Dignity

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dignity
Álbum de estúdio de Hilary Duff
Lançamento 21 de março de 2007 (2007-03-21)
Gravação 2006–2007
Gênero(s) Dance-pop, electro
Duração 48:44
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD, download digital
Gravadora(s) Hollywood
Produção Chico Bennett, Mateo Camargo, Kara DioGuardi, Victor Gonzalez, Derrick Haruin, Logic, Rhett Lawrence, Raine Maida, Fredwreck Nassar, Vada Nobles, Ryan Tedder, Tim & Bob, Greg Wells, Richard Vission
Cronologia de Hilary Duff
Forever Hilary
(2006)
Best of Hilary Duff
(2008)
Singles de Dignity
  1. "Play with Fire"
    Lançamento: 21 de agosto de 2006 (2006-08-21)
  2. "With Love"
    Lançamento: 20 de fevereiro de 2007 (2007-02-20)
  3. "Stranger"
    Lançamento: 25 de junho de 2007 (2007-06-25)

Dignity é o quarto álbum de estúdio da artista musical norte-americana Hilary Duff, lançado em em 21 de março de 2007 através da Hollywood Records. A cantora começou a desenvolver o projeto em sucessão a eventos marcantes que vivenciou pessoalmente depois de lançar seu terceiro disco inédito, Hilary Duff (2004), incluindo ser vítima de uma perseguição persistente, a separação de seus pais e o fim de um relacionamento amoroso. Duff assumiu consequentemente uma posição essencial na produção de seu quarto disco, em contraste com seu seu envolvimento anteriormente limitado, co-escrevendo quase todas as faixas que o compõem com a colaboradora de longa data Kara DioGuardi, que se encarregou da produção musical do disco juntamente com Chico Bennett, Mateo Camargo, Victor Gonzalez, Derrick Haruin, Logic, Rhett Lawrence, Raine Maida, Fredwreck Nassar, Vada Nobles, Ryan Tedder, Tim & Bob, Greg Wells e Richard Vission.

Diferente dos temas majoritariamente pop rock dos lançamentos anteriores, Dignity apresenta uma sonoridade mais inspirada na música dance, que a artista disse não ser a sua intenção inicial ao escrever o álbum. Entre as influências citadas por ela para elaboração do disco encontram-se a banda The Faint e as cantoras Beyoncé e Gwen Stefani. Musicalmente, é derivado do dance-pop e electro, contendo influências de electropop, new wave, rock e hip-hop, com letras que referenciam as experiências passadas pela cantora no período que antecede a criação do material.

O disco foi geralmente recebido de maneira positiva pela crítica especializada; foi tanto elogiado por sua composição quanto pela nova direção sonora tomada por Duff. Três singles foram extraídos para sua divulgação, sendo estes respectivamente "Play with Fire", "With Love" e "Stranger". Assim que entrou em distribuição, Dignity estreou na terceira posição da Billboard 200 nos Estados Unidos, um auge mais baixo e com menor nível de vendas do que os álbuns anteriores de Duff, que a revista homônima atribuiu à perda de fãs durante a evolução musical da intérprete. Apesar disso, rendeu o melhor desempenho da cantora em território norte-americano até a data, quando "With Love" alcançou a 24.ª colocação na Billboard Hot 100. Em termos comerciais, o projeto alcançou ainda as dez melhores posições em outros quatro países e conquistou certificado de ouro nos Estados Unidos, Irlanda e Itália.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

O álbum de estúdio anterior de Duff, o autointitulado Hilary Duff (2004), recebeu diversas críticas negativas.[1][2] Apesar de ter pico no número dois na Billboard 200, o seu desempenho comercial foi modesto: ele saiu do gráfico depois de 33 semanas e vendeu 1,8 milhões de cópias somente nos Estados Unidos.[3][4]

Entre os lançamentos de Hilary Duff e Dignity, a vida pessoal de Duff passou por momentos conturbados. Em outubro de 2006, ela e seu namorado na época, Joel Madden da banda de punk rock Good Charlotte, afirmaram que eles estavam sendo perseguidos pelo emigrante russo Maksim Miakovsky e seu companheiro de quarto, o paparazzo David Joseph Klein.[5] De acordo com uma ordem de restrição arquivada por Duff, Miakovsky veio para os Estados Unidos apenas para buscar um relacionamento com ela.[6] Ele foi preso depois de ameaçar matá-la.[7] Em novembro, ela terminou seu relacionamento de dois anos com Madden.[8] Ao mesmo tempo, seu pais Robert Erhard Duff e sua mãe Susan Colleen se separaram após 22 anos de casamento depois de um caso amoroso entre Robert e outra mulher.[9]

Composição[editar | editar código-fonte]

Como inspiração para o álbum, Duff citou a banda de indie rock The Faint e cantoras de música pop, como Gwen Stefani e Beyoncé,[10] enquanto os críticos compararam seu estilo musical com o de Stefani, Janet Jackson, Depeche Mode, Madonna e Justin Timberlake.[4][11][12] Duff sentiu que temas dance-pop do álbum foram um desvio do pop rock de seus álbuns anteriores. "Eu não necessariamente planejei o álbum soar como isso, mas era tão fácil de escrever", disse ela.[13] Os críticos também observaram que o estilo musical de Dignity é dance rock, new wave e electropop com influências do hip hop, rock and roll e música do Oriente Médio.[14][15][16] De acordo com Duff, o álbum é uma combinação de dance, electro e rock.[17]

As letras de várias das músicas se relacionam com as experiências vivenciadas por Duff entre os lançamentos de Hilary Duff e Dignity. As canções "Stranger" e "Gypsy Woman", apesar das especulações de que elas foram escritas sobre Nicole Richie, a então nova namorada de Madden, foram escritas sobre o caso extraconjugal do pai de Duff.[4] Ela disse que "Stranger" foi escrito a partir da perspectiva de sua mãe. “"Stranger" é uma canção que eu escrevi sobre como minha mãe deve se sentir a cerca de meu pai”, disse ela. "Eu fiz parecer que era sobre um relacionamento que no qual eu estava, porque eu não queria que as pessoas soubessem sobre meus pais. Mas eu percebi que muitas pessoas podem se relacionar com o que eu pelo qual já passei."[4] A faixa-título do álbum também foi apontada para ser sobre Richie, contudo Duff não regou os rumores de que ela seja. “"Dignity" é uma canção que é definitivamente sobre as pessoas em Hollywood”, exprimiu ela. "Eu não diria que é sobre ela especificamente, mas é sobre aquele tipo de pessoas que fazem o que ela faz e agem da forma como ela age."[18] A canção "Danger" foi escrita com base em um relacionamento de uma de suas amigas com um homem mais velho. "Eu entendo esse sentimento de querer ser perigoso", expressou ela. "Você pode saber, moralmente, algo que não está certo, mas você não pode ajudar a si mesmo".[10] Ela afirmou que "Dreamer" foi redigida em uma forma engraçada a respeito de um stalker, e especula-se que ela seja especificamente sobre Miakovsky.[19][20]

Desempenho nas tabelas musicais[editar | editar código-fonte]

Posições[editar | editar código-fonte]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Edição padrão
N.º Título Letra Produção Duração
1. "Stranger"  
  • Nobles
  • Haruin
  • Logic
4:11
2. "Dignity"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Chico Bennett
  • Richard Vission
  • Bennett
  • Vission
3:13
3. "With Love"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Nobles
  • Diaz
  • Nobles
  • Logic
3:01
4. "Danger"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Nobles
  • Mateo Camargo
  • Diaz
  • Nobles
  • Camargo
  • Logic
3:31
5. "Gypsy Woman"   Tedder 3:15
6. "Never Stop"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Bennett
  • Vission
  • Bennett
  • Vission
  • Victor Gonzalez
3:13
7. "No Work, All Play"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Greg Wells
  • Wells
  • DioGuardi
4:17
8. "Between You and Me"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Bennett
  • Vission
  • Bennett
  • Vission
3:05
9. "Dreamer"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Fredwreck Nassar
  • Nassar
  • DioGuardi
3:11
10. "Happy"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Mitch Allan
  • Rhett Lawrence
  • Bennett
  • Vission
3:29
11. "Burned"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Nassar
  • Nassar
  • DioGuardi
3:22
12. "Outside of You"  
  • Bennett
  • Vission
  • Maida
4:04
13. "I Wish"  
  • Duff
  • DioGuardi
  • Tim Kelley
  • Bob Robinson
Tim & Bob 3:51
14. "Play with Fire"  
Lawrence 3:01
Duração total:
48:44

Referências

  1. Burr, Ty (15 de outubro de 2004). «Music Review: Hilary Duff (2004)» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  2. Burns, Todd (24 de setembro de 2004). «Hilary Duff – Hilary Duff – Review» (em inglês). Stylus Magazine. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  3. «Hilary Duff – Hilary Duff» (em inglês). Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  4. a b c d «Duff Explores Her Dance Side On 'Dignity'» (em inglês). Billboard. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  5. «Hilary Duff & Joel Madden: We're In Mortal Danger» (em inglês). TMZ. 12 de outubro de 2006. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  6. «Jovem é preso por ameaçar Hilary Duff». Cineclick. 8 de novembro de 2006. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  7. «Man Busted After Allegedly Threatening to Kill Duff» (em inglês). TMZ. 5 de novembro de 2006. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  8. «Hilary Duff termina o namoro com Joel Madden, do Good Charlotte». Vírgula. UOL. 28 de novembro de 2006. Consultado em 9 de outubro de 2015 
  9. Gardner, Elysa (2 de abril de 2007). «he focus is on Hilary» (em inglês). USA Today. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  10. a b Gardner, Elysa (2 de abril de 2007). «Duff finds 'Dignity' in words» (em inglês). USA Today. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  11. Cooper, Lana (5 de janeiro de 2007). «Hilary Duff: Dignity - PopMatters» (em inglês). PopMatters. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  12. Erlewine, Stephen Thomas. «Dignity > Review» (em inglês). AllMusic. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  13. «From Duff With 'Love'» (em inglês). Billboard. Nielsen Business Media, Inc. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  14. «Billboard CD reviews: Hilary Duff, Martina McBride» (em inglês). 31 de março de 2007. Consultado em 10 de setembro de 2015  Texto "publicadoReuters. Thomson Reuters" ignorado (ajuda)
  15. Bernstein, Jonathan (6 de abril de 2007). «Dignity Review» (em inglês). Entertainment Weekly. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  16. de Sylvia, Dave (12 de abril de 2007). «Hilary Duff – Dignity Review» (em inglês). Sputnikmusic. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  17. 2007. Em "At Home with Hilary Duff" presente no encarte de Dignity deluxe edition DVD. Hollywood Records.
  18. «Hilary dumps teen queen tag» (em inglês). The Sunday Mail. 1 de abril de 2007. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  19. Stevenson, Jane. «Hilary Duff avoids party crowd» (em inglês). Jam!. Canoe Inc. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  20. «Hilary Duff takes aim at Nicole Richie?» (em inglês). MSNBC. 7 de março de 2007. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  21. «"CAPIF - Ranking Semanal Pop: Semana de 7 al 13 de Noviembre de 2010"» (em espanhol). Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Consultado em 27 de fevereiro de 2013. Para localizar o posicionamento do álbum na lista, selecione 'Ranking Semanal Pop' na opção 'Tipo' e '07/11/2010' na opção 'Fecha'. 
  22. «"Albums Top 50 (14/11/2010)"». Hung Medien (em inglês). Australian Recording Industry Association. Consultado em 21 de janeiro de 2013 
  23. Em seu primeiro período de liderança na Canadian Albums Chart, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  24. «"Hrvatska Top Lista Prodaje (Inozemni Program): 04.04.2011 - 10.04.2011"». IFPI Croatia (em croata). Top of the Shops. Consultado em 23 de novembro de 2012 
  25. «"Top 100 Albumes - Semana 43: del 25.10.2010 al 31.10.2010"» (PDF) (em espanhol). Productores de Música de España. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  26. Em seu primeiro período de liderança na Billboard 200, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  27. «"Le classement des Albums Nouveautés - Semaine du 25/10/2010 au 31/10/2010"» (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  28. «"Top 75 Artist Album, Week Ending 28 October 2010"». Irish Recorded Music Association (em inglês). GFK Chart-Track. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  29. «"Classifica settimanale dal 25/10/2010 al 31/10/2010"» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  30. «"Billboard Japan Top Albums (2010/11/22)"» (em jp). Billboard Japan. Consultado em 1 de fevereiro de 2013 
  31. «"MexicanCharts.com: Taylor Swift – Speak Now"». Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas (em espanhol). MexicanCharts.com. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  32. Em seu período de liderança na RIANZ Albums Chart, Speak Now permaneceu no topo durante duas semanas consecutivas. A lista de fontes que comprova a informação está presente logo abaixo:
  33. «"2010-11-06 Top 40 Official UK Albums Archive"» (em inglês). Official Charts Company. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  34. «"Hitparade.ch: Taylor Swift - Speak Now"» (em alemão). Schweizer Hitparade. Consultado em 24 de novembro de 2012 
  35. «Dignity: Hilary Duff» (em inglês). Amazon.com. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  36. «Dignity: Hilary Duff» (em inglês). Amazon.com. Consultado em 10 de setembro de 2015 
  37. «Hilary Duff - Dignity (+2 Bonus Tracks) [ENHANCED]» (em inglês). Amazon.com. Consultado em 10 de setembro de 2015