Cachimbo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cachimbo (desambiguação).
Um cachimbo do tipo 4-Square Billiard

O cachimbo, também chamado pito,[1] é um instrumento utilizado para se fumar, geralmente, tabaco. Também é utilizado alternativamente para se fumar maconha,[2] haxixe[3] e ópio.[4] Versões mais improvisadas de cachimbos feitos com tubos de policloreto de vinila, latas, canos e embalagens costumam ser utilizadas para se fumar pedras de crack.[5]

É composto de um recipiente (o chamado fornilho) onde se queima o fumo, e de um tubo (a chamada piteira) por onde se aspira o fumo. Além de seu uso como forma de lazer, o cachimbo também é usado como peça religiosa pelos povos indígenas americanos[6] e pelas religiões afro-americanas.[7]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

"Cachimbo" deriva do termo quimbundo kixima.[1] "Pito" deriva do tupi petï'ar, "tomar o tabaco".[8]

Matérias-primas do cachimbo[editar | editar código-fonte]

O cachimbo, geralmente, é feito de madeira, mas outras matérias-primas podem ser usadas na sua confecção, como o Meerschaum, espigas de milho, porcelana, acrílico, vidro, barro etc. Meerschaum, palavra alemã que significa "espuma do mar", é um mineral: mais especificamente, um silicato hidratado de magnésio, também chamado sepiolita,[9] encontrado nas costas do Mar Negro e na Turquia.

Formatos de Cachimbo[editar | editar código-fonte]

Existem vários formatos[10] de cachimbo, tais como: billiard, o formato clássico da maioria dos cachimbos; apple; bent apple; calabash; bulldog; straight; churchwarden; volcano etc. O 4-Square Billiard é um cachimbo com as laterais do fornilho quadradas e com a haste da piteira também quadrada. Já no formato Square-Panel, as laterais do fornilho são quadradas mas a piteira é redonda.

Índio pataxó brasileiro com um cachimbo tradicional indígena de madeira

As misturas de fumo para cachimbo[editar | editar código-fonte]

Há uma infinidade de misturas de tabacos, também chamadas blends, disponíveis para os fumantes de cachimbos. São, geralmente, feitas com diversos variedades de tabaco: Virgínia, Burley, Cavendish, Latakia, Perique etc.

O tipo Cavendish, por exemplo, caracteriza tabaco de variedade Virgínia, que foi tratado com açúcar ou mel e uma bebida alcoólica, para lhe conferir suavidade. Recebe este nome porque teria sido inventado pelo navegador e corsário Inglês almirante sir Thomas Cavendish. O tabaco tipo Latakia é um fumo Virgínia fermentado, seco e defumado com fumaça de folhas de pinheiro ou cipreste. Recebe esse nome porque é originário de e produzido na região de Lataquia, na Síria.

História[editar | editar código-fonte]

O uso do cachimbo para se fumar tabaco teve início nas Américas, no período pré-colombiano. Fazia parte de rituais sagrados dos povos ameríndios significando, para algumas culturas, a união do mundo terrestre (representado pelas folhas) com o celeste (representado pela fumaça). Uma das lendas ameríndias que contam essa relação é a Lenda do Búfalo Branco, pertencente à cultura sioux, que atribui uma origem divina ao cachimbo.[11]

Já o uso do cachimbo para se fumar ópio, maconha e haxixe teve origem há milênios atrás no Velho Mundo.[3]

O cachimbo na arte[editar | editar código-fonte]

Nas artes, é famosa uma pintura de René Magritte que é intitulada Ceci n'est pas une pipe, que significa "isto não é um cachimbo". Johann Sebastian Bach dedicou, a seu cachimbo, a ária So oft ich meine Tobackspfeife, um poema musicado em que o compositor atribui, ao fumar o cachimbo, uma antevisão da imortalidade.[12]

O cachimbo na cultura[editar | editar código-fonte]

O cachimbo pode ser usado em qualquer lado, embora, tradicionalmente, as pessoas usem-no em casa ou em escritórios. Antigamente, os americanos quando liam o jornal ou um livro usavam um cachimbo para se concentrarem na leitura. Também era muito usado por desenhadores e roteiristas para se concentrarem ou arranjarem uma ideia para a obra.

Expressões Idiomáticas[editar | editar código-fonte]

As expressões "fumar cachimbo com o inimigo" e "fumar o cachimbo da paz" têm o sentido de oferecer uma trégua ou fazer uma tentativa de reconciliação com um adversário. Elas são uma referência ao costume tradicional dos índios estadunidenses de selar tratados fumando-se cachimbo.[13]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Cachimbo
Wikilivros
O Wikilivros tem um livro chamado Cachimbo

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.307
  2. «Como usar maconha: o guia completo para usuários pacientes». Lombra. Consultado em 24 de abril de 2017. 
  3. a b «Haxixe». Portal São Francisco. Consultado em 18 de junho de 2017. 
  4. «Ópio». Antidrogas. Consultado em 18 de junho de 2017. 
  5. «Ministério distribuí cachimbos para usuários de crack». AIDS.gov.br. Consultado em 20 de julho de 2014. 
  6. «Um estudo de caso sobre o fumo». UFRGS.br. Consultado em 24 de abril de 2017. 
  7. «Fumo na umbanda». Saindo da Matrix. Consultado em 24 de abril de 2017. 
  8. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 341
  9. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p. 1 572.
  10. «Pipe shapes». Pipedia. Consultado em 16 de outubro de 2018. [ligação inativa] 
  11. «A lenda do búfalo branco». Caminhos de Luz. Consultado em 16 de outubro de 2018. 
  12. «Entre homens inteligentes». Sucrilhos Forever. Consultado em 16 de outubro de 2018. 
  13. MCGREGOR, N. A história do mundo em 100 objetos. [S.l.: s.n.] Consultado em 16 de maio de 2017.