Barcarena (Pará)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de Barcarena
Bandeira de Barcarena
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Aniversário 30 de dezembro
Fundação 10 de maio de 1897[1]
Gentílico barcarenense[1]
Prefeito(a) Antônio Carlos Vilaça (PSC)
(2017–2020)
Localização
Localização de Barcarena
Localização de Barcarena no Pará
Barcarena está localizado em: Brasil
Barcarena
Localização de Barcarena no Brasil
01° 30' 21" S 48° 37' 33" O01° 30' 21" S 48° 37' 33" O
Unidade federativa Pará Pará
Mesorregião Metropolitana de Belém IBGE/2008 [2]
Microrregião Belém IBGE/2008 [2]
Região metropolitana Belém
Distância até a capital 15 Km km
Características geográficas
Área 1 310 km² [3]
População 118 537 hab. IBGE/2016[4]
Densidade 90,49 hab./km²
Altitude 15 m
Clima Equatorial super úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,772 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 3 890 723 mil (PA: 6º) – IBGE/2014[6]
PIB per capita R$ 34 455,26 IBGE/2014[6]
Página oficial

Barcarena é um município brasileiro do estado do Pará, pertencente à mesorregião Metropolitana de Belém. Localiza-se no norte brasileiro, a uma latitude 01º30'21" sul e longitude 48º37'33" oeste.[7][8]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizado a uma latitude 01º30'21" sul e longitude 48º37'33" oeste, estando a uma altitude de 15 metros acima do nível do mar. O município possui uma população estimada de 115 779 mil habitantes, distribuídos em 1 310,588 km² de extensão territorial.[9][10]

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes das terras de Barcarena foram os índios Aruans, que, durante o período da colônia, antes de 1709 foram catequizados pelos padres jesuítas. Estes se instalaram em terras doadas por Francisco Rodrigues Pimenta, onde fundaram uma fazenda com o nome de Gebirié, depois conhecida como "Missão Geribirié", erigindo aí uma igreja, que ainda serve de matriz. 

Posteriormente, elevado o povoado ã categoria de freguesia, sob a invocação de São Francisco Xavier. Sua elevação à categoria de Vila aconteceu, mediante a promulgação da Lei Estadual nº 494, de 10 de maio de 1897, ocorrendo sua instalação em 2 de janeiro de 1898, segundo estava determinado pelo Decreto nº 513, de 13 de dezembro de 1897.

Devido a sua proximidade de Belém, a cujo território pertenceu até 1938, Barcarena foi palco de importantes acontecimentos durante os agitados anos da Cabanagem. Em seu território morreu o cônego Batista Campos, a 31 de dezembro de 1834. Líder revolucionário paraense que editou um jornal contra o presidente Bernardo Lobo de Souza.[9]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome "Barcarena" se originou da presença, no assentamento populacional, de uma grande embarcação que havia sido batizada como "Arena" vulgarmente conhecida como barca. A junção das duas palavras fez com que a localidade ficasse conhecida como Barcarena. Contudo, também existia em 1487 uma povoação em Portugal chamada Barcarena, e que de lá vinha a maior parte do armamento e pólvora do império Português (Fábrica da Pólvora de Barcarena), provavelmente o nome terá origem nesta localidade Portuguesa[11].

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade é um importante pólo industrial, onde é feita a industrialização, beneficiamento e exportação de caulim, alumina, alumínio e cabos para transmissão de energia elétrica. A economia tem base tradicional na Agricultura, mas também avança com o turismo e com as indústrias instaladas na cidade, gerando crescimento econômico para o município e para o Estado do Pará. É em Barcarena que está localizado o maior porto do Estado do Pará: o Porto de Vila do Conde, onde a Santos Brasil administra o terminal de contêineres "Tecon" Vila do Conde.[12]

Barcarena possui uma variedade muito grande quando o assunto é hospedagem. São empreendimentos que vão do mais simples aos mais requintados que a realidade local oferece.

Quanto na questão de artesanato, Barcarena tem inúmeros trabalhos feitos com sementes e cipós, talas de gurumã e jupati, piaçaba, nó de taperebazeiro e bambu. também existem belissimos trabalhos manuais e que as mulheres têm importância fundamental e criam vestidos, bolsas, sandálias e outros acessórios que compõem um estilo regional bastante variado.

Cultura[editar | editar código-fonte]

 São Raimundo e Nossa Senhora de Nazaré são festejados NO Município de Barcarena nos meses de agosto e novembro, respectivamente. Mas, o evento religioso de maior destaque é a festa do Santo padroeiro da cidade São Francisco Xavier, que é realizada NO dia 3 de dezembro.

Outras manifestações culturais, porém, movimentaram Barcarena. Entre elas, a Quinzena Cívico-Cultural "Presidente Eduardo Angelim", que ocorre NO período de 6 a 20 de julho, cuja finalidade é homenagear o líder cabano, enterrado naquele Município, em 19 de julho de 1882.

Outra manifestação é a homenagem póstuma ao cônego Batista Campos, um dos maiores líderes da Cabanagem, falecido em Barcarena, NO Furo de Atiteua Arrozal, em 31 de dezembro de 1835. Alguns grupos são a expressão do patrimônio da cultura popular do Município: Os Bois-Bumbás, Pai da Tropa e Hei de Vencer ; os pássaros Beija-Flor e Anambé ; AS quadrilhas, além da Pastorinha organizada para AS comemorações natalinas, são AS manifestações de maior importância dentro do cenário cultural.

O artesanato de Barcarena não apresenta grande variedade. AS peças confeccionadas de juta, madeira e palha possuem valor. Os exemplares do patrimônio histórico e cultural mais destacados são: o prédio da igreja de São João, construída por missionários e indígenas, na Vila do Conde, bem como o túmulo de Batista Campos, localizado na fazenda Madre de Deus. Barcarena possui, como equipamento cultural, uma Biblioteca e uma Casa Cultural.o.

Referências

  1. a b «Barcarena» (PDF). IBGE. Consultado em 27 de abril de 2011 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Estimativa Populacional 2016» (PDF). Estimativa Populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2016. Consultado em 21 de dezembro de 2016 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 21 de setembro de 2013 
  6. a b «PIBMunicipal2010-2014». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 21 de dezembro de 2016 
  7. «Estado Pará, Município de Barcarena». IBGE. 2016. Consultado em 13 de junho de 2016 
  8. «Barcarena, Pará - PA.». IBGE. 2015. Consultado em 13 de junho de 2016 
  9. a b «Estado Pará, Município de barcarena». IBGE. 2015. Consultado em 15 de junho de 2016 
  10. «barcarena, Pará - PA.». IBGE. 2015. Consultado em 15 de junho de 2016 
  11. «Fabrica da Pólvora de Barcarena» 
  12. «Tecon Vila do Conde opera duas novas rotas fluviais». Guia Marítimo. Consultado em 30 de janeiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Pará é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.