e conta o trabalho legislativo de onze vereadores.

O movimento de bairros é forte na cidade, tendo Associações e representantes em praticamente todos os bairros, que periodicamente reúnem-se com a comunidade e levantam as críticas e sugestões, levando a seguir as reivindicações para o legislativo ou para o executivo.

Demografia[editar | editar código-fonte]

População[editar | editar código-fonte]

A população de Sapucaia do Sul era de 133.944 habitantes (IBGE/2005) em 2005, o que dá uma densidade demográfica de 2200,8 hab/km². O Código de Endereçamento Postal da Cidade (CEP) é 93201-970.

Etnias[editar | editar código-fonte]

É bem miscigenada a etnia sapucaiense. Originalmente povoada com descendentes de portugueses e alemães, a cidade recebeu também descendentes de negros, açorianos, árabes, libaneses e poloneses. Na década de 1970 e 1980 a população da cidade teve um grande incremento populacional devido ao êxodo rural e à busca de empregos, agregando-se às etnias já existentes descendentes de italianos e de japoneses.

Economia[editar | editar código-fonte]

O PIB da cidade é de R$ 1.055.135.076 (FEE/2001).

A população ativa economicamente está distribuída em:

  • 79,5% indústria,
  • 20,95% no comércio, serviços e agricultura.

Finanças e comércio[editar | editar código-fonte]

A área de comércio é bem diversificada. O município conta com uma Câmara de Dirigentes Lojistas.

Indústria[editar | editar código-fonte]

A indústria ocupa lugar de destaque, sendo a que mais gera dividendos para o município. O empresariado industrial da cidade é bastante unido. Com esforço e união de todos, os dirigentes da Associação Comercial e Industrial de Sapucaia do Sul (ACIS) construíram a sede própria da entidade, um prédio de vários andares com infra estrutura e comodidade para eventos diversos. Os maiores representantes da indústria no município são: Gerdau, Pepsi-Cola, Lanifícios Lansul e Kurashiki, Recrusul, entre muitas outras. Por conta da força da indústria, instalou-se na cidade uma unidade do Serviço Social da Indústria (SESI), que conta com atendimento médico e odontológico aos associados. Além disso, o SESI possui um complexo esportivo com campo de futebol todo cercado, pista de atletismo, quadras de vôlei, basquete e handebol, além de uma farmácia com preços geralmente mais baratos que os do comércio oficial. Sendo que o município conta com uma infra-estrutura de muito valor.

Mídia[editar | editar código-fonte]

Na cidade estão instaladas, a Rádio Equipe, das Faculdades Equipe, que possui uma programação local bem diversificada, de jornalismo à entretenimento, Rádio Sapucaia FM, com programação popular e a Rádio Ebenezer, com programação gospel. Circulam na cidade os jornais A Folha do Povo,Diário Gaúcho, Zero Hora, Correio do Povo, O Sul, Destaque, Jornal VS e ABC Domingo. Estes dois últimos que, embora sendo publicados pelo Grupo Editorial Sinos fora de Sapucaia do Sul, fazem ampla cobertura dos fatos sociais, políticos, econômicos, esportivos, policiais etc., ocorridos na cidade. O jornal da cidade é o Jornal Metropolitano, com periodicidade mensal. A cidade conta ainda com um jornal On-Line, Acerte o Alvo.com, onde além de notícias são informados avisos dos diversos grupos e associações do município. A cidade já teve outros veículos impressos, como o Jornal Regional, este de propriedade de Gerson Luiz Barden dos Santos, empresário que está na história de Sapucaia e o Jornal Visão Geral, mas ambos tinham tiragem mensal e não conseguiram se firmar com o passar dos anos.

Educação[editar | editar código-fonte]

O sistema de ensino do município é composto de escolas públicas (municipais, estaduais e federal) e privadas, englobando aí os ensinos primário, médio, fundamental, técnico e superior. Também há unidades de ensino supletivo e escolas de idiomas.

Escolas[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul garante a escolarização de suas crianças, jovens e adultos através de vagas disponíveis em escolas municipais, estaduais, federal e particulares. Sua escola mais antiga possui 74 anos, a E.E.E.F. Sapucaia do Sul foi fundada em 24 de Setembro de 1937 ainda no Distrito de São Leopoldo. Também destaca-se na história do município de Sapucaia do Sul, a Escola Municipal de Ensino Fundamental Justino Camboim, pois antes de ser emancipada Sapucaia do Sul, em 20 de agosto de 1961, esta escola já fazia parte do antigo 7º Distrito de São Leopoldo, que foi fundada no início do mês de março do mesmo ano. Além dessa escola, podemos destacar outra escola, mas esta da Rede Estadual, que em 07 de junho de 2012, completou 50 anos de história. O antigo Grupo Escolar Vila Silva, hoje Escola Estadual de Ensino Fundamental Miguel Gustavo. Ela tem como diferencial o Programa Um Computador por Aluno, onde casa aluno matriculado tem seu laptop educacional que é utilizado como recurso pedagógico pelo pŕofessores no seu planejamento. Ainda, outra escola que está nas Redes Sociais com o registro dos fatos que ocorrem nas dependências da Escola, bem como fora dos muros escolares, é a Escola Municipal de Ensino Fundamental Lourdes Fontoura da Silva, localizada no bairro Ipiranga desta cidade.

Bibliotecas[editar | editar código-fonte]

Sapucaia dispõe de uma Biblioteca Pública, a Euclides da Cunha, da Biblioteca Sesi e de diversas outras Salas de Leitura presentes em todas as escolas do município.

Universidades[editar | editar código-fonte]

Há duas instituições de ensino superior na cidade, a Faculdade Equipe, que era um Centro de ensino supletivo e evoluiu para faculdade, possui os cursos de Pedagogia, Administração, Letras e Ciências Contábeis, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, que possui, além de um curso de nível técnico (Técnico de Transformação de Termoplásticos), possui também três cursos de nível superior: Tecnólogo de Gestão da Qualidade para a Transformação de Polímeros, Tecnólogo de Fabricação Mecânica para Ferramentaria e Engenharia Mecânica. A instituição também possui dois novos cursos técnicos que estão funcionando desde 2008, são eles Curso Técnico de Nível Médio em Informática e Curso Técnico de Nível Médio em Gestão Cultural. Sapucaia do Sul é também um Polo UAB. O Polo de Sapucaia é atendido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Saúde[editar | editar código-fonte]

No quesito saúde, os principais centros de saúde são o Hospital Municipal Getúlio Vargas e o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) na Rua Justino Camboim. Vários postos de saúde, espalhados em diversos bairros da cidade, entretanto, fazem o maior número dos atendimentos à população. Registre-se que a cidade também conta com unidades médicas particulares e/ou conveniadas a empresas, como por exemplo a Sapucaia Clínicas, que tem sede no município, na avenida João Pereira de Vargas.

Hospital Municipal Getúlio Vargas[editar | editar código-fonte]

O Hospital Municipal Getúlio Vargas (HMGV) iniciou como uma autarquia da Prefeitura, tendo sido criado em 14 de setembro de 1970 e inaugurado em 13 de novembro do mesmo ano.mil

Recreação[editar | editar código-fonte]

A cidade tem diversas praças, sendo a principal a praça General Freitas, localizada no centro da cidade, ao lado da Igreja Matriz. Os escoteiros têm duas unidades na cidade, o Grupo Anhanguera, na ativa desde a década de 1970 ensinando jovens a preservar o meio ambiente e educando para a vida, e o Grupo Escoteiro Peregrino fundado em 2005, o G.E.Peregrino conquistou no ano de 2007/2008 o distintivo de Grupo Padrão Ouro.

Parques[editar | editar código-fonte]

O Horto Florestal, na divisa entre Sapucaia do Sul e São Leopoldo possui uma pista longa para caminhadas e corridas, em meio à mata da fundação Zoobotânica.

Esportes[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul tem um estádio de futebol, o Arthur Mesquita Dias, localizado no centro da cidade. Ele pertence ao Grêmio Esportivo Sapucaiense, principal clube de futebol do município. O Sapucaiense foi campeão da Divisão de Acesso em 2007 e disputou o Gauchão em 2008 e 2009 , além de, em 2012 ter participado da Copa do Brasil.

A cidade conta com vários ginásios para a prática de esportes, sendo o Ginásio Kurashiki um dos mais conhecidos por pertencer ao município.

Na área de esportes escolares, o destaque é o JEMUSA - Jogos Estudantis do Município de Sapucaia do Sul, que em 2012 completou 24 edições.

Vida cultural[editar | editar código-fonte]

Os principais atrativos culturais da cidade são:

  • Guianuba da Canção Nativa, um festival anual que ocorre sempre no mês de agosto, mês das comemorações do aniversário de emancipação da cidade;
  • Mi Maior de Gavetão, festival de trovadores tradicionalistas que, anualmente, resgatam o melhor do repente gaudério;
  • Rodeios e provas de laço na zona rural;
  • Natal Luz, este evento ocorre na época do Natal a Praça General Freitas é totalmente Revitalizada com motivos natalinos, todos os dias são feitas apresentações na praça que conta ainda com uma feira de artesanatos. Este acontecimento cultural atrai muitos turistas nesta época pois são poucas as cidades no estado que possuem esta Festa em comemoração ao Natal.
  • Primor Music Festival, Festival anual que ocorre no bairro Primor de Sapucaia do Sul, é considerado o maior festival independente da cidade, e sempre conta com diversas atrações musicais, de vários estilos, principalmente do rock, o Primor Music Festival tem como objetivo maior, ajudar com alimentos e roupas entidades carentes de Sapucaia do Sul.

Projeto Pró-Museu[editar | editar código-fonte]

Tramita na sede da administração municipal uma importantíssima ideia sugerida pela Sra. Eny Algayer. O município, em breve, poderá contar com um Museu Municipal, local que abrigará um grande acervo de fotografias e objetos que contam a história da cidade. O projeto está em andamento e a sede do museu será o prédio mais antigo do município. Ele fica na rua Cel. Serafim Pereira, 58 - centro, sede da E.E.E.F. Sapucaia do Sul. Neste prédio a escola tem sua Secretaria, Sala de Vídeo e Sala de Informática. O projeto é de que a prefeitura troque com o Governo do Estado este prédio por um prédio novo (a ser construído) para que a escola instale os antigos ambientes.

Arquitetura[editar | editar código-fonte]

O município conta com escasso acervo de arquitetura do século XIX. A maioria já foram derrubadas em nome de novas e modernas construções. Algumas construções antigas podem ser encontradas na região central ou ao longo da avenida Justino Camboim. Há um movimento de preservação do patrimônio arquitetônico na cidade, mas por diversos problemas e mesmo resistências, o resultado ainda não tem sido o esperado.

Religião[editar | editar código-fonte]

A maioria dos sapucaienses é católica, seguida pelos evangélicos. A igreja matriz católica da cidade está localizada no centro, em frente à praça General Freitas, tendo aí como pároco, há mais de 25 anos, o Pe.Adilson José Kunzsler (figura em destaque no município). No bairro Primor fica a Paróquia São José que tem como pároco o Pe. Ivo Persch, seguida pelas igrejas dos bairros Nova Sapucaia, a Paróquia São Pedro com o pároco Pe. Silmar Antônio Possa, no Vacchi a Paróquia Nossa Senhora de Fátima do Padre Aloisio Recch e na Boa Vista, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida com o Pe Rafael Fernandes.

Diversas outras correntes religiosas coexistem na cidade. Entre elas a de Confissão Luterana, os Adventistas, a Doutrina Espírita, Igrejas Batista, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. São ativas também as religiões de matriz africana como os umbandistas.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Sapucaia do Sul tem fácil acesso viário tanto para a capital do estado, quanto para o interior, litoral e outros estados. É servida pela rodovia BR-116, que liga Porto Alegre ao interior do RS e daí aos demais estados do Brasil, pela BR-448 que liga Porto Alegre à Sapucaia do Sul, sem passar por grandes áreas populacionais dos municípios vizinhos e pela RS-118, que faz a ligação da cidade com Gravataí, dando acesso ao litoral sul através da BR-290, chamada de free-way (rodovia que está a 25 quilômetros do centro da cidade), que liga a capital à BR-101, rodovia litorânea que margeia o litoral brasileiro.

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

O Trensurb é o meio de transporte mais utilizado para sair e chegar na cidade

A cidade contava com trilhos da Rede Ferroviária Federal, vinda de Porto Alegre, capital do estado. Entretanto, na metade da década de 1980, os trilhos foram removidos e a antiga estação Sapucaia foi demolida em nome do progresso e para dar lugar à nova estação do Trensurb. Nada restou além de fotos que pudesse marcar a lembrança do patrimônio arquitetônico relativo à época da linha férrea da Rede Ferroviária Federal.

Sapucaia do Sul conta atualmente com os serviços do Trensurb, Trens Urbanos de Porto Alegre, que fazem a linha da capital do estado até o centro de Novo Hamburgo.

Porto[editar | editar código-fonte]

Embora tendo sido o rio dos Sinos a principal estrada utilizada pelos colonizadores nos tempos iniciais da povoação da região, sendo a divisa natural entre Sapucaia do Sul e Nova Santa Rita, a cidade não possui um porto. Registre-se, entretanto, que a travessia no bairro Fortuna de automóveis e motos para Nova Santa Rita e vice versa já foi feita com uma balsa, desativada desde meados de 2003.

Problemas atuais[editar | editar código-fonte]

Com uma população beirando 130 mil pessoas, vários problemas tem chamado a atenção da comunidade, entre eles:

  • Segurança - o crescimento desordenado fez brotar nos arredores da cidade vilas sem um mínimo de infraestrutura. Gerou o subemprego e o desemprego, o que fez crescer a violência.
  • Habitação - nos arredores da cidade, em locais mais afastados e mesmo nas margens da rodovia RS-118 surgiram vários loteamentos irregulares, ocupados por posseiros, sem a infraestrutura adequada, gerando um déficit habitacional que é problema para a administração municipal. É importante salientar que projetos do governo federal têm sido intensificados na cidade com o intuito de amenizar os problemas e garantir as famílias condições dignas de moradia;
  • Lixo - o município conta com um aterro sanitário na zona rural, para onde são removidos o material da coleta urbana. No aterro todo o lixo é selecionado. O que pode ser reaproveitado é classificado para a reciclagem e o restante, como o lixo orgânico, é deposto no aterro, para ser decomposto.
  • Saúde - a saúde do município passa por problemas que datam de muito tempo. As administrações têm dificuldade para regularizar o atendimento de forma que beneficie toda a população da melhor forma possível. Atualmente a administração, com apoio popular, instaurou na cidade a Fundação Hospitalar Sapucaia do Sul que promete qualificar o atendimento.
  • Buracos nas ruas - Problema recorrente em muitas cidades do Brasil, em Sapucaia é um problema destacado. Seja pela erosão ou baixa qualidade do asfalto, as ruas de Sapucaia estão a ponto de intransitável.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 de dezembro de 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]