Vices & Virtues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vices and Virtues
Álbum de estúdio de Panic! at the Disco
Lançamento 18 de março de 2011 (Austrália)
22 de março de 2011 (Estados Unidos)
Gênero(s) Rock alternativo, pop barroco
Duração 37:27
Gravadora(s) Decaydance, Fueled by Ramen
Produção John Feldmann, Butch Walker
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Panic! at the Disco
Último
Último
...Live in Chicago
(2008)
Próximo
Próximo
Singles de Vices and Virtues
  1. "The Ballad of Mona Lisa"
    Lançamento: 1 de fevereiro de 2011
  2. "Ready to Go (Get Me Out of My Mind)"
    Lançamento: 2 de maio de 2011

Vices & Virtues é o terceiro álbum de estúdio da banda norte-americana Panic! at the Disco. Produzido por John Feldmann e Butch Walker, estava previsto para ser lançado em 29 de março de 2011 nos Estados Unidos, mas foi adiantado para o dia 22 do mesmo mês.[8] Seu primeiro single, "The Ballad of Mona Lisa", foi lançado no dia 1 de fevereiro de 2011 e estreou na posição #89 da Billboard Hot 100.[9] O segundo single, "Ready to Go (Get Me Out of My Mind)", foi lançado em 2 de maio de 2011.

O álbum é o primeiro lançado pela banda depois da saída do guitarrista Ryan Ross e do baixista Jon Walker.[10] Spencer Smith foi o responsável pela percussão e Brendon Urie pelos vocais e quase todos os outros instrumentos. Vices and Virtues foi recebido de maneira geralmente mista ou positiva pela crítica especializada; o Metacritic calculou uma média de 62% de aprovação, baseado em quinze críticas recolhidas.[11]

Precedentes[editar | editar código-fonte]

O primeiro material para um sucessor de Pretty. Odd. data de, pelo menos, abril de 2008, apenas um mês depois do lançamento do álbum. Ryan Ross, então guitarrista da banda, declarou que a banda tinha "nove ou dez canções em andamento" na época, que seguiam a mesma direção de seu segundo álbum.[12] Em agosto do mesmo ano, o então baixista da banda, Jon Walker, voltou a falar no assunto, dizendo que o novo material era "basicamento o mesmo do último disco. Nós não paramos de escrever canções desde que terminamos de gravar Pretty. Odd., porque tínhamos muito sobre o que escrever". Ryan Ross então brincou, dizendo que o som estava "pretty awesome (muito impressionante), que é provavelmente o nome que daremos para o disco". Depois, completou dizendo, "Nós temos algumas novas ideias e canções em que estamos trabalhando, e esperamos gravar o novo material até o final do ano".[13] Em junho de 2009, o vocalista Brendon Urie informou que eles vinham escrevendo "pela metade do ano agora", na casa de Ryan em Topanga Canyon, e que tinham se aprofundado no "caminho de pop retrô que haviam começado a explorar em Pretty. Odd.". Ele disse, "Nós sempre fomos uma banda pop. Sempre fomos fãs da música pop, como os Beatles - que são, tipo, o início da música pop - sempre fomos fãs de boas melodias cativantes e música despreocupada". Spencer Smith, baterista, adicionou, "Nós nos mudamos para a Califórnia depois do último álbum, então isso é uma inspiração. Começamos a surfar, também, então talvez tenha uma pequena vibe de The Beach Boys nesse álbum".[14] Durante essa época, Spencer mudou-se com Brendon, enquanto Ryan e Jon permaneceram em sua casa, trabalhando em seu próprio material.[15]

Em 6 de julho de 2009, Ryan Ross e Jon Walker anunciaram na página oficial do Panic! at the Disco que estavam deixando a banda, com a justificativa de "diferenças criativas".[15] [16] Segundo Ryan, Brendon e Spencer estavam interessados em trabalhar em um "som pop mais polido", enquanto eles queriam "um rock retrô".[17] Depois, foi dito que os planos de uma turnê com o Blink-182 em agosto de 2009 e a produção do novo álbum "iriam continuar como anunciado anteriormente", apenas com Brendon e Spencer como membros.[16] No dia seguinte, 7 de julho, foi divulgado que "New Perspective", primeira canção gravada com a nova formação, seria lançada como parte da trilha sonora do filme Jennifer's Body.[18] O ponto de exclamação, que havia sido retirado do nome da banda, foi então recolocado.[19]

Gravações e produção[editar | editar código-fonte]

O processo de escrita e gravação para Vices & Virtues durou mais tempo do que a banda planejava. Brendon afirmou que eles sentiram-se "confusos" após a saída de Ryan e Jon e "incertos sobre o que fazer depois", e levou um tempo para descobrirem e encontrarem uma direção para seu som,[20] mas, no final de julho de 2009, ele já estavam começando a trabalhar em um material próprio, no qual esperavam "reunir o melhor de seus dois álbuns anteriores".[21] Spencer comentou que essas canções eram apenas ele e Brendon "se divertindo", pois era o que queriam fazer.[15] Segundo Brendon, eles tiveram que "sair da zona de conforto" em que estavam quando a banda tinha quatro integrantes e "lutar com sua confiança", principalmente em relação à escrita das faixas, considerando que Ryan Ross era o principal compositor.[22] Em agosto de 2009, eles tinham cerca de dez faixas para considerar para o álbum, que planejavam que estivesse pronto para lançamento no início de 2010.[23]

No entanto, as gravações não começaram até abril de 2010. Produtor de Pretty. Odd., Rob Mathes foi "como família" para eles, os inspirando a se animar com o disco, apesar do nervosismo dos dois no início. Ele os encorajou a "apenas sair da cama de manhã, não deixar de lado as coisas que realmente ama fazer, porque isso só vai os deixar para baixo", pelo que Brendon disse que a banda "o devia muito".[20] Depois de trabalhar em várias demos durante o verão com Feldmann, os dois decidiram que não estavam satisfeitos, então recomeçaram com um novo material. Vices & Virtues foi produzido por John Feldmann e Butch Walker.[24] Eles ficaram inicialmente indecisos sobre experimentar novos produtores, mas John e Butch entraram de maneira positiva, sem fazer com que eles se sentissem forçados ao tentar impor suas ideias, como "Ei, esse é o seu álbum, eu quero ajudar vocês com suas ideias. Então mostre-as e eu vou te ajudar com elas. Eu não quero escrever nada para vocês, esse é o seu disco, ele tem que ter a sua voz".[20] A banda continuou trabalhando com Feldmann por quatro meses no início de 2010, mais tarde levando o material para que Butch o finalizasse.[20]

Em 7 de maio de 2010, a banda divulgou fotos tiradas durante as gravações do álbum.[25] Toda a guitarra e todo baixo estavam finalizados no início de julho e,[26] no final desse mês, Vices & Virtues estava completo e foi confirmado que a mixagem começaria pouco tempo depois; o processo de gravação com o material final durou seis meses.[27]

Música[editar | editar código-fonte]

Nearly Witches (Ever Since We Met...)
Foi utilizado um coral infantil em "Nearly Witches (Ever Since We Met...)".

The Calendar
"The Calendar" foi lançada também como resposta à saída de Ryan Ross e Jon Walker da banda.

Problemas para escutar estes arquivos? Veja introdução à mídia.

Vices & Virtues contém uma variedade de estilos musicais em suas faixas. Durante sua produção, Brendon afirmou que cada canção "soa diferente da próxima". No início, eles não tinham uma direção para sua música ou letra. No entanto, depois de retornar ao estúdio para reiniciar o processo, eles ficaram animados com a possibilidade de um recomeço. "Nós estivemos trabalhando nesse álbum por cerca de um ano e meio, então eu acho que isso explica o motivo de algumas das canções terem estilos tão variados," disse Spencer. "Parte disso era apenas nós, no início, tentando perceber o que nós queríamos fazer - tínhamos uma nova oportunidade com apenas dois de nós - e quando conseguimos entender melhor o que era, apenas partimos disso".[28] Os dois selecionaram algumas entre as 30 canções que haviam escrito até então. Brendon disse que a parte mais animadora do processo era "... Você tem todo o trabalho pronto, grava a canção, faz o arranjo e então pode adicionar algumas coisinhas engraçadas, pequenos pedaços de vozes, falas e instrumentos estranhos que você nunca tinha usado antes".[20] Eles fizeram experimentos, como usar um iPad para fazer sintetização no disco. A banda também trabalhou com os franceses da Plastiscines e usou um coral infantil na faixa "Nearly Witches (Ever Since We Met...)".[29]

A maior parte do material anterior da banda havia sido composto pelo seu ex-guitarrista Ryan Ross. Para Vices & Virtues, Brendon teve que "tomar as rédeas liricamente," algo com o qual ele disse não ter muita expereriência até então. A maior inspiração para eles foi se manterem ocupados e saindo, ao invés de se fecharem para escrever. Brendon afirmou que as letras são "muito honestas e simples". Ele explicou, "Nós estávamos tão conscientes sobre tudo, por dentro do que estávamos fazendo, que quando íamos escrever era como, "Certo, eu não quero que isso seja 'Mandy', do Barry Manilow, mas quero que seja tão romântica e bonita quanto ela". Mas acabou sendo ótimo e estou feliz por termos descoberto sobre o que queríamos escrever". As letras também refletem a confusão depois da partida de Ryan e Jon.[20] As sessões com Feldmann no estúdio de sua casa os ajudaram a experimentar novos sons. "Nós realmente amávamos Paul Simon e começamos a usar marimbas e instrumentos de corda," Brendon explicou. "Acabamos comprando alguns sintetizadores e brincando com eles. Éramos como duas crianças em uma loja de doces..."[22]

"The Ballad of Mona Lisa" foi descrita pela Alternative Press como tendo "a energia pop otimista de A Fever You Can't Sweat Out, com o foco e a clareza de Pretty. Odd.". Brendon explicou que ele e Spencer alcançaram um som que era mais parecido com o primeiro: "Nós deixamos de lado algumas coisas do nosso primeiro álbum em termos de sonoridade, como esses pequenos instrumentos que não usamos no segundo. Eles eram vários instrumentos orgânicos e não eletrônicos ou sintetizadores. Então nós quisemos recuperar um pouco disso".[20] Spencer concordou, e disse "Eu acho que há coisas do primeiro álbum que nós não usamos no segundo e que pessoas que gostaram do primeiro vão aprovar". "The Calendar", escrita originalmente sobre uma relação amorosa entre um homem e uma mulher, logo começou a se encaixar em sua amizade com os membros que deixaram a banda; a canção foi finalizada como uma resposta direta para sua saída do grupo.[30] "Sarah Smiles" foi escrita para a namorada de Brendon, com ele dizendo, "é sobre a minha namorada, na verdade, tão sentimental quanto é. Quando a escontrei, escrevi essa canção para tentar impressioná-la. Eu fiquei encantado por ela. A toquei para ela e estamos saindo desde então. Esse foi um grande passo para mim, pessoalmente".[22]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda durante a turnê Vices & Virtues, em New York City, 1 de fevereiro de 2011.

O título do álbum e algumas outras informações foram anunciadas na edição de dezembro de 2010 da Alternative Press: ele estava previsto para ser lançado em março de 2011, com o primeiro single, inicialmente chamado 'Mona Lisa', marcado para janeiro de 2011.[31] A banda fez o photoshoot promocional para Vices & Virtues com o designer Anthony Franco em 8 de janeiro de 2011.[32] Em 18 de janeiro, eles revelaram através de sua página oficial que o álbum seria lançado em 29 de março de 2011 e, em 25 de janeiro, sua capa foi revelada.[24] [33] Mais tarde, a data de lançamento foi adiantada para 22 de março de 2011.[34]

Seu primeiro single foi "The Ballad of Mona Lisa", lançado em 1 de fevereiro de 2011. O videoclipe do single foi liberado no dia 8 do mesmo mês.[34] "The Ballad of Mona Lisa" foi recebido com críticas geralmente positivas, com muitos apontando semelhanças entre seu som e o de A Fever You Can't Sweat Out.[35]

A edição deluxe do álbum inclui a demo "Oh Glory", que havia sido liberada em julho de 2009 na página oficial da banda como uma prévia de 30 segundos.[36] Como Pretty. Odd., Vices & Virtues alcançou grande popularidade em lojas virtuais; em fevereiro de 2011, havia obtido um top 5 na parada de álbuns do iTunes.[34] Como parte da divulgação para o álbum, a banda fez uma aparição na série Conan, em 28 de março de 2011, e no Lopez Tonight, em 4 de abril.[34] Brendon e Spencer filmaram um curta-metragem de sete minutos para acompanhar o álbum, chamado The Overture. Dirigido por Shane Drake, o curta foi lançado em 9 de março de 2011 e tem diversos trechos de faixas do álbum. Ele contém simbolismos sobre a saída de Ryan e Jon e seguir em frente sem eles na banda.[37]

Em 14 de março de 2011, a banda liberou todas as faixas completas (com exceção das bônus) para streaming em seu Facebook oficial, acompanhadas de um vídeo introdutório gravado pelos dois.[38]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as canções escritas e compostas por Brendon Urie, Spencer Smith e John Feldmann, exceto quando registrado. 

Edição padrão[39]
# Título Compositor(es) Duração
1. "The Ballad of Mona Lisa"   Urie, Smith, Feldmann, Butch Walker 3:49
2. "Let's Kill Tonight"   Urie, Smith 3:12
3. "Hurricane"     3:41
4. "Memories"     3:25
5. "Trade Mistakes"     3:36
6. "Ready to Go (Get Me Out of My Mind)"   Urie, Smith 3:20
7. "Always"     2:33
8. "The Calendar"     3:34
9. "Sarah Smiles"     3:33
10. "Nearly Witches (Ever Since We Met...)"   Urie, Smith, Feldmann, Ryan Ross 4:16
Duração total:
37:27

Paradas musicais[editar | editar código-fonte]

Parada (2011) Melhor
posição
 Austrália - ARIA[42] 6
 Áustria - Austrian Albums Chart[43] 51
 Bélgica - Belgian Albums Chart (Flanders)[44] 71
 Canadá - Canadian Albums Chart[45] 17
 Estados Unidos - Billboard 200[46] 7
 México - AMPROFON[47] 70
 Nova Zelândia - RIANZ[48] 21
 Países Baixos - MegaCharts[49] 76
Suíça - Swiss Albums Chart[50] 90
 Reino Unido - UK Albums Chart[51] 29

Referências

  1. Vices & Virtues - Review (em inglês). AbsolutePunk.net (20-03-2011). Página visitada em 23-03-2011.
  2. Vices & Virtues - Review (em inglês). Allmusic. Página visitada em 28-03-2011.
  3. Vices & Virtues - Review (em inglês). Alternative Press (09-03-2011). Página visitada em 23-03-2011.
  4. Vices & Virtues (2011) (em inglês). Entertainment Weekly (23-03-2011). Página visitada em 23-03-2011.
  5. Panic! at the Disco: Vices & Virtues – review (em inglês). The Guardian (24-03-2011). Página visitada em 28-03-2011.
  6. Panic! At The Disco's Vices & Virtues: Fever Dreams, New Perspectives (em inglês). MTV (02-03-2011). Página visitada em 23-03-2011.
  7. Vices & Virtues (em inglês). Rolling Stone (23-03-2011). Página visitada em 23-03-2011.
  8. Novo álbum do Panic! At The Disco tem lançamento adiantado (em português). PopLine (16-02-2011). Página visitada em 16-02-2011.
  9. Panic! At The Disco - The Ballad Of Mona Lisa (em inglês). aCharts.us. Página visitada em 13-02-2011.
  10. Panic At The Disco confirm new album release date (em inglês). NME (31-01-2011). Página visitada em 16-02-2011.
  11. Vices & Virtues - Panic at the Disco (em inglês). Metacritic. Página visitada em 06-04-2011.
  12. Panic At The Disco talk 'Pretty. Odd' follow-up (em inglês). NME. Página visitada em 18-03-2011.
  13. Panic At The Disco Working On 'Pretty Awesome' New Material, May Direct Next Video Themselves (em inglês). MTV (01-08-2008). Página visitada em 18-03-2011.
  14. Panic At The Disco On New Album: 'We've Always Been Fans Of Pop Music' (em inglês). MTV (02-06-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  15. a b c Panic! At The Disco's Spencer Smith Wants New Music To Do The Talking (em inglês). MTV (30-08-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  16. a b Panic at the Disco Breaking Up? Ryan Ross & Jon Walker Leave Band (em inglês). NowPublic (06-07-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  17. Exclusive: Ryan Ross Talks About Leaving Panic! At The Disco (em inglês). MTV (03-06-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  18. AltPress Exclusive: First Ryan Ross-less Panic At The Disco song out August 17 (em inglês). AltPress (07-07-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  19. Panic! At The Disco regain exclamation point, post new demo (em inglês). AltPress (10-07-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  20. a b c d e f g Panic! At The Disco frontman Brendon Urie opens up about “Vices & Virtues” (em inglês). AltPress (24-01-2011). Página visitada em 18-03-2011.
  21. Exclusive: Spencer Smith Reveals New Members Of Panic! At The Disco (em inglês). MTV (26-07-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  22. a b c Panic! at the Disco Grow Up for New Album (em inglês). Spin (31-01-2011). Página visitada em 18-03-2011.
  23. Panic! At the Disco survivors gain "Perspective" (em inglês). Reuters (21-08-2009). Página visitada em 18-03-2011.
  24. a b Panic! At The Disco Sets Mar. 29 Release for 'Vices & Virtues' (em inglês). Billboard (19-01-2011). Página visitada em 21-03-2011.
  25. Panic! At The Disco post pics from the studio (em inglês). AltPress (07-03-2010). Página visitada em 21-03-2011.
  26. Panic At The Disco Report Recording Progress (em inglês). ThePunkSite (05-07-2010). Página visitada em 21-03-2011.
  27. Panic! At the Disco (em inglês). Urbanatomy.com (26-07-2010). Página visitada em 21-03-2011.
  28. Montgomery, James (25-01-2011). Panic! At The Disco Say Vices & Virtues Is 'All Over The Place'. MTV. Página visitada em 25-01-2011.
  29. Gaston, Peter (25-03-2011). Panic! at the Disco Go French, Rock iPads. Spin. Página visitada em 25-03-2011.
  30. Montgomery, James (02-02-2011). Panic! At The Disco Move Forward, Address The Past On Vices & Virtues. MTV. Página visitada em 03-02-2011.
  31. Tyler Common. "Panic! At The Disco say new album is "nearly finished", reveal title and single details", Alternative Press, 20-12-2010. Página visitada em 16-01-2011.
  32. CD & promos shoot. P!ATDOnine.ncom. Página visitada em 20-01-2011.
  33. James. "Panic! At the Disco Unveil Vices & Virtues Cover Art -- Exclusive", AOL, 20-01-2011. Página visitada em 25-01-2011.
  34. a b c d "Panic! At The Disco Respond to Public Demand; VICES & VIRTUES to Be Released on March 22nd", Marketwire, 15-02-2011. Página visitada em 14-02-2011.
  35. Emily Tan. "Panic! At the Disco Cry at 'Vices & Virtues' Live Debut", AOL, 02-02-2011. Página visitada em 03-02-2011.
  36. Marie Scarsella. "Panic! at the Disco's "Oh Glory"", SILive.com, 16-07-2009. Página visitada em 19-01-2011.
  37. Kevin Rutherford. "Panic! at the Disco Alludes to Departure of Members in Short Film", Billboard, 10-03-2011. Página visitada em 10-03-2011.
  38. "Panic! At the Disco Facebook". Página visitada em 15-03-2011.
  39. Goodman, William (31-01-2011). Panic! at the Disco Grow Up for New Album (em inglês). Spin. Página visitada em 16-02-2011.
  40. Vices & Virtues (Deluxe Version) (em inglês). iTunes. Página visitada em 18-03-2011.
  41. Panic! At The Disco (em inglês). Shockhound. Página visitada em 18-03-2011.
  42. Top 50 Albums Chart - 28/03/2011 (em inglês). ARIA (WebCite). Arquivado do original em 31-03-2011. Página visitada em 31-03-2011.
  43. PANIC! AT THE DISCO - VICES & VIRTUES (ALBUM) (em alemão). Austriancharts. Página visitada em 09-04-2011.
  44. PANIC! AT THE DISCO - VICES & VIRTUES (ALBUM) (em francês). Ultratop. Página visitada em 09-04-2011.
  45. ALBUMS : Top 100 (em inglês). JAM (WebCite). Arquivado do original em 06-04-2011. Página visitada em 06-04-2011.
  46. Chris Brown Nets First No. 1 Album on Billboard 200 Chart (em inglês). Billboard. Página visitada em 31-03-2011.
  47. Los Más Vendidos (PDF) (em inglês). AMPROFON (WebCite). Arquivado do original em 06-04-2011. Página visitada em 06-04-2011.
  48. Top 40 Albums - 28/03/2011 (PDF) (em inglês). RIANZ. Página visitada em 31-03-2011.
  49. Dutch Albums Top 100 (em inglês). aCharts.us. Página visitada em 31-03-2011.
  50. PANIC! AT THE DISCO - VICES & VIRTUES (ALBUM) (em alemão). Hitparade. Página visitada em 09-04-2011.
  51. Vices & Virtues (em inglês). ChartStats. Página visitada em 06-04-2011.