Taquara (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Taquara
Bandeira de Taquara
Brasão de Taquara
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 17 de abril
Fundação 17 de abril de 1886 (128 anos)
Gentílico taquarense
Lema "Um lugar para ficar"
CEP 95600-000
Prefeito(a) Tito Lívio Jaeger Filho (Titinho) (PTB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Taquara
Localização de Taquara no Rio Grande do Sul
Taquara está localizado em: Brasil
Taquara
Localização de Taquara no Brasil
29° 39' 03" S 50° 46' 51" O29° 39' 03" S 50° 46' 51" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Metropolitana de Porto Alegre IBGE/2008 [1]
Microrregião Gramado-Canela IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Porto Alegre
Municípios limítrofes Araricá, Glorinha, Gravataí, Igrejinha, Novo Hamburgo, Parobé, Rolante, Santo Antônio da Patrulha, Sapiranga, São Francisco de Paula e Três Coroas
Distância até a capital 72 km
Características geográficas
Área 457,130 km² (BR: 2608º)[2]
População 54 656 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 119,56 hab./km²
Altitude 57 m
Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,819 muito alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 523 359,876 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 469,15 IBGE/2008[5]
Página oficial

Taquara é um município da Região Metropolitana de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. É um município de colonização predominantemente alemã.

História[editar | editar código-fonte]

Até a chegada dos primeiros europeus à região, no século XVI, a mesma era habitada pelos índios carijós[6] . O território de Taquara fez parte da sesmaria concedida em 1814 a Antônio Borges de Almeida Leães, que, em 20 de junho de 1845, a vendeu a Tristão José Monteiro e Jorge Eggers. No ano seguinte, em 4 de setembro de 1846, o território passou a ser propriedade exclusiva de Tristão Monteiro, quando iniciou-se o processo de colonização alemã, através da Colônia de Santa Maria do Mundo Novo, formada pelas famílias:

  • Família Ritter
  • Família Lahm
  • Família Schirmer
  • Família Krummenauer
  • Família Klein
  • Família Lambert
  • Família Laux
  • Família Raimondo (Italiana)
  • Família Fischer
  • Família Belmonte (Espanhola)

Em 24 de setembro de 1880, foi instalada a 1º Comarca de Taquara. O município surgiu com a Lei Provincial 1 568, de 17 de abril de 1886. A emancipação de Taquara sucedeu em 17 de abril de 1886, com o nome de Taquara do Mundo Novo. Mais tarde, através do Decreto Estadual 1 404, de 10 de dezembro de 1908, a vila de Taquara recebeu o título de cidade.

A história de Taquara se encontra também nos prédios antigos, como a sede da Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária do Vale do Paranhana[7] e o Clube Comercial, que são exemplos da beleza arquitetônica encontrada em muitos prédios situados na área central da cidade. Destaca-se, ainda, o Palácio Municipal Coronel Diniz Martins Rangel, de construção neoclássica, que data do início do século XX, além dos templos das Igrejas Católica e Protestante que estão situados frente a frente na rua principal da cidade.

No interior, ainda existem exemplos de edificações na técnica do enxaimel, trazida pelos imigrantes alemães, principalmente nas localidades de Rio da Ilha e Padilha.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Taquara tem seu nome proveniente da cerrada vegetação de bambus silvestres (taquarais) que, na época de sua colonização, cobria as margens do Rio dos Sinos, um dos cursos d´água que banham a cidade. O atual brasão do município apresenta duas taquaras, em alusão ao nome do município.

Economia[editar | editar código-fonte]

O município abriga, em seu território, atividades que surgiram a partir dos empreendimentos familiares dos imigrantes, em grande parte de origem germânica, ligados em sua maioria aos setores industrial e comercial e que detêm, até hoje, um elevado percentual da economia de Taquara. Por se situar próximo a cidades com forte fluxo turístico, como Gramado e Canela, o município também apresenta um grande potencial nesta área.

Na localidade de Morro da Pedra, no interior do município, está situada a Vila Naturista Colina do Sol, a segunda maior área do Brasil para a prática desta filosofia de vida. No incentivo às práticas esportivas, o município conta com o Parque do Trabalhador, que ocupa uma área arborizada de 4 hectares, localizado no centro da cidade. O parque oferece à população um ginásio de esportes, uma quadra para a prática de futebol de areia, duas quadras de vôlei, um campo de futebol onze, vestuários e instalações sanitárias, playground e academia de ginástica ao ar livre, possuindo ainda um lago artificial que serve de moradia aos patos, cisnes e gansos. Diariamente cem pessoas usufruem o parque, aumentando o número de visitantes para 500 aos finais de semana.

Entre os principais eventos realizados em Taquara, dois merecem citação especial: a Ciranda Musical Teuto-Riograndense, festival de música que ocorria a cada dois anos, e a Expocampo, exposição agropecuária que acontece anualmente no mês de abril por ocasião dos festejos de aniversário da cidade, considerado um dos eventos mais importantes do estado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a 29º39'02" de latitude sul e 50º46'50" de longitude oeste, a uma altitude de 57 metros. Sua população em 2007 era de 53 428 habitantes. Possui uma área de 457 km².

O município de Taquara está localizado na Encosta Inferior da Serra e dista 72 quilômetros de Porto Alegre; 40 km de Gramado; 48 Km de Canela; 40 km de São Francisco de Paula; 36 km de Novo Hamburgo e 89 km de Tramandaí, o que ocasiona um clima subtropical com inverno é rigoroso. Também possui, como uma de suas principais características, a privilegiada localização geográfica: o município é ponto de ligação entre importantes regiões do Rio Grande do Sul, como a Serra Gaúcha, Litoral, Região Metropolitana e Vale do Sinos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Devido a seu peso histórico, Taquara exerce papel de polo regional em diversas áreas. Uma delas é a do comércio, que apresenta notória diversificação em todos os ramos, podendo se comparar à estrutura dos grandes centros. Outro setor muito desenvolvido é o da prestação de serviços, onde se inclui a localização de diversos órgãos públicos de atuação regional. O município também é considerado polo no setor de ensino.

No setor industrial, Taquara se encaminha para a diversificação. Atualmente, os segmentos mais importantes são os de calçados, produtos plásticos e laticínios. A produção agrícola, alavanca econômica na época da colonização, ainda ostenta um razoável desenvolvimento, com destaque para a produção leiteira, piscicultura e criação de gado de corte.

Junto com as cidades vizinhas de Parobé, Igrejinha, Três Coroas, Rolante e Riozinho, Taquara forma o Vale do Paranhana, uma região que se destaca principalmente pela sua indústria de calçados, responsável pela produção de algumas das marcas de sapatos mais famosas do Brasil.

A agropecuária que já foi base da sua economia, ainda ostenta um razoável desenvolvimento. Taquara é conhecida por iniciativas em prol do turismo rural, piscicultura, citricultura, criação de gado de corte e setor leiteiro.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Taquara conta com uma rede de 44 escolas públicas municipais, 12 escolas públicas estaduais e 9 escolas particulares[8] . O ensino superior é atendido pelas Faculdades Integradas de Taquara (Faccat), que conta com 16 cursos de graduação[9] . Também tem a Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato - CIMOL - Centro de Referência Profissional (antigo Colégio Industrial MOnteiro Lobato), que está classificado entre as seis melhores escolas estaduais.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O município possui, entre postos de saúde e clínicas, 34 estabelecimentos de saúde. A prefeitura municipal mantém 14 postos de saúde localizados em diversos bairros e distritos [10] [11] .

Taquara já possuiu três hospitais sendo eles o Hospital Sagrada Família, o Hospital Faiock e o Hospital de Caridade. Devido a problemas técnicos e financeiros estes hospitais foram sendo gradativamente fechados, sendo que o último foi o Hospital de Caridade, interditado pelo Conselho Regional de Medicina em 24 de junho de 2008[12] . No dia 28 de outubro de 2009, foi reaberto o hospital interditado em Taquara, agora com o nome Hospital Bom Jesus de Taquara.

Segurança[editar | editar código-fonte]

A criminalidade em Taquara cresceu desde a década de 1990: diariamente ocorrem assaltos a mão armada, arrombamento de casas e furtos a carros.

A cidade possui uma delegacia de polícia, com um contingente de onze investigadores e um delegado[13] , e um quartel do 1º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas da Brigada Militar[14] , com um contingente de 51 soldados[15] . Este contingente é considerado pequeno para o número de habitantes do município. Além disso, faltam viaturas e equipamentos para as polícias.

Taquara também conta com um quartel regional do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar, localizado às margens da RS-115, no limite com Igrejinha. Esta corporação estava instalada na área central do município, entretanto devido à problemas estruturais em sua sede foi transferida para uma edificação construída com apoio da comunidade regional.

Transportes[editar | editar código-fonte]

O município é atendido por três rodovias estaduais, sendo ela a RS-020, a RS-115 e a RS-239.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. BUENO, E. Brasil: uma história. Segunda edição revista. São Paulo. Ática. 2003. p. 18-19.
  7. Câmara da Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária do Vale do Paranhana. Disponível em http://www.cics-vp.com.br/2010/. Acesso em 20 de janeiro de 2013.
  8. Taquara.rs.gov.br. Dados sobre o ensino em Taquara. Página visitada em 25 de junho de 2008.
  9. Taquara.rs.gov.br. Dados sobre o ensino superior em Taquara. Página visitada em 25 de junho de 2008.
  10. Taquara.rs.gov.br. Dados sobre a saúde pública em Taquara. Página visitada em 25 de junho de 2008.
  11. IBGE. Dados sobre a saúde em Taquara. Página visitada em 06 de maio de 2008.
  12. Zero Hora. Reportagem: Hospital de Taquara é interditado. Página visitada em 25 de junho de 2008.
  13. Paranhana.org.br. Número de policiais civis em Taquara. Página visitada em 08 de julho de 2008.
  14. Brigada Militar. 1º BPAT. Página visitada em 06 de julho de 2008.
  15. Paranhana.org.br. Número de policiais militares em Taquara. Página visitada em 06 de julho de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]