Castelhano guinéu-equatoriano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O castelhano guinéu-equatorial (em castelhano: español ecuatoguineano) é um dialeto castelhano falado na Guiné Equatorial. Este é o único dialecto castelhano oficial na Àfrica sub-saariana. É falado por cerca de 89% da população ou 447 000 pessoas (Nota: os valores para a população neste país têm um elevado grau de desconfiança), dos quais cerca de 10% o falam como língua materna.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos dialetos americanos do castelhano, este é o único dialeto castelhano oficial, ao lado de outros dialetos castelhano de África que seguem o modelo do castelhano espanhol ou espanhol peninsular. Contudo, existem algumas diferenças na pronúncia para os que o falam como segunda língua. Descendentes de refugiados alemães que vieram para para a Guiné Equatorial após terem sido derrotados nos Camarões deram igualmente pronúncia ao seu castelhano.

Comparação com o dialeto caribenho do castelhano[editar | editar código-fonte]

De acordo com John Lipski, uma comparação entre o castelhano falado na Guiné Equatorial e o das Caraíbas, não denota uma influência de línguas africanas, tese contrária a algumas teorias passadas. Ambas as variantes do castelhano são esmagadoramente diferentes. A principal influência no castelhano falado na Guiné Equatorial parece ser as variedades faladas pelos colonizadores nativos espanhóis. Noutro ensaio, contudo, Lipski admite que as fonotáticas das línguas africanas possam ter reforçado na redução de consoantes caribenha que já decorria no espanhol do sul de Espanha.


Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Castelhano guinéu-equatoriano