Carl Johnson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carl Johnson
Arte oficial de Carl Johnson
Informações gerais
Primeiro jogo Grand Theft Auto: San Andreas (2004)
Criador Rockstar North
Interpretado por Young Maylay
Informações pessoais
Sexo masculino
Terra natal Los Santos, San Andreas
Nacionalidade afro-americano
Afiliação
  • Grove Street Families
  • Varrios Los Aztecas
  • San Fierro Triads
Ocupação

Carl "CJ" Johnson é um personagem fictício da franquia de jogos eletrônicos Grand Theft Auto, da qual é o protagonista jogável do quinto principal jogo da série, Grand Theft Auto: San Andreas, de 2004. CJ é interpretado por Young Maylay, que também serviu como inspiração para a aparência do personagem.

CJ é o vice-líder da Grove Street Families, uma gangue de rua fictícia liderada pelo seu irmão mais velho Sean "Sweet" Johnson, e localizada em Los Santos (uma versão fictícia de Los Angeles), sua cidade natal. CJ é um gângster ingênuo, desajeitado e egoísta, que busca se distanciar da vida do crime. Após a morte de seu irmão mais novo Brian, em 1987, e uma briga com o resto de sua família, ele parte para Liberty City (vagamente baseada em Nova Iorque)[1] em busca de uma vida melhor e fugir de seus problemas, mas acaba voltando cinco anos depois, após o assassinato de sua mãe.[2] Ao voltar, descobre que sua ex-gangue perdeu a maior parte de sua influência e territórios para seus rivais por causa de uma recusa moral de Sweet em se envolver no tráfico de drogas, que estava em ascensão. Ele então concorda em ficar e ajudar a reconstruir a força da Grove, enquanto lentamente tenta se reconciliar com seus parentes e investigar o assassinato de sua mãe. À medida que a história do jogo avança, ele conclui missões cada vez mais difíceis, enquanto aprende a ser menos egoísta, se tornando um criminoso bem-sucedido e se preocupando mais com sua gangue, ganhando destaque fazendo contatos criminosos e se tornando o principal investidor em vários negócios por todo o estado de San Andreas. O personagem foi bem recebido pela crítica especializada e é considerado um dos melhores personagens dos videogames de todos os tempos.

Design do personagem[editar | editar código-fonte]

A aparência física de Carl foi inspirada no rapper e ator Young Maylay, de Los Angeles, que também forneceu sua voz para o personagem.[3][4] Quando questionado sobre a modelagem do personagem, Young Maylay afirmou que a equipe de desenvolvimento tirou fotos "muito profissionais" dele para modelar Carl.[3]

Young Maylay e Carl Johnson, respectivamente.

Customização[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos personagens principais dos jogos anteriores, a aparência de Carl é altamente personalizável, já que o jogador pode comprar uma grande variedade de cortes de cabelo, tatuagens e roupas para ele.[5] Certas roupas, tatuagens e estilos de cabelo dão mais respeito a Carl, bem como mais apelo sexual.[5]

O jogo conta com um "sistema de perícia" para várias habilidades, na qual a habilidade melhora gradualmente conforme é praticada, ou em alguns casos, diminui lentamente conforme é ignorada.[5] À medida que CJ anda de bicicleta, dirige carros, motocicletas ou voa em aviões, sua perícia melhora em cada uma delas. O mesmo vale para as armas que ele usa.[5] O jogador pode escolher se exercitar, o que melhora habilidades como vigor (que permite Carl correr por períodos mais longos) e músculos (o que aumenta visivelmente o físico de Carl e melhora seus danos de combate corpo a corpo).[5] Visitar restaurantes de fast food e comer grandes quantidades de refeições aumentarão o tamanho de Carl com o tempo, o que pode deixá-lo acima do peso. CJ pode perder esse peso novamente se exercitando.[5] Ele é obrigado a manter uma pequena porcentagem de gordura corporal para não morrer de fome.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Origem[editar | editar código-fonte]

Carl, filho de Beverly Johnson e de pai anônimo, cresceu em Los Santos, numa casa localizada na Grove Street, no bairro de Ganton. Ele tinha três irmãos: Sean, apelidado de "Sweet", Kendl e Brian.[6] Pouco se sabe sobre seu pai, a quem ele nunca conheceu.[7] Quando jovens, Carl, Sweet e Brian fizeram amizade com Melvin "Big Smoke" Harris e Lance "Ryder" Wilson, que viviam na mesma rua, e todos os cinco eventualmente se juntaram a Grove Street Families, com Sweet se tornando o líder da gangue, Carl o vice-líder, e Brian, Big Smoke e Ryder, membros de alto escalão.[6]

Em 1987, Brian foi morto em um ataque de gangue; é implícito que Carl testemunhou o ataque, mas optou por não intervir.[6] Isso arruinou seu relacionamento com sua família e amigos, especialmente Sweet, que o culpou pela tragédia. Eventualmente, CJ decidiu deixar sua antiga vida para trás e se mudou para Liberty City, onde começou a trabalhar para o mafioso Joey Leone, no negócio de roubo de carros.[8][6]

Retorno a Los Santos[editar | editar código-fonte]

O enredo principal do jogo começa com o retorno de Carl à Los Santos após o assassinato de sua mãe em 1992.[6] Em sua chegada, Carl é confrontado pelos policiais Frank Tenpenny (com quem CJ já tem alguma história), Edward "Eddie" Pulaski e Jimmy Hernandez, três membros altamente corruptos da unidade de policiamento comunitário da cidade, C.R.A.S.H. (inspirada na unidade real de mesmo nome).[6] Tenpenny e seus parceiros ameaçam incriminar Carl pelo assassinato do policial Ralph Pendlebury, a quem eles mesmos mataram propositalmente, para impedir Carl de divulgar seus atos corruptos. Eles forçam CJ a trabalhar para eles, ameaçando a segurança dele e de sua família.[6]

Depois de se reunir com Sweet, Kendl, Big Smoke e Ryder, Carl descobre que os Families perderam sua influência e quase todos os seus territórios para seus rivais. Com a expansão do tráfico de drogas, a maioria das gangues sediadas em Los Santos começaram a vender drogas em um esforço para aumentar seu poder. No entanto, a moralidade de Sweet o impediu de fazer o mesmo, fazendo com que os Families perdessem lentamente a maior parte de sua influência e territórios para seus rivais, os Ballas e os Vagos.[6] CJ então concorda em ficar em Los Santos e ajudar a reerguer a sua gangue. Ele faz amizade com o namorado de sua irmã Kendl e líder da gangue Varrios Los Aztecas, Cesar Vialpando, apesar de Sweet inicialmente não ter aprovado o namoro dos dois, e ajuda seu amigo, Jeffrey "OG Loc" Cross, a iniciar sua carreira como rapper, apesar de sua falta de talento. Ele também ajuda no renascimento de sua gangue, recuperando territórios.

O renascimento dos Families dura pouco, pois CJ descobre que Big Smoke e Ryder traíram a gangue formando alianças com a C.R.A.S.H. e os Ballas, além de terem planejado o ataque que matou a mãe de CJ, que na verdade era para ter matado o Sweet, num esforço para enfraquecer os Families.[6] Enquanto Carl descobre isso, Sweet é emboscado por um grupo de Ballas e é ferido. CJ chega para resgatá-lo, mas os dois irmãos acabam presos pela polícia. Enquanto Sweet é condenado à prisão, Carl é libertado sob fiança pela C.R.A.S.H., que o leva para uma área rural perto de Los Santos para que ele possa continuar trabalhando para eles, e ameaça matar Sweet se ele tentar voltar para Los Santos e intervir nas suas negociações com Big Smoke, Ryder e os Ballas, que efetivamente tomaram a cidade e a inundaram com drogas.[6]

Exílio, novas alianças e empreendimentos[editar | editar código-fonte]

Durante seu tempo na área rural, Carl faz amizade com um velho hippie cultivador de ervas conhecido como "The Truth", e realiza vários roubos ao lado de sua amante, prima de Cesar, Catalina, com quem CJ mantém um relacionamento de curta duração.[9] Ele também participa de algumas corridas de rua ilegais organizadas pelo líder de tríade cego, Wu Zi Mu, conhecido como "Woozie", nas quais ele ganha um carro esportivo e uma garagem abandonada do novo namorado de Catalina. Carl e seus associados viajam mais tarde para San Fierro (inspirada em São Francisco), onde transformam a garagem abandonada em uma oficina de veículos, com a ajuda de vários novos aliados, e compram uma concessionária de automóveis. Enquanto isso, CJ trabalha para a tríade local de Woozie, fortalecendo seus laços com ele no processo, e se infiltra e destrói o maior cartel de drogas do estado de San Andreas, o Loco Syndicate, que agia como o principal fornecedor para os Ballas. No processo, ele também se vingou de Ryder por sua traição, matando-o durante uma reunião com os líderes do Syndicate.

Após a destruição do Loco Syndicate, Carl é contatado por Mike Toreno, suposto ex-líder do Syndicate, que revela ser na verdade um agente do governo disfarçado que obriga CJ a realizar vários trabalhos de alto risco em troca da libertação de Sweet da prisão. Enquanto trabalhava para Toreno, CJ compra uma pista de pouso abandonada num deserto, adquire uma licença de piloto e rouba um propulsor a jato de 60 milhões de dólares da base militar Área 69 (inspirada na Área 51), a pedido do The Truth. Mais tarde, ele viaja para Las Venturas (inspirada em Las Vegas) para ajudar Woozie a abrir um cassino, enquanto planeja e rouba o cassino rival administrado pela máfia italiana, o Caligula's Palace, depois de ganhar a confiança da máfia trabalhando para o Don Salvatore Leone.[9] No processo, ele se torna amigo do ex-empresário do Don, Ken Rosenberg, e ajuda a ele e seus associados a escapar das garras de Salvatore. Durante sua estadia em Las Venturas, Carl também resgata o famoso ex-rapper Madd Dogg de uma tentativa de suicídio,[10] cuja carreira o próprio CJ arruinou ao ajudar OG Loc, e trabalha para C.R.A.S.H., até que eles o traem e tentam matá-lo. CJ é salvo pelo oficial Hernandez, que secretamente traiu seus parceiros ao denunciá-los, e mata Eddie Pulaski depois dele assassinar Hernandez.[10]

Após esses eventos, Carl e seus associados se veem donos de vários negócios de sucesso em San Fierro e Las Venturas, e se preparam para retornar a Los Santos. Antes disso, Madd Dogg pede a Carl para se tornar seu empresário e ajudá-lo a reconstruir sua carreira como rapper, o que ele faz com a ajuda de Rosenberg e seus amigos músicos britânicos Kent e Maccer.

Pontas soltas[editar | editar código-fonte]

Pouco depois de seu retorno à Los Santos, Carl é contatado por Toreno para um último trabalho. Após a conclusão, Sweet é finalmente solto da prisão. Embora feliz por ter seu irmão de volta, Sweet não fica impressionado com os empreendimentos comerciais de CJ e o julga por se esquecer de sua gangue,[6] antes de convencê-lo a ajudar a reconstruir a força dos Families mais uma vez. Durante esse tempo, Tenpenny é julgado por conta de seus crimes, mas é absolvido por falta de provas,[6] causando um tumulto por toda Los Santos (tumulto que foi inspirado num caso real, nos Distúrbios de Los Angeles de 1992).[11] No meio do caos, CJ recupera territórios perdidos pela Grove enquanto rastreia Big Smoke, até descobrir que ele se esconde em seu "Palácio do Crack", onde CJ o mata por sua traição.[6][12] Tenpenny então chega atrás de sua parte do dinheiro e tenta matar Carl, mas CJ sobrevive e persegue Tenpenny com a ajuda de Sweet. A perseguição eventualmente faz com que Tenpenny bata e capote seu veículo, e então ele morre devido aos ferimentos. Com a morte do policial corrupto, os tumultos cessam e todas as pontas soltas na vida de CJ são resolvidas.[12]

Na conclusão do jogo, Carl e seus associados são vistos discutindo o que seu futuro os reserva, quando Madd Dogg os visita para anunciar que ele ganhou uma certificação de disco de ouro com seu novo álbum. Enquanto todos comemoram, Carl sai de casa para checar as coisas na vizinhança.[12]

Influência[editar | editar código-fonte]

Young Maylay afirmou que se inspirou em sua própria vida ao retratar Carl. "[A equipe de desenvolvimento] queria um [homem de] Los Angeles autêntico, é de onde eu sou e eles sabiam disso, então foi isso que dei a eles", acrescentou. "Eu coloquei Maylay no CJ. Eu tentei ao máximo fazer dele o que eu sou, sem mudar muito o roteiro."[13]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O personagem foi aclamado pela crítica especializada após o lançamento do jogo. Ele já foi incluído em diversas listas de melhores personagens dos videogames de todos tempos. Jesse Schedeen da IGN incluiu CJ em sua lista de Grand Theft Auto Favorite Badasses, afirmando: "De todos os protagonistas de todos os jogos GTA, poucos são tão convincentes ou tão fodões como Carl "CJ"Johnson", e ele também elogiou a customização do personagem e os recursos disponíveis.[14] Paul Tamburro, do Crave Online, colocou Carl em oitavo lugar em sua lista de 10 personagens mais memoráveis ​​do GTA, afirmando que "foi revigorante assumir o controle de um personagem que pensava duas vezes se deveria ou não cometer massacres desenfreados."[15] Matthew Cooper, do Sabotage Times, colocou o personagem em sua lista dos top 10 melhores personagens principais da série Grand Theft Auto, afirmando que Carl Johnson "foi o primeiro [da série] a apresentar consciência, o primeiro que não parecia gostar de matar um grande número de pessoas".[16]

O GameDaily listou CJ em sua lista dos melhores personagens negros dos videogames, recusando a ideia de que ele reforça estereótipos negativos, afirmando que ele "está mais pra um James Bond nascido no gueto do que um bandido".[17] Da mesma forma, Larry Hester, da Complex Gaming, colocou Carl em segundo lugar em sua lista dos 10 melhores personagens negros dos videogames, chamando-o de "gângster com um bom coração".[18] Em 2012, o GamesRadar colocou CJ em 77º lugar em sua lista dos 100 Melhores Heróis dos Videogames, dizendo que "poucos heróis [de Grand Theft Auto] foram tão carismáticos quanto ele, e poucos provavelmente serão no futuro."[19] A UGO Networks colocou Carl em segundo lugar na lista dos personagem que mais merecem seu próprio filme live-action.[20]

Em 2008, o The Age classificou CJ como o 33º maior personagem do Xbox de todos os tempos, destacando-o como "o mais humilde" dos anti-heróis de Grand Theft Auto, e como "um dos primeiros protagonistas fortes afro-americanos dos videogames."[21] Embora Carl no final não tenha sido incluído, a equipe do Game Informer considerou sua inclusão em sua lista dos "30 personagens que definiram uma década", com Matt Helgeson dizendo: "Ele poderia facilmente ter sido outro gângster estereotipado, mas pelo final do jogo, vemos CJ como um homem imperfeito, que no final das contas, fez o melhor que pôde nas piores circunstâncias."[22] Em 2011, os leitores do Guinness World Records Gamer's Edition votaram Carl "CJ" Johnson como o 22º maior personagem dos videogames de todos os tempos.[23]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Miller, Greg (18 de outubro de 2011). «Dan Houser Talks Grand Theft Auto III». IGN (em inglês). Ziff Davis. p. 2. Consultado em 9 de outubro de 2021. Cópia arquivada em 26 de julho de 2013 
  2. Alexandre Silva (11 de julho de 2011). «Jogos do GTA: conheça a história do game». TechTudo. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  3. a b «"Young Maylay Speaks» [Young Maylay Fala]. Planet Grand Theft Auto (em inglês). GameSpy. 6 de julho de 2005. Consultado em 17 de abril de 2021. Arquivado do original em 16 de abril de 2014 
  4. «Grand Theft Auto: San Andreas» (em inglês). IMDb. Consultado em 17 de abril de 2021 
  5. a b c d e f g «Basics - GTA: San Andreas Guide» [Básico - Guia de GTA: San Andreas] (em inglês). IGN. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  6. a b c d e f g h i j k l m Augusto Ikeda (9 de junho de 2020). «CJ: a história do popular protagonista de GTA: San Andreas». Ei Nerd!. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  7. Rockstar North (26 de outubro de 2004). Grand Theft Auto: San Andreas. Rockstar Games. Cena: no minuto 7:51. Yeah. I hear you. I never knew my dad... 
  8. Rockstar North (26 de outubro de 2004). Grand Theft Auto: San Andreas. Rockstar Games. Cena: no minuto 7:46. Joey. Hey, wassup, man? It's CJ... 
  9. a b Sahbegovic, Alan (5 de agosto de 2021). «5 characters that CJ didn't like working for in GTA San Andreas» [5 personagens para os quais CJ não gostou de trabalhar em GTA San Andreas]. sportskeeda.com (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2021 
  10. a b Sahbegovic, Danny (8 de agosto de 2021). «5 of CJ's worst moments in GTA San Andreas» [5 dos piores momentos de CJ no GTA San Andreas]. sportskeeda.com (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2021 
  11. «Why the Los Santos Riots in GTA San Andreas were so memorable» [Por que os Tumultos de Los Santos no GTA San Andreas foram tão memoráveis]. www.sportskeeda.com (em inglês). 14 de julho de 2021. Consultado em 18 de agosto de 2021 
  12. a b c Rockstar North. Grand Theft Auto: San Andreas. PlayStation 2. Rockstar Games. Cena: na missão "End Of The Line" 
  13. «PlayStation: The Official Magazine». Estados Unidos: Future plc (85). Outubro de 2004 
  14. Jesse Schedeen (28 de abril de 2008). «Grand Theft Auto: Favorite Badasses» (em inglês). IGN. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  15. Tamburro, Paul (2 de novembro de 2012). «Top 10 Most Memorable GTA Characters» (em inglês). PlayStation Beyond. Consultado em 18 de agosto de 2021. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2014 
  16. Cooper, Matthew (13 de junho de 2012). «GTA V - Top 10 Greatest Characters In Grand Theft Auto History». Sabotage Times (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2021. Arquivado do original em 20 de agosto de 2013 
  17. Swiderski, Adam. «Gaming's Greatest Black Characters» (em inglês). GameDaily. Consultado em 18 de agosto de 2021. Arquivado do original em 23 de março de 2009 
  18. Larry Hester (26 de junho de 2012). «The 10 Best Black Characters In Video Games» (em inglês). Complex. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  19. «100 best heroes in video games» (em inglês). GamesRadar. 9 de novembro de 2012. Consultado em 18 de agosto de 2021 
  20. Meli, Marissa (19 de julho de 2011). «Video Game Characters Who Need Their Own Movies». UGO Entertainment (em inglês). Consultado em 18 de agosto de 2021. Arquivado do original em 7 de dezembro de 2012 
  21. «The Top 50 Xbox Characters of All Time». The Age (em inglês). 30 de setembro de 2008. Consultado em 18 de agosto de 2021. Arquivado do original em 15 de novembro de 2013 
  22. Matt Bertz (19 de novembro de 2010). «The Snubbed List» (em inglês). Game Informer. Consultado em 7 de setembro de 2021 
  23. Jeff Marchiafava (16 de fevereiro de 2011). «Guinness Names Top 50 Video Game Characters Of All Time» (em inglês). Game Informer. Consultado em 7 de setembro de 2021