Anglo American

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anglo American
Razão social Anglo American plc.
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação LSE: AAL
JSE: ANGLO
Indústria Mineração
Fundação 1917
Sede Londres,  Reino Unido
Presidente Mark Cutifani
Pessoas-chave Sir John Parker, Ruben Fernandes (Brasil)
Empregados 87.000
Produtos Ouro
Platina
Diamantes
Carvão
]
Metais básicos
Ferro
Metais industriais
Subsidiárias De Beers
Tarmac Group
Lafarge Tarmac 50%
Faturamento Aumento US$ 33,063 bilhões (2013)[1]
Website oficial www.angloamerican.com/

Anglo American plc é um conglomerado britânico[2] que atua no ramo da mineração, sendo um dos maiores do mundo, nessa área de negócios, dedicando-se notadamente à exploração e beneficiamento de metais do grupo da platina (rutênio 44Ru, ródio 45Rh, paládio 46Pd, ósmio 76Os, irídio 77Ir, platina 78Pt, e, conforme a fonte, rênio 75Re), diamantes, cobre, níquel, minério de ferro, carvão . Opera na África, Europa, América do Sul, América do Norte e Austrália.[3] O lucro operacional da Anglo American plc. em 2016 foi de USD 1.7 bilhões.

A origem do grupo remonta a 1917 e está ligada à exploração de minas na África do Sul.

Desde 1999, sua sede foi transferida para Londres, após a fusão da Minorco (sediada em Luxemburgo) com a Anglo American Corporation of South Africa. Atualmente, o Grupo Anglo American conta com 87.000 empregados no mundo.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

A Anglo American instalou-se no Brasil em 1973.

Atualmente possui uma planta de níquel em Niquelândia, a Codemin, no estado de Goiás, a qual começou a ser construída em 1979 e entrou em operação em agosto de 1982, produzindo cerca de dez mil toneladas anuais de níquel contido em liga de ferro-níquel. O grupo ampliou sua produção de níquel em 45,5 mil t/ano de níquel, através de sua nova unidade, em Barro Alto, também no estado de Goiás. O grupo também possuía uma planta de níquel na Venezuela, a Minera Loma de Níquel, que produz 576t anuais de níquel contido em ferro-níquel por ano. Em 2013 ela foi estatizada.

Em agosto de 2008, a Anglo American plc. criou a Anglo Ferrous Brazil – atual Minério de Ferro Brasil - formada a partir da aquisição do Projeto Minas-Rio (extração e beneficiamento de mínério de ferro, com capacidade de produção de 26,5 milhões de toneladas por ano) e do Sistema Amapá (compreendendo a mina, a ferrovia e o porto).

O Minas-Rio tem sua mina em Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais, e a unidade de beneficiamento no município mineiro de Alvorada de Minas. Também faz parte do projeto o maior mineroduto do mundo, com 529 km de extensão, que atravessa 33 municípios mineiros e fluminenses. Além disso, o grupo detém 50% do terminal de minério do Superporto do Açu (em parceria com a Prumo Logística) localizado em São João da Barra, no Rio de Janeiro. O primeiro embarque de minério de ferro foi em outubro de 2014.[4]

Já o Sistema Amapá, foi vendido para a Zamin Ferrous em setembro de 2013 [5].

Em 2016, a Anglo American fez uma revisão do seu portfólio e optou pela venda dos negócios de Nióbio e Fosfatos no Brasil. As operações foram vendidas em setembro de 2016.

  1. http://www.angloamerican.com/~/media/Files/A/Anglo-American-Plc/media/releases/2014pr/pr2014-02-14.pdf
  2. http://www.waronwant.org/campaigns/corporations-and-conflict/mining-conflict-and-abuse/inform/14777-anglo-american-the-alternative-report
  3. Site da Anglo American. "Onde operamos.
  4. «Anglo faz 1º embarque de minério do Minas-Rio; inaugura porto do Açu - Geral - Estadão». Estadão 
  5. http://www.valor.com.br/empresas/3282450/anglo-american-acerta-venda-de-mina-no-amapa-por-us-136-milhoes

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.