Comando Militar do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Comandos Militares do Brasil
CMN
Comando Militar do Norte
Região Militar 8.ª RM
Fundação 2013
Comandante Gen Ex João Chalella Júnior[1]
Localização R. João Diogo, 458 - Campina, Belém - PA, 66015-175
Belém
Pará Pará
Página oficial Página oficial
Abrangência Amapá, Maranhão, Pará e parte do Tocantins[2]

O Comando Militar do Norte (CMN) é um dos comandos militares de área do Exército Brasileiro, com sede em Belém (PA).

É o comando de área que compreende os estados do Amapá, Maranhão e Pará, além de parte do estado do Tocantins. Foi criado pela portaria nº 142, de 13 de março de 2013.[3]

Contexto da criação[editar | editar código-fonte]

Dada as particularidades de emprego da força no lado ocidental do Comando Militar da Amazônia (CMA), mais voltados ao combate a delitos transfronteiriços como o narcotráfico, o contrabando e os crimes ambientais, dentre outros, diferente do emprego no lado oriental, normalmente em ações de garantia da lei e da ordem, com enfoque à proteção de infraestruturas estratégicas, combate à exploração ilegal de recursos naturais e conflitos sociais, entre outros, fez-se necessária a divisão e criação de um novo comando militar, a princípio com 10 mil dos 27 mil homens então existentes no CMA, mas com previsão de reforços.[4]

A criação reflete a crescente importância da Amazônia para a política de defesa nacional.[5][6] Ao dividir os comandos amazônicos em áreas menores, cada um pode ser mais eficiente.[7] A divisão dos comandos converge com o pensamento geopolítico de Carlos de Meira Mattos, que décadas antes já distinguia necessidades diferentes das Amazônias Ocidental e Oriental.[8]

Organizações militares subordinadas[editar | editar código-fonte]

Regiões militares[editar | editar código-fonte]

O CMN possui uma única região militar, a 8ª Região Militar, com jurisdição sobre os estados do Pará, Amapá e Maranhão, além da área conhecida como Bico do Papagaio, no estado do Tocantins, limitada ao sul pelos municípios de Wanderlândia, Babaçulândia e Xambioá (estes inclusive), e sede do comando na cidade de Belém.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «INFORMEX Nr 25, de 25 de junho de 2021». Visitado em 31 de agosto de 2021 
  2. «Quarteis por estado» 
  3. «Portaria 142, de 13 de março de 2013» 
  4. «Comando Militar do Norte terá sede em Belém». Diário do Pará. 23 de março de 2013. Consultado em 1 de abril de 2013. Arquivado do original em 29 de março de 2013 
  5. Evedove, Leonardo Ulian Dall (julho–dezembro de 2020). «O Programa Calha Norte como prática espacial do Estado brasileiro (1985-2018): perspectivas de Amazônia e discurso de precariedade como política pública». Monções: Revista De Relações Internacionais Da UFGD. 9 (18). Consultado em 26 de maio de 2022 . p. 227.
  6. Lopes, Marcos Vinicius Morais (2016). Os projetos estratégicos e o processo de modernização do exército brasileiro (PDF) (TCC). Florianópolis: UFSC. Consultado em 26 de maio de 2022 . p. 51.
  7. Silva, Erlon Pacheco da (2013). A Amazónia Brasileira – Estratégias de Presença e Dissuasão segundo a Estratégia Nacional de Defesa do Brasil e sua Possibilidade de Interação com os Países Fronteiriços (PDF) (Trabalho). Pedrouças: IESM. Consultado em 26 de maio de 2022 . p. 20.
  8. Teixeira Júnior, Augusto W. M. (2022). «Geopolítica e estratégia militar: a atualidade do pensamento do general Meira Mattos». In: Rodrigues, Fernando da Silva; Franchi, Tássio (orgs.). Exército Brasileiro: perspectivas interdisciplinares 1ª ed. Rio de Janeiro: Mauad . p. 170-172.
  9. «Ativação do 2º Batalhão de Comunicações e Guerra Eletrônica de Selva». Defesa news. Consultado em 6 de outubro de 2021 
  10. «Ativação do 2º Batalhão de Comunicações e Guerra Eletrônica de Selva». Instagram do CMN. Consultado em 6 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]