Entre os Dedos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Entre os Dedos
Título internacional Noise
Portugal Portugal /  Brasil
2008 •  p&b •  100 min 
Realização Frederico Serra
Tiago Guedes
Produção Clap Filmes
Plateau Produções
Produção executiva Paulo Branco
Roberto Tibiriçá
Argumento Rodrigo Guedes de Carvalho
Elenco Filipe Duarte
Isabel Abreu
Lavínia Moreira
Género drama
Música Jorge Coelho
Cinematografia Paulo Ares
Direção de arte Isabel Branco
Som Pedro Melo
Figurino Lucha d'Orey
Edição Mair Tavares
Mariana Gaivão
Distribuição Leopardo Filmes
Poli Filmes
Lançamento
  • 23 de outubro de 2008 (2008-10-23) (Portugal)
  • 20 de março de 2009 (2009-03-20) (Brasil)
Idioma português

Entre os Dedos é uma longa-metragem dramática luso-brasileira de 2008, realizada por Frederico Serra e Tiago Guedes, produzida por Paulo Branco e Roberto Tibiriçá, a partir de um argumento do jornalista e romancista Rodrigo Guedes de Carvalho.[1][2] O filme retrata a história de um casal português, Paulo e Lúcia (interpretados respetivamente por Filipe Duarte e Isabel Abreu), que vê os seus laços afetivos quebrarem-se devido a uma agonia financeira.[3]

A longa-metragem fez parte do programa do Festival Internacional de San Sebastián, onde estreou a 19 de setembro de 2008. Entre os Dedos foi lançado comercialmente a 23 de outubro do mesmo ano em Portugal e a 20 de março de 2009 no Brasil.[4] Apesar de uma receção mista pela crítica, ao longo do seu percurso em vários festivais, o filme foi premiado, nomeadamente no Festival Internacional de Cine de Cartagena das Índias, com os Prémios de Melhor Filme e Melhor Ator.[5]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Paulo, pedreiro de profissão, perde o emprego após denunciar às autoridades um acidente que provocou uma derrocada na obra onde trabalha. O seu relacionamento com a esposa Lúcia começa a deteriorar-se a cada dia que vivem num subúrbio de Lisboa. Bela, a irmã de Paulo, mora com o pai de ambos que sofre uma perturbação de stress pós-traumático desde a sua participação na guerra do Ultramar. Ela é enfermeira e o único conforto para Nuno, um paciente em estado terminal que também tem dificuldade em relacionar-se com a sua mãe.[6]

A família de Paulo, unida noutros tempos, tenta sobreviver entre a resistência, o conformismo e a desistência. Lúcia mal consegue sustentar a família com o seu salário do serviço de limpezas, enquanto o marido pouco faz para encontrar outro emprego. Entretanto, a incomunicabilidade é crescente, tornando-se legado de apatia que contamina a geração seguinte.[1]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Equipa técnica[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Entre os Dedos é uma longa-metragem produzida pela Clap Filmes (Portugal) e Plateau Produções (Brasil), com a participação financeira do Instituto do Cinema e do Audiovisual, da RTP, do Programa Ibermedia e da Agência Nacional do Cinema, bem como o investimento do Fundo de Investimento para o Cinema e o Audiovisual.[11]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Após a estreia de Coisa Ruim, Frederico Serra e Tiago Guedes pretendiam "fazer um filme de atores com cenas fortes e o nosso propósito era fazer uma experimentação grande do ponto de vista do processo".[3] Assim, os realizadores desafiaram o jornalista e romancista Rodrigo Guedes de Carvalho a escrever um novo argumento para eles, desta feita com essa premissa principal focada num trabalho de atores.[12] Depois de terminado e entregue, os realizadores continuaram a reescrever e editar o guião, envolvendo também o elenco ao longo dos ensaios que tinha a liberdade de desenvolver e explorar as temáticas sociais da narrativa. Os técnicos de Direção de Fotografia e Direção de Arte foram também envolvidos desde cedo no processo de desenvolvimento do filme. Foi Rodrigo Guedes de Carvalho quem propôs o título do filme, por este abordar "aquilo que nos escapa, que nos foge e não conseguimos segurar".[3]

Rodagem[editar | editar código-fonte]

Entre os Dedos foi filmado a preto e branco em película 16mm para diferenciar de um registo televisivo.[13] Trabalhando sem planos previstos ou marcações, os membros da equipa técnica foram instruídos para estudar o ensaio dos atores e de seguida acompanhar o modo como estes ocupavam os cenários durante a filmagem. Segundo Tiago Guedes "o que foi mais complicado de passar à equipa é que tínhamos que ir atrás do ponto emocional da cena, que muitas vezes não está em quem fala, mas sim em quem ouve. Houve uma sintonia muito grande, ao fim de uma semana já estávamos incorporados daquilo a que íamos atrás. Tudo isto para dizer que não há um take repetido, um take igual. (...) Tens cenas como a discussão entre o Paulo e a Lúcia – no plano de rodagem o assistente de realização tinha posto só uma cena antes para depois termos o dia todo para preparar a discussão. Estivemos duas horas a preparar a cena, a luz, a pensar como íamos fazer, toda a gente a falar baixo. Depois do primeiro take eles fizeram a cena e o plateau ficou todo sem saber o que fazer: tinha ficado feito à primeira. As cenas mais difíceis acabaram por se tornar rapidamente nas mais fáceis."[14]

Montagem[editar | editar código-fonte]

A montagem foi a fase mais difícil do filme, uma vez quando editado como estava escrito no guião original, a estrutura não funcionava. Para Tiago Guedes "foi um pesadelo. Começámos a baralhar e a misturar e de repente demos voltas grandes e começámos a fazer o objecto final que acabou por ser moldado na montagem".[14] A solução encontrada foi estruturar a obra como slice of life, representando um momento das experiências quotidianas dos personagens sem interesse em encerrar uma história. Uma das mudanças entre o argumento original e a versão final foi o corte da morte de Nuno, por os autores considerarem que a cena fragilizava o filme. O produtor Paulo Branco foi mais interventivo no processo de montagem, oferecendo interferências criativas profundas após ver a primeira versão de Entre os Dedos, que despoletou um novo processo de revisão do filme.[9]

Temas e estética[editar | editar código-fonte]

Depois de Coisa Ruim, onde Tiago Guedes e Frederico Serra assumem uma tentativa de fazer um filme de género demarcado (terror/fantástico) a sua abordagem estética que mistura elementos realistas e experimentais é melhor expressa em Entre os Dedos, onde aplicam uma estrutura narrativa de filme-mosaico. No filme, o modo como os personagens confluem e as cenas se construem permite-lhes abordar várias temáticas sociais da vida contemporânea portuguesa (eg. o desemprego, as margens sociais, a doença). Os autores aplicam técnicas que trazem da publicidade, como uma câmara em constante movimento (ansiosa tal como os personagens) e um jogo com a profundidade de campo.[15]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

A primeira exibição de Entre os Dedos decorreu a 19 de setembro de 2008, enquadrado na secção "Zabaltegi - Nuevos Directores" do 56º Festival Internacional de San Sebastián.[16][17] A longa-metragem chegou depois, a 23 de outubro do mesmo ano, aos cinemas portugueses, depois de ter anteestreado a 14 de outubro no Cinema Monumental em Lisboa.[18] No Brasil, o filme estreou a 20 de março de 2009. Entre os Dedos foi posteriormente editado em DVD em dezembro de 2009 pela CLAP Filmes.[19]

A 10 de dezembro de 2010, Entre os Dedos estreou em televisão, pela RTP2.[20] O filme voltaria a ser transmitido pelo mesmo canal a 17 de outubro de 2020 e 31 de julho de 2021, data a partir da qual ficou disponível na plataforma de streaming RTP Play.[5]

Festivais[editar | editar código-fonte]

Após a sua estreia no Festival de San Sebastián, Entre os Dedos foi selecionado para integrar outros festivais internacionais de cinema, dos quais se destacam:

Receção[editar | editar código-fonte]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Aquando a sua distribuição comercial em Portugal, a longa-metragem foi vista por 3.430 espetadores em sala ao longo de 2008, e 433 em 2009.[24]

Crítica[editar | editar código-fonte]

De maneira geral, a crítica especializada teceu críticas mistas ou negativas a Entre os Dedos. Jay Weissberg, questiona na Variety a opção de filmar a preto e branco, considerando que as opções estéticas dos autores não contribuem para uma "visão sobre a condição humana, em vez disso, chafurdam na miséria, com o ocasional acorde de guitarra sublinhando a melancolia de todos".[25] No Público, Vasco Câmara[26] e Mário Jorge Torres apresentam uma perspetiva mais moderada, com o último a concluir ainda assim que o filme "de tanto querer ser realista, acaba por tornar-se abstrato".[27]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Apresentam-se de seguida as nomeações e premiações de Entre os Dedos:

Ano Premiação Categoria Trabalho Resultado Ref.
2008 Festival internacional de Cinema de Turim Prémio Ciputti Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Venceu [9]
Melhor longa-metragem Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Indicado
2009 Festival Internacional de Cinema de Guadalajara Competição Ibero-América: Melhor filme Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Indicado
Globos de Ouro Melhor filme Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Indicado [28]
Melhor ator Filipe Duarte Indicado
Melhor atriz Isabel Abreu Indicado
Caminhos do Cinema Português Melhor filme Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Venceu
Festival Internacional de Cine de Cartagena das Índias Melhor filme Entre os Dedos, Paulo Branco e Roberto Tibiriçá Venceu [29]
Melhor ator Filipe Duarte Venceu

Referências

  1. a b Portugal, Rádio e Televisão de. «Entre os Dedos - Filmes - Drama - RTP». www.rtp.pt. Consultado em 17 de março de 2023 
  2. «Entre os Dedos (película 2008) - Tráiler. resumen, reparto y dónde ver. Dirigida por Tiago Guedes, Frederico Serra». La Vanguardia (em espanhol). 17 de março de 2023. Consultado em 17 de março de 2023 
  3. a b c ««Entre os Dedos»: o retorno ao preto e branco». TVI Notícias. Consultado em 17 de março de 2023 
  4. «Entre os Dedos - SAPO Mag». webcache.googleusercontent.com. Consultado em 17 de março de 2023 
  5. a b André Pereira. «RTP2 exibe "Entre os Dedos", de Tiago Guedes e Frederico Serra, este sábado». Fantastic - Cultura na palma da tua mão. Consultado em 17 de março de 2023 
  6. «Entre os Dedos». Consultado em 17 de março de 2023 
  7. «Isabel Abreu | AGM». 20 de maio de 2022. Consultado em 17 de março de 2023 
  8. «Reparto de Entre os Dedos (película 2008). Dirigida por Tiago Guedes, Frederico Serra». La Vanguardia (em espanhol). 17 de março de 2023. Consultado em 17 de março de 2023 
  9. a b c «Entre os Dedos». plateau. Consultado em 17 de março de 2023 
  10. «Tiago Guedes». APR - Associação Portuguesa de Realizadores. Consultado em 17 de março de 2023 
  11. «Entre os Dedos». Tiago Guedes (em inglês). Consultado em 17 de março de 2023 
  12. «Tiago Guedes: 'O que me fascina muito é esta roda de contágio que se pode criar entre os diferentes campos.'». www.bertrand.pt. Consultado em 17 de março de 2023 
  13. Coelho, Alexandra Prado. «O dia em que a vida nos apanha». PÚBLICO. Consultado em 18 de março de 2023 
  14. a b «ENTREVISTAS» (PDF). webcache.googleusercontent.com. Consultado em 17 de março de 2023 
  15. «Cinema em Português: Actas das II Jornadas» (PDF). webcache.googleusercontent.com. Consultado em 17 de março de 2023 
  16. cinematográfica, Leopardo Filmes-Produção e distribuição. «Entre os Dedos». Leopardo Filmes - Produção e distribuição cinematográfica. Consultado em 17 de março de 2023 
  17. ««Entre os Dedos» estreia esta sexta-feira em San Sebastián». TVI Notícias. Consultado em 17 de março de 2023 
  18. Lusa. «"Entre os Dedos", novo filme de Tiago Guedes e Frederico Serra». PÚBLICO. Consultado em 17 de março de 2023 
  19. «Entre os Dedos - Tiago Guedes - Frederico Serra - FILIPE DUARTE/ISABEL ABREU - Filipe Duarte - DVD Zona 2 - Compra filmes e DVD na Fnac.pt». webcache.googleusercontent.com. Consultado em 17 de março de 2023 
  20. «"Entre os Dedos", de Tiago Guedes e Frederico Serra (RTP2/ Sábado, 10 - 23h50)». alma-lusa.blogs.sapo.pt. Consultado em 17 de março de 2023 
  21. ««Entre os Dedos» em competição em Turim». TVI Notícias. Consultado em 17 de março de 2023 
  22. «Film card». Torino Film Fest (em inglês). Consultado em 17 de março de 2023 
  23. burocratik.com. «Entre os Dedos». TAGV (em inglês). Consultado em 17 de março de 2023 
  24. «Lumiere». lumiere.obs.coe.int. Consultado em 18 de março de 2023 
  25. Weissberg, Jay (25 de setembro de 2008). «Noise». Variety (em inglês). Consultado em 17 de março de 2023 
  26. Câmara, Vasco. «Os portugueses». PÚBLICO. Consultado em 18 de março de 2023 
  27. Torres, Mário Jorge. «Entre os Dedos». PÚBLICO. Consultado em 18 de março de 2023 
  28. «Manoel de Oliveira homenageado nos Globos de Ouro». Expresso. 18 de maio de 2009. Consultado em 28 de abril de 2014 
  29. «Entre os Dedos ver online em Filmin». webcache.googleusercontent.com. Consultado em 17 de março de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]