Men at Work

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o filme de 1990 estrelado por Emilio Estevez e Charlie Sheen, veja Men at Work (filme).
Disambig grey.svg Nota: Se procura a série de televisão, veja Men at Work (série).
Men at Work
Men At Work em 1983.
Informação geral
Origem Melbourne, Victoria
País  Austrália
Gênero(s) .
Período em atividade 1979-1985; 1996-2002; 2019-presente
Integrantes Atuais:
Colin Hay
Antigos:
Ron Strykert
John Rees
Greg Ham
Jerry Speiser

Men at Work é uma banda de rock australiana formada na cidade de Melbourne, em 1979. A banda teve o auge de sua popularidade no início da década de 1980 com influências do reggae.

História[editar | editar código-fonte]

A Men at Work é mais conhecida pelo seu sucesso de 1982, "Down Under"[6], uma canção alegre e cômica sobre australianos viajando pelo mundo confiantes das virtudes de seu país e sobre a imposição da cultura norte-americana e europeia às belezas naturais de seu país. A canção foi um sucesso de vendas em vários países, incluindo o Reino Unido, onde alcançou o primeiro lugar nas paradas, sendo a única canção deles a entrar nos "Top 20" daquele país. Ela tornou-se um hino extraoficial para a Austrália para vários movimentos underground ou musicais de seu país.[porquê?]

Seu primeiro álbum, Business as Usual (1981) marcou um recorde de maior tempo para um álbum de estreia como primeiro nas paradas dos Estados Unidos. Além de "Down Under", os hits "Who Can It Be Now?" e "Be Good Johnny" tornaram-se videoclipes de sucesso durante os primeiros anos da MTV americana. "Who Can It Be Now?" e "Down Under" atingiram o primeiro lugar nas paradas americanas.[7] Sendo um dos álbuns mais famosos do início da década de 1980, Business As Usual teve seis milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos, e estimam-se mais de quinze milhões vendidas mundo afora.[carece de fontes?]

A banda ganhou o Grammy Award de melhor artista iniciante no ano de 1983.[8]

O segundo álbum da banda, Cargo (1983), alcançou menos sucesso que o primeiro, atingindo apenas a terceira posição e três milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos.[carece de fontes?] Três singles foram lançados, "Overkill" (3° nos Estados Unidos), "It's A Mistake" (6° nos Estados Unidos), e "Dr. Heckyll And Mr. Jive" (28° nos Estados Unidos).

No ano seguinte a banda demitiu o baixista John Rees e o baterista Jerry Speiser. Quando seu terceiro álbum Two Hearts foi lançado em 1985 com quase nenhum sucesso (apenas 500 mil cópias vendidas nos Estados Unidos) o guitarrista Ron Strykert também deixou a banda, e logo em seguida o tecladista e saxofonista Greg Ham também seguiu o mesmo caminho. O único remanescente da banda original, o vocalista Colin Hay, continuou a fazer apresentações com músicos contratados até o final de 1985 quando o Men at Work finalmente se dissolveu. Two Hearts só conseguiu uma canção de sucesso mediano, "Everything I Need", que não chegou nem mesmo aos 40 primeiros nas paradas norte-americanas.

Em 1996 os membros originais Colin Hay e Greg Ham se reagruparam e fizeram turnê mundial também com músicos contratados. Em 1998 produziram um álbum ao vivo, Brazil, gravado ao vivo em sua turnê brasileira.[9]

Em 2000 a banda tocou no fechamento dos Jogos Olímpicos de Sydney naquela cidade, cantando em coro com o público a canção "Down Under".[10]

Em 19 de abril de 2012, Greg Ham foi encontrado morto em uma casa no subúrbio de Melbourne por um grupo de amigos. As causas da morte ainda estão sendo investigadas. [11]

Em 2019, Colin Hay reuniu-se com músicos de Los Angeles e se apresentaram com o nome de Men At Work, apesar de não possuir mais nenhum integrante da formação original.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Vídeos[editar | editar código-fonte]

  • 1982 - Live in Hamburg (VHS/DVD)
  • 1984 - Live in San Francisco... Or Was It Berkeley? (VHS/BETA)

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • 1987 - The Works
  • 1995 - Puttin' in Overtime
  • 1996 - Contraband: The Best of Men at Work
  • 1998 - Simply The Best
  • 2000 - Definitive Collection
  • 2003 - The Essential
  • 2007 - Super Hits
  • 2008 - Essential Deluxe - Including Bonus DVD

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Keypunch Operator"/"Down Under" (1979);
Ano Título Posição Álbum
U.S. Pop U.S. Rock U.S. AC Australia UK[12]
1981 "Who Can It Be Now?" #1 #46 #2 #45 Business as Usual
"Down Under" #1 #1 #13 #1 #1
1983 "Be Good Johnny" #3 #8
"Underground" #20
"High Wire (canção)" #23 #89 Cargo
"Overkill" #3 #3 #6 #5 #21
"It's a Mistake" #6 #27 #10 #34 #33
"Dr. Heckyll and Mr. Jive" #28 #12 #31
1985 "Everything I Need" #47 #28 #34 #37 Two Hearts
"Maria"
"Man with Two Hearts"

Referências

  1. Erlewine, Stephen Thomas. «Men at Work – Artist Biography». AllMusic 
  2. Hyden, Steven (19 de abril de 2012). «Greg Ham of Men At Work, originator of the flute riff in "Down Under", found dead». The A.V. Club 
  3. Tortorici, Frank (28 de junho de 1999). «Men At Work's Colin Hay». MTV 
  4. Brandle, Lars (30 de julho de 2009). «Men At Work Loses primeiro Stage In Copyright Dispute». Billboard 
  5. Fletcher, Alex (30 de julho2009). «Men At Work accused of plagiarism». Digital Spy  Parâmetro desconhecido |access-data= ignorado (ajuda); Verifique data em: |data= (ajuda)
  6. «Men at Work». whiteroom. Consultado em 23 de abril de 2012. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2012 
  7. «Who Can It Be Now? - Men at Work». billboard.com. Consultado em 23 de abril de 2012 
  8. «Men at Work - Best Music from the 1980s». 80smusiclyrics. Consultado em 23 de abril de 2012 
  9. «Men at Work - allmusic». allmusic. Consultado em 23 de abril de 2012 
  10. «INXS, Midnight Oil, Men At Work Close Sydney Olympics». vh1.com. Consultado em 23 de abril de 2012 
  11. «Músico Greg Ham da banda Men At Work é encontrado morto». bemparana.com. Consultado em 19 de abril de 2012 
  12. Roberts, David (2006). British Hit Singles & Albums 19th ed. London: Guinness World Records Limited. p. 360. ISBN 1-904994-10-5 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]