Adaptação fílmica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Adaptação fílmica (nomenclatura portuguesa e brasileira)[1] ou adaptação cinematográfica (nomenclatura brasileira e portuguesa)[2][3] é o uso, para a realização de um filme, de conteúdo de ficção ou não-ficção que tenha sido previamente publicado como texto escrito, seja na forma de romance, conto, biografia, reportagem, peça teatral, quadrinhos entre outros formatos textuais. Desde as primeiras fases do cinema, na Europa do século XIX, a adaptação de obras tão diversas tem sido uma prática omnipresente de cinema.

Embora frequentemente seja considerado um tipo de trabalho derivado, acadêmicos e estudiosos contemporâneos, como Robert Stam, conceitualizam a adaptação cinematográfica como um processo dialógico.[4]

O roteiro cinematográfico escrito desta forma é chamado de roteiro adaptado, em contraste com o roteiro original, que se constitui de material escrito especialmente para o filme em questão.

Referências

  1. Ikeda, Marcelo (2012). «Cinema e literatura: um exemplo de como os modos de produção fílmica podem influenciar as questões da adaptação». Revista Fronteiras - estudos midiáticos. 14 (1): 3-12. Consultado em 17 de junho de 2017 
  2. «Trilogia "Senhor dos Anéis" eleita como a melhor adaptação cinematográfica de literatura infantil». Expresso. 5 de dezembro de 2007. Consultado em 16 de junho de 2017 
  3. «Primeiro filme da série literária "Uma Aventura" estreia-se quinta-feira». Visão. 2 de dezembro de 2009. Consultado em 16 de junho de 2017 
  4. Stam, Robert (2000). Bakhtin: da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Ática 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.