Estátua do Laçador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Estátua do Laçador
Laçador.jpg
Apresentação
Destino inicial
Criador
Material
Bronze com pedestal de granito
Altura
6,55 m
Proprietário
Estatuto patrimonial
Patrimônio estadual e símbolo oficial de Porto Alegre
Localização
Endereço
Coordenadas

A estátua do Laçador (ou monumento ao Laçador) é um monumento da cidade de Porto Alegre. É a representação do gaúcho pilchado. Foi definida por lei municipal como Símbolo Oficial de Porto Alegre em 1992. Sua autoria é do escultor pelotense Antônio Caringi. A estátua foi tombada como patrimônio histórico de Porto Alegre em 2001. Em 2007, o monumento foi transferido de seu local original, o largo do Bombeiro, para o sítio O Laçador, em razão da previsão da construção do viaduto Leonel Brizola.[1]

Para usar um gaúcho autêntico como modelo para a sua obra, Antônio Caringi contou com o folclorista Paixão Côrtes, então um jovem apreciador dos costumes da cultura campeira sul-rio-grandense, o qual posou para o artista com a sua coleção de indumentária gauchesca. O monumento é feito de bronze, tem 4,45 metros de altura e pesa 3,8 toneladas. A estátua tem um pedestal de granito trapezoidal de 2,10 metros de altura.[2]

História do Laçador[editar | editar código-fonte]

Em 1954, para a Exposição do IV Centenário de fundação da cidade de São Paulo, no Parque Ibirapuera, foi realizado um concurso público para a execução de uma escultura que servisse como um símbolo do Rio Grande do Sul. A escultura original, vencedora do concurso foi construída em gesso pelo artista plástico Antônio Caringi e ficou exposta no espaço central do pavilhão do Rio Grande do Sul. Após o evento, estava previsto ofertar a escultura à cidade de São Paulo. No entanto, tal foi a dimensão da recepção da obra por parte dos próprios gaúchos, que houve uma reivindicação popular para que a obra fosse instalada em Porto Alegre. A obra definitiva a ser instalada em Porto Alegre foi esculpida em bronze e inaugurada em 20 de setembro de 1958, data comemorativa a Revolução Farroupilha, no Largo do Bombeiro.[3]

Nova localização[editar | editar código-fonte]

Detalhe da transferência de O Laçador em 11 de março de 2007

Após 48 anos no local original, situado na avenida dos Estados, bairro São João, zona norte da cidade, a estátua seria deslocada. No dia 11 de março de 2007, a estátua foi transferida para o Sítio do Laçador, em frente ao primeiro terminal do Aeroporto Internacional Salgado Filho, na mesma avenida, mas a uma distância de seiscentos metros do seu antigo local. O motivo para a transferência do símbolo de Porto Alegre foi a previsão de construção do viaduto Leonel Brizola, no local onde a estátua se encontrava. O próprio Paixão Côrtes não pôde assistir à transposição da estátua no dia da mudança, pois foi hospitalizado devido ao seu estado emocional.[4]

O Sítio do Laçador tem seis espaços diferenciados, com as cores do estado do Rio Grande do Sul, em quatro mil metros quadrados de área. A estátua permanece num espaço mais elevado, no topo de uma coxilha que lhe serve de base. A estátua, nessa nova situação, continua bem visível a todas as pessoas que chegam a Porto Alegre pela BR-116. O local é também utilizado para eventos e manifestações mais variadas.[5]

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • O Laçador - História de um Símbolo, Porto Alegre: 35 CTG, 1994, 70 p., por Paixão Côrtes
  • O Laçador - Símbolo da Terra Gaúcha e sua nova morada, Porto Alegre: s.n., 2008, 28 p., por Paixão Côrtes
  • A vocação monumental de Antônio Caringi. In Jornal do MARGS, nº 107, maio 2005, Centenário, p. 10–11 (Central), por José Francisco Alves
  • A Escultura Pública de Porto Alegre – história, contexto e significado, Porto Alegre: Artfolio, 2004, 264 p., págs. 58; 67-69; 111-112, por José Francisco Alves

Imagens adicionais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O LAÇADOR – Monumento de POA | LDSM 3D» (em inglês). Consultado em 20 de setembro de 2021 
  2. «Estátua do Laçador» (pdf). Prefeitura de Porto Alegre. 25 de outubro de 2013 
  3. «Conheça a história da estátua do Laçador». GZH. 22 de março de 2017. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  4. Isaías, Cláudio. «Público poderá chegar bem perto do Monumento ao Laçador». Correio do Povo. Consultado em 20 de setembro de 2021 
  5. Isaías, Cláudio. «Trabalhos de restauração da Estátua do Laçador deverão começar em setembro». Correio do Povo. Consultado em 20 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Estátua do Laçador