Epitácio Cafeteira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Epitácio Cafeteira
Senador pelo Maranhão
Período 1º de fevereiro de 2007
até 1º de fevereiro de 2015
e de 1º de fevereiro de 1991
até 1º de fevereiro de 1999
Governador do Maranhão
Período 15 de março de 1987
até 3 de abril de 1990
Antecessor(a) Luís Rocha
Sucessor(a) João Alberto de Souza
Deputado federal do Maranhão
Período 1975 a 1987
(3 mandatos consecutivos)
Prefeito de São Luís
Período 1965 a 1969
Dados pessoais
Nascimento 27 de junho de 1924
João Pessoa, PB
Morte 13 de maio de 2018 (93 anos) 
Esposa Maria Isabel Cafeteira
Partido PTB
Religião Católico Romano
linkWP:PPO#Brasil

Epitácio Cafeteira Afonso Pereira, mais conhecido como Epitácio Cafeteira GCIH (João Pessoa, 27 de junho de 192413 de maio de 2018) foi um político brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de José Justino Pereira do Café e Eudóxia Afonso Pereira. Foi funcionário do Banco do Brasil e técnico em Contabilidade, iniciou sua carreira política no Maranhão ao eleger-se suplente de deputado federal pelo PR em 1962 chegando a exercer o mandato mediante convocação. Em 1965 foi eleito prefeito de São Luís ingressando no MDB após a imposição do bipartidarismo pelos militares e por esse partido foi derrotado ao disputar o Senado em 1970. Sua relação com o José Sarney oscilou ao longo dos anos entre a situação de aliado e a de adversário sendo que a primeira ruptura entre eles ocorreu a partir dos anos 1970 quando Cafeteira foi eleito deputado federal pelo MDB em 1974 e 1978 chegando a presidir o diretório regional do partido no Maranhão. Ao longo da década seguinte esteve integrado ao PMDB sendo reeleito deputado federal em 1982 e tão logo seu então adversário José Sarney assumiu a presidência da República (1985-1990), se reconciliam e Cafeteira foi eleito governador do Maranhão em 1986 com um percentual superior a 80% dos votos válidos.

À 26 de novembro de 1987 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[2]

Sua gestão frente ao executivo maranhense findou com a sua renúncia em 1990 quando já havia deixado o PMDB e se filiado ao PDC sendo eleito senador. Nesse momento sua posição ante o clã Sarney era a de adversário e sua eleição para a Câmara Alta do país foi facilitada pela decisão de José Sarney em disputar uma vaga pelo recém-criado estado do Amapá. Pesaram na decisão fatores como: a melhor articulação de Cafeteira junto às forças políticas do estado, o desgaste de Sarney após sua gestão frente a Presidência da República e o fato de que o Amapá elegeria três senadores ao invés de um como no caso do Maranhão. Fato curioso é que o candidato a governador apoiado pelos aliados de Cafeteira foi João Castelo, a quem o próprio Cafeteira derrotou em 1986. Ao final, a vitória coube a Edison Lobão em segundo turno.

Extinto o PDC em 1993, Epitácio Cafeteira ingressou no PPR e foi derrotado por Roseana Sarney na disputa pelo governo do Maranhão no segundo turno das eleições de 1994 sendo novamente derrotado pela mesma adversária na disputa pelo Palácio dos Leões no primeiro turno das eleições de 1998 quando já estava filiado ao PPB, disputou a eleição para senador em 2002 pelo PDT, ficando em terceiro lugar. Abandonando sua postura de adversário da família Sarney foi eleito senador após fazer uma aliança com a mesma sendo filiado ao PTB em 2006.

Epitácio Cafeteira foi o primeiro relator do processo movido contra o senador Renan Calheiros por quebra de decoro parlamentar em 2007 tendo se posicionado a favor da absolvição do então presidente do Senado.[3]

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Epitácio Cafeteira, quando prefeito de São Luís, foi apelidado de "Epitácio Cafeteira da Família dos Bules" por Stanislaw Ponte Preta, ao ser citado no livro Febeapá - O Festival de Besteira que Assola o País, por ter proibido o uso de máscaras nos bailes de carnaval de 1965, a fim de facilitar a localização dos então chamados subversivos pela autoridades policiais.

Referências

  1. «Ex-governador do Maranhão, Epitácio Cafeteira morre aos 93 anos». G1. Globo.com. 13 de maio de 2018. Consultado em 13 de maio de 2018. 
  2. «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Epitácio Cafeteira". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016. 
  3. Congresso em Foco, 17/09/2007 http://congressoemfoco.ig.com.br/Noticia.aspx?id=18960 Congresso em Foco, 17/09/2007 Verifique valor |url= (ajuda)  Em falta ou vazio |título= (ajuda) [ligação inativa]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Luís Rocha
Governador do Maranhão
1987 — 1990
Sucedido por
João Alberto de Souza
Precedido por
Djard Ramos Martins
Prefeito de São Luís
1966 — 1969
Sucedido por
Vicente Fialho