Casseta & Planeta: A Taça do Mundo É Nossa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Taça do Mundo É Nossa
A Taça do Mundo É Nossa (PT/BR)
 Brasil
2003 •  cor •  86 min 
Direção Lula Buarque de Holanda
Roteiro Casseta & Planeta
Elenco Beto Silva
Bussunda
Cláudio Manoel
Helio de la Peña
Hubert, Marcelo Madureira
Reinaldo
Género Comédia
Companhia(s) produtora(s) Conspiração Filmes
Tabajara Pictures
Distribuição Warner Bros.
Globo Filmes
Idioma português

Casseta & Planeta: A Taça do Mundo é Nossa é um filme da Conspiração Filmes, estrelado e escrito pelos humoristas do Casseta & Planeta.

Nele, faz-se uma sátira aos anos do regime militar no Brasil, quando militantes comunistas comandados por Frederico Eugênio — personagem de Bussunda — planejam roubar a taça da Copa do Mundo de 1970 das mãos dos futebolistas Pelé e Carlos Alberto Torres.

O objetivo dos militantes é desmoralizar o ufanismo e a capitalização política do título mundial por parte da junta militar, comandada por um fictício general "Mirandinha" (interpretado por Cláudio Manoel).

Personagens principais[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Os jogadores Carlos Alberto Torres (o "Capita") e Jair Ventura Filho (Jairzinho), integrantes da Seleção Brasileira de Futebol vencedora da Copa do Mundo FIFA de 1970, participaram do filme interpretando a si mesmos nas cenas do desfile da Seleção em carro aberto. Pelé, por sua vez, é satirizado por Hélio de La Peña, como costumeiramente é feito no seriado. Os restantes são figurantes.
  • O nome da personagem de Maria Paula, Lucy Ellen Imbiruçu, é uma paródia a Amália Lucy, filha do general e futuro presidente da República Ernesto Geisel.
  • O personagem de Hubert, Peixoto Carlos, é uma sátira ao cantor Roberto Carlos.
  • Os personagens Denílson (Hélio de La Peña), Vladimir (Bussunda) e Peixoto Carlos (Hubert) formaram no filme um suposto grupo terrorista chamado Partido Anarco-Nacionalista Anticarnívoro Carlos (PANAC). O primeiro nome deste movimento, Movimento Revolucionário do Vladimir (MRV), é uma sátira a um grupo guerrilheiro dos anos 70, o Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR8), liderado pelo ex-militar Carlos Lamarca.

Créditos finais (como exibidos no filme)[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. Pra Frente, Brasil - Zeca Pagodinho
  2. É Papo Firme - Os Paralamas do Sucesso
  3. Vem Quente Que Eu Estou Fervendo - Mu Chebabi e Peixoto Carlos
  4. Não Vou Ficar - Max de Castro
  5. Maluco Beleza - Lenine
  6. Vou Tirar Você Deste Lugar - Los Hermanos
  7. Imunização Racional (Que Beleza) - Roberto Frejat
  8. BR-3 - Tony Tornado
  9. Esqueça (Forget Him) - Marisa Monte
  10. Guajira Guantanamera - Cidade Negra
  11. Fumaça Sonora (Melô do Denilson) - Marcelo D2
  12. Eu Te Amo, Meu Brasil - Casseta & Planeta e Mu Chebabi
  13. Que Dureza - Roberto Frejat (paródia de Imunização Racional (Que Beleza))

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.