António Gonçalves Rapazote

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2014). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
António Gonçalves Rapazote.

António Manuel Gonçalves Ferreira Rapazote (Bragança, 19 de Maio de 1910Coruche, 6 de Dezembro de 1985) foi um político português da época do Estado Novo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

António Manuel Gonçalves Rapazote nasceu a 19 de Maio de 1910, em Bragança.[1]

Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra[1] em 12 de Julho de 1932.

Rapazote foi deputado à Assembleia Nacional durante três legislaturas (VIII, IX e XI) entre 1961 e 1969 e depois de 1973 a 1974. Na X Legislatura (1969-1973) não tomou posse, por integrar o Governo.[1]

Exerceu funções de ministro do Interior[1] entre 19 de Agosto de 1968 e 7 de Novembro de 1973, com responsabilidade directa pela PIDE.

A 27 de Agosto de 1971 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo.[2]

António Gonçalves Rapazote foi presidente do Tribunal de Contas entre 8 de Novembro de 1973 e 25 de Abril de 1974.

Após o derrube do Estado Novo em 1974, Rapazote exilou-se em Espanha não voltando a desempenhar qualquer papel político.[1]

António Manuel Gonçalves Rapazote morreu em 1985.[1]

Referências

  1. a b c d e f Castilho, J. M. Tavares (2009). «Biografia e carreira parlamentar de António Manuel Gonçalves Rapazote.» (PDF). Os Deputados à Assembleia Nacional (1935-1974). Assembleia da República Portuguesa. Consultado em 11 de Maio de 2014 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "António Manuel Gonçalves Rapazote". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de maio de 2014