Termas de Diocleciano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

As termas de Diocleciano (Thermae Diocetiani), as maiores termas da Roma Antiga, foram construídas durante a era imperial. Estas termas, dedicadas ao imperador Diocleciano, em 306, foram as maiores termas imperiais e mantiveram-se operacionais até 537, quando os Godos destruíram o aqueduto que as alimentava. Semelhantes às Termas de Caracala na forma e dimensões, as Termas de Diocleciano estão parcialmente conservadas devido à sua utilização para fins religiosos. O complexo termal aloja a Basílica de Santa Maria degli Angeli e dei Martiri e parte do Museu Nacional Romano. As três voltas do transepto da basílica fornecem ainda hoje um dos poucos exemplos do esplendor original dos edifícios romanos. Eram orientadas a sudeste, para permitir que a energia solar aquecesse o caldário sem interceptar o frigidário. São visíveis outros restos das termas nas ruas circundantes da basílica.

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Termas de Diocleciano
absbottom
Roma

Termas romanas: Caracala · Diocleciano · Nero · Tito · Trajano
Monumentos: Aquedutos · Catacumbas · Estradas consulares · Fontes · Igrejas · Obeliscos · Pontes · Praças · Templos · Galeria de imagens
História: Fundação de RomaRoma AntigaRepúblicaImpério
Arquitectura · Cultura · História militar · Instituições políticas