Copa Europeia/Sul-Americana de 1987

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Copa Europeia/Sul-Americana 1987
1 a 1 no tempo normal,
o Porto venceu por 1 a 0 na prorrogação
Data 13 de Dezembro de 1987
Local National Stadium, Tóquio
Melhor em campo Rabah Madjer (Porto)
Árbitro Áustria Franz Wöhrer
Público 68.000

A Copa Europeia/Sul-Americana de 1987, também conhecida como Copa Toyota e Copa Intercontinental, foi disputada a 13 de Dezembro de 1987 entre o FC Porto, de Portugal, vencedor da Taça dos Campeões Europeus, e o Peñarol, do Uruguai, campeão da Taça Libertadores da América.[1]

O desafio realizou-se debaixo de intenso nevoeiro e neve que cobria todo o relvado (condições inéditas para os dois clubes latinos). Foi um jogo muito disputado no meio-campo exigindo mais força e resistência que técnica pois a bola rolava pouco sobre a neve.

Em 27 de outubro de 2017, após uma reunião realizada na Índia, o Conselho da FIFA reconheceu os vencedores da Copa Intercontinental como campeões mundiais.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

Naquela decisão, Porto e Peñarol entraram no Estádio Nacional de Tóquio e não pisaram em um gramado, mas sim em neve. Muita neve! O inverno na cidade à época estava mais rigoroso do que de costume e o verde deu lugar a um branco sem fim, que obrigou o juiz a colocar em campo uma bola amarela bem chamativa. De amarelo também jogou o Peñarol, que deixou de lado sua tradicional camisa aurinegra para se destacar no gelo japonês. A tática uruguaia ajudou o Porto, que soube distinguir o que era gelo e o que era Peñarol durante um jogo duro e que impossibilitava passes precisos ou jogadas mais trabalhadas. Além da neve sobre o gramado, ela continuava a cair do céu e dificultava ainda mais a prática do futebol. Fosse hoje, o duelo com certeza seria adiado. Mas, na época, os jogadores tiveram que fazer o possível e o impossível para decidir o título naquele dia.

A partida[editar | editar código-fonte]

O primeiro gol do jogo saiu no final do primeiro tempo, quando Fernando Gomes fez uma bonita jogada na área, cortou um zagueiro e chutou para o gol. No segundo tempo, era impossível prever mais um gol com a bola penando tanto para rolar, mas Vieira conseguiu empatar para os uruguaios, aos 35´, levando o duelo para a prorrogação. Nela, brilhou a estrela de Madjer, que roubou a bola de um zagueiro, viu o goleiro Pereira adiantado e chutou por cobertura, conseguindo a proeza de marcar um golaço na neve e dar o título intercontinental ao Porto. Em sua primeira decisão, o Porto conseguia o que o rival Benfica não conseguiu em 1961 e 1962: ser campeão interclubes. Enfim, um clube português era o melhor do mundo.

Clubes Participantes[editar | editar código-fonte]

Localidade das equipes que disputaram a Copa Toyota 1987.
Confederação Equipe Classificação Participação
CONMEBOL Uruguai Peñarol Campeão da Copa Libertadores da América de 1987
UEFA Portugal Porto Campeão da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1986–87

Chaveamento[editar | editar código-fonte]

  A Classificação[NOTA] Copa Intercontinental
                     
 Portugal Porto 2  
 Alemanha Bayern de Munique 1  
   Portugal Porto (pro) 2
   Uruguai Peñarol 1
 Uruguai Peñarol (pro) 0 2 1
 Colômbia América de Cali 2 1 0
Notas

Final[editar | editar código-fonte]

13 de dezembro de 1987 Portugal Porto 2–1 Peñarol Uruguai Estádio Nacional , Tóquio, Japão

Gomes Gol marcado aos 41 minutos de jogo 41'
Rabah Madjer Gol marcado aos 110 minutos de jogo 110'
1-1
1–0
(prorrogação)
Relatório
Vieira Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80' Público: 68,000
Árbitro: Áustria Franz Wöhrer
GK 1 Polónia Józef Młynarczyk
DF 2 Portugal João Pinto Capitão
DF 3 Portugal Augusto Inácio
DF 5 Portugal Lima Pereira
MF 6 Portugal Rui Barros Substituído após 61 minutos de jogo 61'
MF 4 Brasil Geraldão
MF 7 Portugal Jaime Magalhães
MF 8 Argélia Rabah Madjer
MF 10 Portugal António Sousa
FW 9 Portugal Fernando Gomes
FW 11 Portugal António André
Reservas:
GK 12 Portugal Zé Beto
MF 13 Portugal Quim Entrou em campo após 61 minutos 61'
MF 14 Portugal António Frasco
DF 15 Portugal João Manuel Festas
FW 16 Brasil Juary
Técnico:
República Socialista Federativa da Iugoslávia Tomislav Ivić
GK 1 Uruguai Eduardo Pereira Capitão
DF 4 Uruguai José Herrera Substituído após 95 minutos de jogo 95'
DF 2 Uruguai Marcelo Rotti
DF 3 Uruguai Obdulio Trasante
DF 6 Uruguai Alfonso Domínguez
MF 8 Uruguai Eduardo da Silva
MF 5 Uruguai José Perdomo
MF 10 Uruguai Ricardo Viera
MF 7 Uruguai Daniel Vidal
FW 9 Uruguai Diego Aguirre
FW 11 Uruguai Jorge Cabrera Substituído após 46 minutos de jogo 46'
Reservas:
GK 12 Uruguai Óscar Ferro
DF 13 Uruguai Jorge Gonçálvez Entrou em campo após 95 minutos 95'
FW 14 Uruguai Daniel Rodríguez
MF 15 Argentina Gustavo Matosas Entrou em campo após 46 minutos 46'
FW 16 Uruguai Jorge Villar
Técnico:
Uruguai Óscar Tabárez

Homem do Jogo:
Rabah Madjer (Porto)
Assistentes:
Coreia do Sul Na Yoon-Shik
Japão Shizuo Takada

Campeão[editar | editar código-fonte]

Copa Européia/Sul-Americana de 1987
Flag of Portugal.svg
Porto
1º Título

Referências

  1. Bobrowsky, Josef (13 de fevereiro de 2005). «Intercontinental Club Cup 1987». RSSSF. Consultado em 4 de novembro de 2009 
  2. «Fifa reconhece títulos mundiais de Santos, Flamengo, Grêmio e São Paulo». ESPN. Consultado em 27 de outubro de 2017 
  3. «Fifa reconhece Santos, Fla e Grêmio como campeões mundiais». Veja. Consultado em 28 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]