Grand Theft Auto: Vice City Stories

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Grand Theft Auto: Vice City Stories
Desenvolvedora(s) Rockstar Leeds
Rockstar North
Publicadora(s) Rockstar Games
Distribuidora(s) Take-Two Interactive
Produtor(es) Leslie Benzies
Projetista(s) David Bland
Escritor(es) Dan Houser
David Bland
Programador(es) Obbe Vermeij
Adam Fowler
Alexander Roger
Andrew Greensmith
Artista(s) Aaron Garbut
Motor Rockstar Leeds 3D
Série Grand Theft Auto
Plataforma(s) PlayStation Portable
Conversões PlayStation 2
Lançamento PlayStation Portable
  • AN 31 de outubro de 2006
  • EU 3 de novembro de 2006
  • AU 10 de novembro de 2006
  • PAL 9 de fevereiro de 2008
PlayStation 2
    • EU 5 de março de 2007
    • PAL 9 de março de 2007
    • AU 18 de fevereiro de 2008
    Gênero(s) Ação-aventura
    Modos de jogo Um jogador
    Multijogador (PSP)
    Grand Theft Auto:
    Liberty City Stories
    Grand Theft Auto IV
    Página oficial

    Grand Theft Auto: Vice City Stories é um jogo eletrônico de ação e aventura. É a décima edição de Grand Theft Auto e o último lançamento da série para a sexta geração de consoles. Foi desenvolvido pela Rockstar Leeds em parceria com a Rockstar North, e lançado pela Rockstar Games exclusivamente para o PlayStation Portable no dia 31 de outubro de 2006. Depois, foi lançado para o Playstation 2 em 5 de março de 2007. O jogo é uma prequela para Grand Theft Auto: Vice City e sucessor do lançamento anterior para PSP, Grand Theft Auto: Liberty City Stories.

    Em 24 de março de 2006, a publicadora da série, Take Two Interactive, registrou três marcas comerciais para o termo Vice City Stories. Uma é para um jogo, a outra para vestuário e a terceira para um possível programa de televisão. Em 10 de maio de 2006, a Take-Two anunciou oficialmente o lançamento do título na América do Norte em 17 de outubro de 2006 e na Europa em 20 de outubro de 2006, mas acabou sendo adiado para o dia 31 de outubro de 2006. Em 2013, o jogo foi adicionado à PlayStation Network para uso do console PS3,[1] mas foi removido da plataforma alguns anos depois, provavelmente por questões envolvendo direitos autorais.

    O jogo se passa em Vice City, 1984, dois anos antes dos eventos de Grand Theft Auto: Vice City. O protagonista do jogo é Victor Vance, irmão de Lance Vance (personagem de GTA Vice City), um ex-soldado que, após ser expulso do exército, e sob o pretexto de ganhar dinheiro para ajudar sua família debilitada, se envolve com o crime organizado e o tráfico de drogas crescente na cidade, colocando-se no caminho de diversas gangues e cartéis poderosos da região.[2]

    Ambientação[editar | editar código-fonte]

    Ambientado em 1984 numa adaptação da cidade de Miami, Florida, Vice City é uma cidade de estilo tropical, com praias exuberantes, construções em art déco e luzes de neon, além da presença de grandes comunidades latinas. GTA Vice City Stories se passa no contexto da guerra pelo controle do narcotráfico, principalmente da cocaína proveniente da Colômbia, que invadia continuamente a região sul dos Estados Unidos.[3] Ao mesmo tempo, o auge da Era Reagan era marcado pela extravagância e consumismo, fomentando o estilo de vida pujante na cidade cheia de mansões, lanchas e carros de luxo.[4] Além das referências à cultura pop como a série policial Miami Vice, o jogo adiciona um easter egg que remete a música "99 Luftballons", da cantora de new wave Nena.[5]

    O jogo também conta com a participação de diversos atores em papeis de dublagem, como Luis Guzmán, Philip Michael Thomas e Danny Trejo; além do cantor Phil Collins, interpretando si próprio em algumas missões do jogo, incluindo em um concerto com a música "In the Air Tonight". A trilha sonora distinta é embalada ao som de diversas bandas famosas, desde o heavy metal com Judas Priest e Scorpions, passando pelo hip-hop com Run-D.M.C., até a new wave, com Depeche Mode e A Flock of Seagulls.

    Enredo[editar | editar código-fonte]

    Victor "Vic" Vance é um recruta recém-admitido no Exército dos Estados Unidos e destacado para o Fort Baxter em Vice City; ao chegar, Victor é colocado sob a direção de Jerry Martinez, um sargento egocêntrico e articulador com bastante influência na base militar. Ao ser perguntado por Jerry sobre o porquê de entrar no exército, Victor diz que seu objetivo é crescer na carreira militar e dar um futuro melhor a sua família humilde: Sua mãe, Janet, é uma dependente química que acabou de entrar na reabilitação, enquanto ele e os dois irmãos, Pete e Lance, foram criados pela tia; Pete tem problemas crônicos de saúde, portanto, os Vance precisam de dinheiro para pagar o tratamento. Jerry propõe que Victor faça uns serviços para ele por debaixo dos panos, o que ele relutantemente aceita. Entre os trabalhos, estão pegar um pacote de maconha com um fornecedor, e ajudar um amigo de Jerry, Phil Cassidy, ex-combatente da Guerra do Vietnã, que lhe pede ajuda para expulsar uma gangue latina conhecida como Los Cholos. A situação desmorona quando os superiores descobrem sobre a má conduta de Vic; ao levar toda a culpa por Jerry, Victor acaba exonerado e expulso do quartel.

    Sem ter para onde ir, Phil lhe oferece seu antigo apartamento e mais alguns trabalhos. Mais tarde, ele conhece Marty Jay Williams, cunhado de Phil. Marty é o líder de uma pequena quadrilha de rednecks envolvida com agiotagem e extorsão de lojistas em Little Havana, além de prostituição. Marty, por conta do alcoolismo, frequentemente agride sua esposa, Louise Cassidy-Williams, que tem uma filha chamada Mary-Beth. Louise se envolve cada vez mais de Victor, o que enfurece Marty; após espanca-la e obriga-la a se prostituir, Vic assassina Marty e salva Louise. Com a brecha de poder, Louise propõe que Victor assuma os negócios de Marty; ao eliminar o restante da gangue, incluindo o primo de Marty, Vic torna-se chefe de uma nova quadrilha, chamada de Vance Crime Family.

    Logo depois, o irmão de Vic, Lance Vance, chega de surpresa no Aeroporto Internacional Escobar; Victor de início fica insatisfeito pois enxerga seu irmão como um desajustado incapaz, mas resolve lhe dar uma chance. Após quase serem mortos num ataque pelos Cholos, Vic recebe uma mensagem de Umberto Robina, líder da gangue cubana Los Cabrones e ex-subordinado de Marty, que lhe oferece uma parceria para acabar com os Cholos. Vic realiza vários trabalhos para Umberto; ao final, a gangue destrói o armazém e sede dos Cholos, eliminando de vez a influência da gangue. Enquanto isso, Lance se afilia a um traficante local chamado Bryan Forbes, para o desgosto de Victor, que se nega a trabalhar com drogas, mas é persuadido por Lance de que Pete precisa de ajuda para o tratamento. Ao descobrir que Forbes na verdade é um agente infiltrado da DEA (Agência de Controle de Narcóticos), Lance confronta-; Forbes tenta fugir com o dinheiro dos irmãos, mas é capturado e mantido em cativeiro num prédio abandonado em Little Haiti. Os irmãos Vance o obrigam a expor sobre todas as futuras negociações de drogas na cidade; Forbes direciona-os para várias armadilhas de outras gangues, desde os Sharks, até os Bikers. Após um tiroteio num bar gay, Forbes tenta escapar, mas é morto na fuga; simultaneamente, Janet deixa a reabilitação após se livrar do vício em cocaína e passa a morar no apartamento de Lance.

    Lance informa sobre um grande carregamento de drogas envolvendo Martinez, o que poderia lhes render um bom dinheiro para saírem de vez do tráfico; Victor aceita a oportunidade, não somente pelo dinheiro, mas para se vingar da expulsão provocada por Jerry. Após roubarem a carga e levarem-na para Vice Beach, a dupla é informada por Martinez que as drogas pertenciam os poderosos Irmãos Mendez, e que agora delatará todos para obter proteção das autoridades; para piorar, Janet tem uma recaída e foge levando toda a mercadoria consigo, antes que pudessem entrega-la ao comprador de Lance. Ao serem interrogados pelos irmãos Diego e Armando Mendez, Lance cria uma desculpa: Diz que Martinez enganou a todos pois era um agente infiltrado da DEA; ao exigirem provas, os Vance conseguem fabricar uma evidência usando os documentos de Forbes e uma foto de Martinez, consolidando uma aliança entre as duplas. Simultaneamente, Reni Wassulmaier, um cineasta transexual alemão icônico em Vice City, ajuda Victor a obter diversos contatos no comércio de drogas. Trabalhando para Reni, Vic conhece o músico Phil Collins; Phil precisa de ajuda para um concerto na cidade, pois seu empresário deve dinheiro a família Forelli, da máfia de Liberty City.

    Posteriormente, Reni conecta Victor a Ricardo Diaz, outro grande traficante e rival dos irmãos Mendez. Em uma reunião urgente, Armando Mendez diz que Martinez contou a verdade sobre os negócios da família Vance, e propõe uma escolha: Abandonarem Vice City, ou sofrer a pior. Os Vance recusam a oferta e são nocauteados; ao acordarem numa refinaria de petróleo, um tiroteio com os homens de Mendez se inicia, mas a dupla escapa pouco antes do local explodir; Diaz e Gonzalez (outro contato de Reni, representante do ex-coronel Juan Cortez) tornam-se seus únicos associados de confiança. Ao descobrir que Louise estava se envolvendo com Lance e fazendo uso da cocaína, Victor fica furioso com ambos, causando uma intriga entre os três. Homens de Martinez de sequestram Louise, enquanto Lance arruma mais problemas com outros traficantes, mas ambos são salvos por Vic; enquanto o trio reata os laços, vários conflitos levam os cartéis de Gonzalez e Diaz a firmar um acordo de paz, aliviando a situação para os Vance.

    Tempos depois, Louise é novamente sequestrada, dessa vez pelos próprios irmãos Mendez; Lance se recusa a salva-la e diz a Vic que ela é um caso perdido, mas muda de ideia quando sua mansão é atacada. A dupla invade a propriedade dos Mendez, mas é encurralada numa armadilha. Após matar Armando, Louise é encontrada gravemente ferida no salão; ela pede que Vic garanta o bem-estar de sua filha Mary-Beth, e em seguida, morre em seus braços, deixando Vic devastado e furioso. Ao procurar Diaz, é informado que Diego Mendez está escondido no centro financeiro, em um arranha-céu fortemente protegido, e que a melhor forma de ataca-lo é usando um helicóptero militar de combate. Victor procura Phil Cassidy, que mesmo deprimido com a morte da irmã Louise, aceita em ajuda-lo a se vingar de Martine; Vic invade o Fort Baxter enquanto Phil cria uma distração, e foge do local com um helicóptero Hunter.

    Munido com o helicóptero, Victor parte da mansão Diaz rumo a torre dos Mendez; Vic destrói os andares mais altos, mas é atingido por um lança foguete, forçando-o a pousar no topo do edifício. Após invadir o prédio, Vic não encontra qualquer sinal de Diego, mas descobre que Martinez está telhado. Ao chegar, é rendido por Martinez, que ironiza Vic por tentar manter sua dignidade depois de se envolver com um negócio tão sujo; Diego, ao descobrir que estava sendo manipulado, entra em cena e se volta contra Martinez, criando um impasse. Ao final de um tiroteio, Diego e Jerry acabam mortos, e Victor obtém sua vingança. Lance chega num helicóptero para ajudar o irmão, mas já está tudo acabado; ao celebrarem a vitória, Lance conta que há outro grande lote em negociação que pode lhes render uma fortuna, mas Vic se recusa a participar e ordena que abandone tudo, pois não quer mais sua família envolvida com drogas; ambos concordam e deixam o edifício, com os corpos de Diego e Martinez para trás.

    Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

    A cidade de Vice City apresenta algumas modificações em seu cenário em relação ao jogo Grand Theft Auto: Vice City, ambientado em 1986. Alguns prédios são diferentes ou ainda estão em construção, o que inclui um parque de diversões em Vice Point com uma enorme roda gigante. O jogo de mundo aberto também conta com algumas rádios diferentes, novas músicas, novos veículos (como jet skis), novas missões secundárias (como desafios de salva vidas), além do protagonista ter a habilidade de nadar, assim com em Grand Theft Auto: San Andreas, embora sem a capacidade de mergulho. A versão para PlayStation Portable contem modo multiplayer para seis jogadores, com diversos estilos de jogo. Como versão para PlayStation 2 lançada um ano depois não dispunha de modo multiplayer, novos elementos foram adicionados ao jogo para compensar, como missões, armas e veículos exclusívos.

    O jogo em estilo mundo aberto com design 3D em terceira pessoa, dispõe de uma mecânica mais prática e simplificada para o uso no console portátil, como uso de armas, combate e condução de veículos. Novas armas foram adicionadas para uso, como a Skorpion vz. 61 e metralhadora M249 (minas terrestres estavam planejadas, mas foram descartadas e só podem ser acessadas com um trainer). Outro elemento adicionado foi o de "império de propriedades" (empire-building), que consiste em comprar terrenos vazios ou toma-los de outras gangues, para construir empreendimentos voltados a atividades criminosas, desde agiotagem, até contrabando. Quanto maior o número e nível de propriedades na gangue do jogador, mais dinheiro ele arrecadará, ao mesmo tempo que precisa defende-las do ataque de facções inimigas. Cada empreendimento possui missões secundárias específicas, que agregam mais lucro para a quadrilha.

    Recepção[editar | editar código-fonte]

    Grand Theft Auto: Vice City Stories foi aclamado pelo público, com avaliações positivas dos críticos de games, atingindo uma pontuação média de 80 por 100 no site Metacritic.[6] Em 26 de março de 2008, foram vendidas 4,5 milhões de cópias no mundo todo de acordo com a Take-Two Interactive.[7] A versão do jogo para PlayStation 2 foi criticada por ter a mesma codificação da versão PSP, corrigir poucos problemas e remover algumas coisas, mas foi elogiada por uma iluminação melhor. O site UOL Jogos opinou: "Todos [os personagens] foram concebidos com forte personalidade [...] Pena que Vic fique apenas marcado pelo seu tipo corpulento, sem muita lógica em seu consciente".[5] Na Eurogamer Portugal, Jorge Soares afirmou que "[As missões] são divertidas quanto baste e vão-vos agarrar até chegarem a uma, que por alguma razão parece impossível de passar".[8] Eliot Fish, da revista australiana Hyper, elogiou o jogo por usar "o estilo esmaltado dos anos 80 [e ter a] história bem integrada as missões".[9]

    Premiações[editar | editar código-fonte]

    Referências[editar | editar código-fonte]

    1. «Liberty City Stories and Vice City Stories Coming to PSN Next Week». Rockstar Games (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
    2. «Rockstar Games: Grand Theft Auto Vice City Stories». www.rockstargames.com. Consultado em 24 de agosto de 2020 
    3. «A rotina de orgias, festas e cocaína dos traficantes que inspiraram o filme 'Scarface'». BBC News Brasil. 11 de janeiro de 2019 
    4. «The Rise of American Consumerism | American Experience | PBS». www.pbs.org (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
    5. a b «Grand Theft Auto: Vice City Stories (PS2) - Análise - UOL Jogos». jogos.uol.com.br. Consultado em 24 de agosto de 2020 
    6. «Grand Theft Auto: Vice City Stories». Metacritic (em inglês). Consultado em 24 de agosto de 2020 
    7. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 8 de abril de 2008. Consultado em 24 de agosto de 2020 
    8. Soares, Jorge (8 de maio de 2008). «GTA Vice City Stories». Eurogamer.pt. Consultado em 24 de agosto de 2020 
    9. «Hyper: Australasia's only independent games mag.». Hyper : Australasia's only independent games mag. (em English). 1993. ISSN 1320-7458. OCLC 173334380 
    10. «ELSPA: About ELSPA: Sales Awards: Platinum». web.archive.org. 15 de maio de 2009. Consultado em 24 de agosto de 2020 
    11. IGN Presents the History of Awesome: 2006 - IGN (em inglês), consultado em 24 de agosto de 2020 
    12. «Gears of War wins Joystick awards» (em inglês). 26 de outubro de 2007 

    Ligações externas[editar | editar código-fonte]