Dalcy de Oliveira Albuquerque

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dalcy de Oliveira Albuquerque
Cidadania Brasil
Ocupação entomologista

Dalcy de Oliveira Albuquerque foi um renomado entomologista brasileiro que, ao longo de sua carreira, chegou a ser diretor do Museu Nacional.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Dalcy de Oliveira chegou ao Museu Goeldi no ano de 1962, juntamente com outros dois entomólogos de renome: Isolda Rocha e Silva Albuquerque e Roger Hipolyte Pierre Arlé.[1] Dalcy Albuquerque veio assumir a direção e, em consequência, não publicou trabalhos científicos durante seus seis anos de permanência no Museu.[1] Por outro lado ia todos os dias ao laboratório, ajudando e acompanhando as pesquisas.[1] Uma preocupação dele foi a formação de pessoal da própria região para exercer a função de pesquisa entomológica.[1] Therezinha de Jesus Pimentel Chaves, agora uma pesquisadora em entomologia, foi orientada por Dalcy Albuquerque, lembra a dedicação do seu mestre.[1] O pesquisador Albuquerque e seus dois estagiários e os técnicos Apolinário Azevedo de Souza e Maria Fernanda Pinto Torres iniciaram o projeto remontagem e recuperação da antiga coleção do Adolpho Ducke, uma coleção que tem muitos tipos perdidos durante cinquenta anos, quando a coleção foi encaixotada.[1]

Referências

  1. a b c d e f g «Entomologia do Museu Goeldi» (PDF). 1981. Consultado em 26 de setembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
José Lacerda de Araújo Feio
Diretor(a) do Museu Nacional
1972 — 1976
Sucedido por
Luis Emygdio de Mello Filho
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.