António Maria Lino Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
António Maria Lino Neto.

António Maria de Mendonça Lino Neto GOIH (Lisboa, 8 de Julho de 1913 — ?) foi um magistrado judicial, licenciado em Ciências Jurídicas e Ciências Político-Económicas pela Universidade de Lisboa, que entre outras funções de relevo foi provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, deputado à Assembleia Nacional do Estado Novo e Ministro da Justiça, tendo exercido estas últimas funções no período de 7 de Novembro de 1973 a 25 de Abril de 1974.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Terceiro filho varão do professor universitário e político católico António Correia Lino Leitão Neto (1873-1961), licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.[2]

Foi provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, subdirector da Polícia Judiciária de Lisboa e do Porto.[2]

Casou com Ana Maria de Resende Mendes dos Reis (1919 - ?), filha de António Alberto dos Reis (1887 - 1921) e de sua mulher Amélia Augusta Teixeira de Brito de Resende Mendes (1893 - 1985).

Exerceu as funções de chefe de gabinete do Ministro das Corporações.[2]

Foi Ministro da Justiça do governo presidido por Marcello Caetano que estava em fuções quando ocorreu a Revolução dos Cravos, tendo exercido aquelas funções no período de 7 de Novembro de 1973 a 25 de Abril de 1974.[2]

A 18 de Dezembro de 1973 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Referências e Notas

  1. Nota biográfica parlamentar.
  2. a b c d e Neto, A. M. M. Lino (n. 1913).
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Maria de Mendonça Lino Neto". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 24 de abril de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.