Tombos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tombos
Cachoeira de Tombos

Cachoeira de Tombos
Bandeira de Tombos
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 21 de maio
Fundação 7 de setembro de 1923
Gentílico tombense
Prefeito(a) Oscar José Bastos (Democrata-DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Tombos
Localização de Tombos no/em Minas Gerais
Tombos está localizado em: Brasil
Tombos
Localização de Tombos no Brasil
20° 54' 18" S 42° 01' 22" O20° 54' 18" S 42° 01' 22" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Zona da Mata IBGE/2008[1]
Microrregião Muriaé IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Faria Lemos, Pedra Dourada, Eugenópolis, Antônio Prado de Minas, Porciúncula
Distância até a capital 370 km
Características geográficas
Área 283,483 km² [2]
População 9 542 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 33,66 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 52 601,056 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 5 750,63 IBGE/2008[5]
Página oficial

Tombos é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localizado na Zona da Mata Mineira, a 5 km da divisa com o estado do Rio de Janeiro e a 28 km do município de Carangola.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O município recebeu este nome em alusão às três quedas (tombos) d'água da cachoeira do rio Carangola que fica na cidade. Inicialmente conhecida como Tombos do Carangola, o nome foi encurtado com o tempo para Tombos.

História[editar | editar código-fonte]

O Coronel Maximiniano José Pereira de Souza, mais ou menos no início do século XIX, abastado proprietário, foi quem primeiro conheceu o local, nele se fixando definitivamente, com seus escravos, amigos e parentes. No início, a região passou a ser conhecida por Tombos, em alusão às três quedas d’águas nela existentes. Com o correr dos anos e o desenvolvimento natural das lavouras ali iniciadas formou-se pequeno núcleo populacional.

O coronel Maximiniano, que se havia tornado posseiro das terras desbravadas, fez doação, em 1849, de uma gleba para o patrimônio de Nossa Senhora da Conceição, cuja capela seria edificada em honra à Santa. O local passou assim a chamar-se Nossa Senhora da Conceição de Tombos e pouco tempo depois foi elevado à categoria de distrito pela Lei provincial número 605, de 21 de maio de 1852. Mais tarde, o topônimo foi alterado para Tombos de Carangola, passando a simplesmente Tombos quando da sua emancipação política, o queaconteceu com a Lei número 843, de 7 de setembro de 1923.

No dia 12 de novembro de 1878, pela Lei nº 2500,o território foi incorporado ao município de Carangola tornando-se Distrito,com o nome Tombos do Carangola, que assim permaneceu até a criação do município. Com a emancipação política, através da Lei nº 843, de 7 de setembro de 1923, Tombos tornou-se município, passando a denominar-se simplesmente “Tombos”.

Em Tombos localiza-se a Usina Hidrelétrica de Tombos, que atende ao Norte Fluminense.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Sua população estimada em 2010 é de 9.542 habitantes,enquanto em 2000, era de 11.652, segundo o Censo. O município subdivide-se nos distritos de Tombos (sede), Catuné e Água Santa de Minas. Com 62 metros de altura, a Cachoeira de Tombos é a maior da Zona da Mata[carece de fontes?], e dá o nome a esta cidade. Área da unidade territorial é de 283Km².

Principais distâncias[editar | editar código-fonte]


Evolução Demográfica
1996 2000 2007 2010
10.389 11.652 9.194 9.542

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • Manoel Martins Quintão - 1924/1930
  • Caetano Anacreto Dias Torres - 23 de março de 193110 de abril de 1931 (nomeado) e 20 de abril de 1931 – 2 de maio de 1931
  • Otávio Rodrigues Alves - 16 de fevereiro de 19314 de janeiro de 1932 (nomeado)
  • Dr. Dario de Campos Barros - 1931/1936
  • Dr. Dario de Campos Barros - 9 de agosto de 193616 de novembro de 1937
  • Francisco Ignácio Borba - 1937/1945
  • Dr. Orlindo Soares Quintão - 1946/1947 (nomeado)
  • Alfredo Vargas Corrêa - 12 de março de 194718 de dezembro de 1947 (nomeado)
  • Sebastião Rocha - 1947/1950
  • Glycério Dias Soares - 1951/1954
  • Dr. Orlindo Soares Quintão - 1955/1958
  • Léviro de Oliveira Pieruccetti - 1959/1962
  • Sebastião Rodrigues de Souza - 1963/1966
  • Alexandre Henriques de Almeida - 1967/1970
  • Antônio Guimarães de Almeida - 1971/1972
  • Alexandre Henriques de Almeida - 1973/1976
  • Antônio Guimarães de Almeida - 1977/1982
  • Marco Aurélio M. de Barros Guimarães - 1983/1988
  • Oscar José Bastos (PFL) - 1989/1992
  • Marco Aurélio M. de Barros Guimarães (PFL) - 1993/1996
  • Ivan Carlos de Andrade (PT) - 1997/2000
  • Mateus Pereira Junior (PMDB) - 2001/2004
  • Ivan Carlos de Andrade (PT) - 2005/2008
  • Ivan Carlos de Andrade (PT) - 2009/2012
  • Oscar José Bastos (DEM) - 2013/atual

Educação[editar | editar código-fonte]

Escolas do município:

  • CEMEI Olívia Quintão (Educação Infantil)
  • Centro Educacional Rosely Gallo Ferreira (Educação Infantil e Ensino Fundamental)
  • Escola Estadual Antônia Martins de Barros (Ensino Fundamental)
  • Escola Estadual Ilka Campos Vargas (Ensino Fundamental e Médio)
  • Escola Estadual Serra dos Quintinos (Ensino Fundamental)
  • Escola Municipal Emílio Soares (Ensino Fundamental)
  • Escola Municipal Marieta Guariglia Bravo (Ensino Fundamental)
  • Escola Municipal Savina Lazaroni (Educação Infantil e Ensino Fundamental)

Futebol[editar | editar código-fonte]

No dia 12 de Maio de 2012 a equipe de futebol profissional da cidade, a Tombense Futebol Clube, se sagrou vice-campeã do Módulo II e, assim, conseguiu acesso para o Módulo I do Campeonato Mineiro de Futebol. O time disputará partidas com times clássicos do futebol brasileiro como o Clube Atlético Mineiro, Cruzeiro Esporte Clube e América Futebol Clube, um feito impressionante para uma cidade com menos de 10 mil habitantes.

Em sua primeira participação no Módulo I do Campeonato Mineiro, em 2013, a Tombense conseguiu ficar entre os quatro primeiros colocados, classificando-se para a semi-final[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. http://globoesporte.globo.com/mg/futebol/times/tombense/noticia/2013/04/tombense-festeja-classificacao-com-pagode-no-estadio-independencia.html
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.