Acervo da Música Brasileira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Acervo da Música Brasileira
Manoel Dias de Oliveira (c.1735-1813) - Missa de Oitavo Tom, editada e gravada na série Acervo da Música Brasileira
Livros
v.1 - Pentecostes
v.2 - Missa
v.3 - Sábado Santo
v.4 - Conceição e Assunção de Nossa Senhora
v.5 - Quinta-feira Santa
v.6 - Natal
v.7 - Devocionário popular aos santos
v.8 - Ladainha
v.9 - Música Fúnebre
Informações
Autor Paulo Castagna (coord. musicológica)
Carlos Alberto Figueiredo (coord. editorial)
Idioma original Português, Latim
Publicado entre 2001-2003
Editora Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, Petrobras e Santa Rosa Bureau Cultural
Gênero Música (partituras)

Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras (AMB) foi um projeto da Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana (FUNDARQ), Petrobras e Santa Rosa Bureau Cultural (Belo Horizonte - MG), com a coordenação musicológica de Paulo Castagna, que resultou na reorganização da Coleção Dom Oscar de Oliveira do Museu da Música de Mariana e na publicação de uma série de 9 volumes de partituras e de CDs com música sacra brasileira dos séculos XVIII e XIX, editadas a partir de fontes musicais desse acervo.

Histórico e descrição[editar | editar código-fonte]

O projeto Acervo da Música Brasileira (AMB) surgiu no ano 2000, a partir de uma parceria entre a Petrobras, o Santa Rosa Bureau Cultural[1] e a Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana (FUNDARQ), instituição que gerencia os bens e as instituições culturais dessa região eclesiástica. O trabalho teve início em fevereiro de 2001 e foi concluído em dezembro de 2003,[2][3][4] sendo orientado por três objetivos básicos:[5][6]

  • Tratamento da Coleção Dom Oscar de Oliveira, a partir de metodologia arquivístico-musical atualizada;
  • Edição de 51 obras sacras dos séculos XVIII e XIX em 9 volumes de partituras, por musicólogos de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo
  • Gravação, por grupos musicais de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, de todas as composições musicais editadas.

Participaram do trabalho musical e musicológico do projeto, por área de atuação, os seguintes profissionais e grupos musicais:

  • Tratamento da Coleção Dom Oscar de Oliveira: André Guerra Cotta (coordenador da área), Paulo Castagna, Maria Teresa Gonçalves Pereira, Maria José Ferro de Souza, Chiquinho de Assis (Francisco de Assis Gonzaga da Silva) e Vladmir Agostini Cerqueira;
  • Edição: Carlos Alberto Figueiredo (coordenador da área), Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna, Aluízio Viegas, André Guerra Cotta, Vítor Gabriel de Araújo, Fernando Pereira Binder e Clóvis Afonso de André.
  • Gravação: Rubner de Abreu (coordenador da área), Conjunto Calíope e Orquestra Santa Teresa (regente Júlio Moretzsohn); Coral de Câmara São Paulo e Orquestra Engenho Barroco (regente Naomi Munakata), Grupo Árcade da UFMG (regente Rafael Grimaldi), Grupo Vocal Brasilessentia e Orquestra Engenho Barroco (regente Vítor Gabriel de Araújo), Coral Ars Nova (regente Carlos Alberto Pinto Fonseca) e Coral da Escola de Música da UFMG (regente Afrânio Lacerda).

Ao início do projeto, o acervo do Museu da Música encontrava-se provisoriamente instalado em uma ala lateral da residência arquiepiscopal de Mariana à Praça Gomes Freire (depois de ter permanecido no Arquivo Eclesiástico da Arquidiocese de Mariana até 1988), mas a divulgação desta série acabou estimulando várias outras ações de desenvolvimento do Museu da Música, entre elas a realização do I Colóquio Brasileiro de Arquivologia e Edição Musical em 2003 (cujos Anais foram impressos em 2004),[7] o primeiro do gênero na América Latina, e o recebimento, em 4 de dezembro de 2002, do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do IPHAN.[8][9][10]

O projeto Acervo da Música Brasileira conferiu uma nova situação ao Museu da Música, que resultou no recebimento do Diploma do Registro Regional para a América Latina e o Caribe (MOWLAC), do Programa Memória do Mundo da UNESCO, em 2 de dezembro de 2011, tornando esta a primeira instituição brasileira e latino-americana do gênero com esse tipo de distinção.[11] [12] [13] [14] [15] O projeto também viabilizou a edição, em 2005, do livro Lobo de Mesquita no Museu da Música, 10º volume de partituras do Museu da Música, sob a direção de André Guerra Cotta, com obras de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746?-1805), no bicentenário do seu falecimento,[16] bem como a transferência do Museu da Música para o Palácio da Olaria em 2007 e a realização de novos projetos musicológicos, entre eles a Digitalização da Coleção Dom Oscar de Oliveira. A série AMB também se tornou modelo metodológico para coletâneas e projetos editoriais subsequentes, como o próprio livro Lobo de Mesquita no Museu da Música (2005) e a série Patrimônio Arquivístico-Musical Mineiro (PAMM), da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais (2008-2011).

Concepção editorial[editar | editar código-fonte]

Do ponto de vista editorial, esta série partiu da existência de uma rede de iniciativas semelhantes, principiadas na publicação de composições sacras brasileiras dos séculos XVIII e XIX, em periódicos da primeira metade do século XX (especialmente obras de José Maurício Nunes Garcia), impressas em coletâneas a partir do Archivo de Música Religiosa de la “Capitania Geral das Minas Gerais” (Siglo XVIII), Brasil, por Francisco Curt Lange (Mendoza: Universidad Nacional de Cuyo, 1951).[17] A partir dessa publicação, surgiram outras séries editoriais dedicadas ao patrimônio histórico-musical brasileiro, com destaque para as seguintes:

Como critério de seleção das obras, a série AMB adotou a reunião de obras em torno de nove temas litúrgicos, em uma tentativa de evitar a publicação de coletâneas não-temáticas ou focadas em autores específicos, mas também como forma de privilegiar a liturgia por ter representado o principal critério de acumulação de fontes musicais nos acervos de música sacra recolhidos ao Museu da Música de Mariana. A pesquisa litúrgica - que incluiu a identificação da função cerimonial de cada peça, bem como a identificação, estabelecimento e tradução dos textos latinos - ficou a cargo de Aluízio Viegas, mas também contou com a colaboração de liturgistas e latinistas de São João del-Rei, especialmente Abgar Campos Tirado.

Paralelamente, a série deu prioridade a obras nunca antes impressas ou gravadas,[1] além de selecionar música dos mais representativos compositores brasileiros do período, como José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (Serro1746? - Rio de Janeiro1805), Manoel Dias de Oliveira (São José del-Rei, c.1735-1813), Jerônimo de Sousa Lobo (1717-entre 1798/1803), Jerônimo de Sousa Queirós (1798-1828), João de Deus de Castro Lobo (Vila Rica1794 - Mariana1832), José Maurício Nunes Garcia (Rio de Janeiro, 1767-1830), Francisco Manuel da Silva (Rio de Janeiro1795-1865) e Emilio Soares de Gouvêa Horta Junior (São João do Morro Grande1839 - Juiz de Fora1907).[19]

Critérios editoriais[editar | editar código-fonte]

Todas as edições foram baseadas em fontes musicais do Museu da Música de Mariana, ainda que com a eventual consulta de fontes de outros acervos, todas referidas nos volumes impressos. Por essa razão, o projeto priorizou a edição de fontes em relação à edição de obras. Além da metodologia atualmente aceita no âmbito musicológico internacional, o projeto adotou os seguintes procedimentos:

  • Indicação de local de recolhimento (cidade, acervo e código) e descrição precisa das fontes musicais utilizadas
  • Organização de volumes a partir de critérios litúrgicos
  • Estudo das funções litúrgicas de cada uma das obras selecionadas
  • Localização de versões oficiais dos textos latinos e tradução para o português daqueles nunca antes traduzidos para este idioma
  • Explicitação dos critérios editoriais adotados
  • Descrição das intervenções gerais realizadas pelos editores, em comentários introdutórios
  • Aparato crítico, com o registro da situação da fonte para cada intervenção específica
  • Disponibilização online das partituras e das fontes musicais utilizadas para a edição na página do projeto (posteriormente incorporada à página do Museu da Música de Mariana)[20]
  • Posterior disponibilização online das partituras e das partes cavadas no International Music Score Library Project / Petrucci Music Library (IMSLP).[21]
  • Identificação das obras, nas versões disponibilizadas no IMSLP, com o código AMB (01 a 51), para facilitar sua indexação.[22]

Volumes publicados[editar | editar código-fonte]

Partituras[editar | editar código-fonte]

  1. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Pentecostes; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; pesquisa, edição e texto Marcelo Campos Hazan, Vítor Gabriel de Araújo, André Guerra Cotta, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 348p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.1)
  2. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Missa; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; pesquisa, edição e texto Aluízio José Viegas, Carlos Alberto Figueiredo, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 300p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.2) ISBN 85-88966-03-4 ou 8588966034.
  3. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Sábado Santo; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; pesquisa, edição e texto André Guerra Cotta, Paulo Castagna, Carlos Alberto Figueiredo. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 300p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.3) ISBN 85-88966-02-6 ou 8588966026.
  4. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Conceição e Assunção de Nossa Senhora; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto André Guerra Cotta, Carlos Alberto Figueiredo, Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 266p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.4) ISBN 85-88966-06-9 ou 8588966069.
  5. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Natal; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto Carlos Alberto Figueiredo, Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 298p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.5) ISBN 85-88966-07-7.
  6. (2002) CASTAGNA, Paulo (coord.). Quinta-feira Santa; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto André Guerra Cotta, Carlos Alberto Figueiredo, Clóvis de André, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2002. 326p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.6) ISBN 85-88966-08-5.
  7. (2003) CASTAGNA, Paulo (coord.). Devocionário Popular aos Santos; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto André Guerra Cotta, Carlos Alberto Figueiredo, Fernando Pereira Binder, Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2003. 303p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.7).
  8. (2003) CASTAGNA, Paulo (coord.). Ladainha de Nossa Senhora; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto André Guerra Cotta, Fernando Pereira Binder, Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2003. 373p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.8).
  9. (2003) CASTAGNA, Paulo (coord.). Música fúnebre; coordenação musicológica Paulo Castagna; coordenação editorial Carlos Alberto Figueiredo; coordenação da revisão Marcelo Campos Hazan; assessoria litúrgica Aluízio José Viegas; pesquisa, edição e texto Carlos Alberto Figueiredo, Marcelo Campos Hazan, Paulo Castagna. Belo Horizonte: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana, 2003. 272p. (Acervo da Música Brasileira / Restauração e Difusão de Partituras, v.9).

CDs completos[editar | editar código-fonte]

  1. (2001) Pentecostes - Coral da Escola de Música da UFMG e músicos convidados (MG), direção Afrânio Lacerda
  2. (2001) Missa - Coral de Câmara São Paulo e Orquestra Engenho Barroco (SP), direção Naomi Munakata
  3. (2001) Sábado Santo - Grupo Vocal Calíope e Orquestra Santa Teresa (RJ), direção Júlio Moretszohn
  4. (2002) Conceição e Assunção de Nossa Senhora - Coral Ars Nova e músicos convidados (MG), direção Carlos Alberto Pinto Fonseca
  5. (2002) Natal - Grupo Vocal Brasilessentia e Orquestra Engenho Barroco (SP), direção Vítor Gabriel
  6. (2002) Quinta-feira Santa - Grupo Vocal Calíope e Orquestra Santa Teresa (RJ), direção Júlio Moretszohn
  7. (2003) Devocionário Popular aos Santos - Grupo Árcade (UFMG) e músicos convidados (MG), direção Rafael Grimaldi
  8. (2003) Ladainha de Nossa Senhora - Coral de Câmara São Paulo e Orquestra Engenho Barroco (SP), direção Naomi Munakata
  9. (2003) Musica Fúnebre - Grupo Vocal Calíope e Orquestra Santa Teresa (RJ), direção Júlio Moretszohn

Tabela de edições e gravações por obra[editar | editar código-fonte]

Partitura Audio Autor Título
Pentecostes (AMB, v.1, 2001)
AMB 01 Audio 01 João de Deus de Castro Lobo (1794-1832) Matinas do Espírito Santo
AMB 02 Audio 02 Não identificado (século XVIII) Vidi aquam
AMB 03 Audio 03 João de Araújo Silva (século XVIII) Gradual do Espírito Santo
AMB 04 Audio 04 Miguel Teodoro Ferreira (fl.1788-1818) Gradual e Ofertório do Espírito Santo
AMB 05 Audio 05 Frutuoso de Matos Couto (1797-c.1857) Novena do Espírito Santo
AMB 06 Audio 06 Francisco Manuel da Silva (1795-1865) Te Deum (em Sol)
Missa (AMB, v.2, 2001)
AMB 07 Audio 07 Manoel Dias de Oliveira (c.1735-1813) Missa abreviada em Ré
AMB 08 Audio 08 Manoel Dias de Oliveira (c.1735-1813) Missa de oitavo tom
AMB 09 Audio 09 Joaquim de Paula Sousa (c.1780-1842) Missa Pequena em Dó
AMB 10 Audio 10 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Missa em Mi bemol
Sábado Santo (AMB, v.3, 2001)
AMB 11 Audio 11 José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746?-1805) Matinas do Sábado Santo
AMB 12 Audio 12 Não identificado (século XVIII) Tractos, Missa e Vésperas do Sábado Santo
AMB 13 Audio 13 José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746?-1805) Magnificat
Conceição e Assunção de Nossa Senhora (AMB, v.4, 2002)
AMB 14 Audio 14 Não identificado (século XVIII) Novena de Nossa Senhora da Conceição
AMB 15 Audio 15 Não identificado (século XVIII) Invitatório e Jaculatória da Novena de Nossa Senhora da Conceição
AMB 16 Audio 16 Não identificado (século XVIII) Novena de Nossa Senhora da Assunção
AMB 17 Audio 17 Não identificado (século XVIII) Tota pulchra es, Maria
AMB 18 Audio 18 Não identificado (século XIX) Sicut cedrus
AMB 19 Audio 19 Não identificado (século XVIII) Beatam me dicent
AMB 20 Audio 20 Não identificado (século XVIII) Ofertório de Nossa Senhora da Assunção
AMB 21 Audio 21 Francisco Manuel da Silva (1795-1865) Ladainha (em Sol)
AMB 22 Audio 22 Emílio Soares de Gouveia Horta Júnior (1839-1907) Maria, Mater gratiæ (Ária ao Pregador)
Natal (AMB, v.5, 2002)
AMB 23 Audio 23 Não identificado (século XVIII) Matinas do Natal
AMB 24 Audio 24 Francisco da Luz Pinto (?-1865) Te Deum
AMB 25 Audio 25 Carlos Gonçalves de Moura (século XIX) Hodie Christus natus est (Solo ao Pregador)
Quinta-feira Santa (AMB, v.6, 2002)
AMB 26 Audio 26 Jerônimo de Sousa Queirós (século XIX) Matinas de Quinta-feira Santa
AMB 27 Audio 27 Não identificado (século XVIII) Miserere
AMB 28 Audio 28 Não identificado (século XVIII) Gradual e Ofertório de Quinta-feira Santa (em Fá)
AMB 29 Audio 29 Não identificado (século XVIII) Gradual e Ofertório de Quinta-feira Santa (em Ré)
AMB 30 Audio 30 Bento Pereira [de Magalhães?] (século XVIII) Pange lingua
Devocionário Popular aos Santos (AMB, v.7, 2003)
AMB 31 Audio 31 Não identificado (século XVIII) Trezena de São Francisco de Paula
AMB 32 Audio 32 Não identificado (século XVIII) Trezena de Santo Antônio de Pádua
AMB 33 Audio 33 Não identificado e João de Deus de Castro Lobo (1794-1832) Novena de São Francisco de Assis
AMB 34 Audio 34 João de Deus de Castro Lobo (1794-1832) Plorans ploravit
AMB 35 Audio 35 Miguel Teodoro Ferreira (fl.1788-1818) Responsório de São Caetano
AMB 36 Audio 36 Não identificado (século XVIII) Responsório de Santo Antônio de Pádua
AMB 37 Audio 37 Emílio Soares de Gouveia Horta Júnior (1839-1907) Hino a Santa Cecília
Ladainha de Nossa Senhora (AMB, v.8, 2003)
AMB 38 Audio 38 José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita (1746?-1805) Ladainha em Si bemol Maior
AMB 39 Audio 39 José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita e Gervásio José da Fonseca Ladainha em Lá Maior
AMB 40 Audio 40 Jerônimo de Sousa Lobo (século XVIII) Ladainha em Sol Maior
AMB 41 Audio 41 Francisco de Melo Rodrigues (fl.1786-1844) Ladainha em Lá menor
AMB 42 Audio 42 Não identificado (século XVIII) Ladainha em Ré Maior (a três vozes)
Música Fúnebre (AMB, v.9, 2003)
AMB 43 Audio 43 João de Deus de Castro Lobo (1794-1832) Seis Responsórios Fúnebres
AMB 44 Audio 44 Florêncio José Ferreira Coutinho (c.1750-1819) Encomendação para Anjinhos
AMB 45 Audio 45 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Matinas e Encomendação de Defuntos
AMB 46 Audio 46 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Memento I
AMB 47 Audio 47 Não identificado (século XVIII) Memento II
AMB 48 Audio 48 Não identificado (século XVIII) Memento III
AMB 49 Audio 49 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Libera me
AMB 50 Audio 50 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Memento IV
AMB 51 Audio 51 José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) Ego sum resurrectio

Textos e índices[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também (Wikipédia)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Santa Rosa Bureau Cultural - Projeto Acervo da Música Brasileira». www.santarosacultural.com.br. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  2. CASTAGNA, Paulo. «Os 40 anos (e vários séculos) do Museu da Música de Mariana». Glosas, Lisboa, n.8, mai. 2013, p.59-63. ISSN 2182-1380. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  3. CASTAGNA, Paulo (2005). «El Museo de la Música de Mariana (MG-Brasil) y el proyecto Acervo de la Música Brasileña». V ENCUENTRO SIMPOSIO INTERNACIONAL DE MUSICOLOGÍA, FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA RENACENTISTA Y BARROCA AMERICANA 'MISIONES DE CHIQUITOS', Santa Cruz de la Sierra, 2004. Actas. Santa Cruz de la Sierra: APAC. p.147-162. Consultado em 9 de julho de 2015 
  4. PAULIN, Alberto (2001). «O Projeto do Museu da Música de Mariana». Academia Musical de Indias, Paris. Consultado em 9 de julho de 2015 
  5. CASTAGNA, Paulo (2003). «Novas perspectivas para a pesquisa musicológica no Brasil». Asociación Musical de Índias. Consultado em 27 de agosto de 2015 
  6. CASTAGNA, Paulo (jul. 2002). «Vida nova para o Museu da Música de Mariana». Concerto, São Paulo, ano 7, n.75, p.13. Consultado em 27 de agosto de 2015 
  7. CASTAGNA, Paulo (org.) (2004). Anais do I Colóquio Brasileiro de Arquivologia e Edição MusicalMariana, Museu da Música e Colégio Providência, 18-20 jul. 2003. [S.l.]: Mariana: Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana. 328p. [S.l.: s.n.] 
  8. IPHAN (2002). «Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade - Edição 2002». Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Consultado em 27 de agosto de 2015 
  9. IPHAN (dez. 2002). «Categoria Inventários de Acervos e Pesquisa» (PDF). Patrimônio: Informativo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, dez. 2002, Especial, p.6-7. Consultado em 27 de agosto de 2015 
  10. PAOLINELLI, Marcelo (4 nov. 2002). «Projeto de partituras ganha prêmio nacional». São Paulo. Diário da Tarde 
  11. UNESCO. Comité Regional para a America Latina y Caribe - MOWLAC / Regional Committee for Latin America and the Caribean - MOWLAC (2002–2014). «Nominaciones por año / Nominations by year» (PDF). UNESCO. Consultado em 9 de julho de 2015 
  12. OLIVEIRA, Merania (2 dez. 2011). «UNESCO declara acervo do Museu da Música de Mariana Patrimônio da Humanidade». Território Notícias, Belo Horizonte. Consultado em 9 de julho de 2015 
  13. NUNES, Glayson (2 dez. 2011). «Unesco reconhece Museu da Música, em Mariana – MG». Portal do IPHAN, Brasília. Consultado em 9 de julho de 2015 
  14. AGÊNCIA FAPESP (11 jan. 2012). «Projeto no Museu da Música de Mariana é reconhecido pela Unesco». Fapesp, São Paulo. Consultado em 9 de julho de 2015 
  15. AGÊNCIA FAPESP (11 jan. 2012). «Acervo do Museu da Música de Mariana é reconhecido pela Unesco». Fapesp, São Paulo. Consultado em 9 de julho de 2015 
  16. COTTA, André Guerra (org.) (2005). Lobo de Mesquita no Museu da Música. [S.l.]: Mariana: Fundarq. 180 páginas 
  17. LANGE, Francisco Curt (1951). Archivo de Música Religiosa de la “Capitania Geral das Minas Gerais” (Siglo XVIII), Brasil: Hallazgo, Restauración y Prólogo, Francisco Curt Lange. Tomo I. Mendoza: Departamento de Musicología, Universidad Nacional de Cuyo. 102p. [S.l.: s.n.] 
  18. NEVES, José Maria (org.) (1997). Catálogo de obras: música sacra mineira. Rio de Janeiro: Funarte. 137p. [S.l.: s.n.] 
  19. COTTA,, André Guerra. «Emílio Soares e a ópera: ressonâncias românticas na Itabira do século XXI». www.academia.edu. Consultado em 17 de fevereiro de 2016 
  20. «Acervo da Música Brasileira». Museu da Música de Mariana. 2001. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  21. «IMSLP/Petrucci Music Library: Free Public Domain Sheet Music». imslp.org. Consultado em 16 de fevereiro de 2016 
  22. «Catálogo de Publicações de Música Sacra e Religiosa Brasileira». www.musicasacrabrasileira.com.br. Consultado em 16 de fevereiro de 2016