Felipe Guerra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2018). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Felipe Guerra
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 18 de setembro
Fundação 18 de setembro de 1963
Gentílico filipense
Prefeito(a) Haroldo Ferreira (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Felipe Guerra
Localização de Felipe Guerra no Rio Grande do Norte
Felipe Guerra está localizado em: Brasil
Felipe Guerra
Localização de Felipe Guerra no Brasil
05° 36' 10" S 37° 41' 20" O05° 36' 10" S 37° 41' 20" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Oeste Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Chapada do Apodi IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Apodi, Caraúbas e Governador Dix-Sept Rosado
Distância até a capital 351 km[2]
Características geográficas
Área 268,427 km² [3]
População 6 052 hab. IBGE/2017[4]
Densidade 22,55 hab./km²
Altitude aproximadamente 100 m
Clima Média de 29,3°C anuais
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,636 médio PNUD/2014 [5]
PIB R$ 64 776,404 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 11 076,68 IBGE/2008[6]

Felipe Guerra[nota 1] é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte localizado na microrregião da Chapada do Apodi.

História[editar | editar código-fonte]

O atual município de Felipe Guerra era denominado como o ex-povoado de Pedra de Abelha. O município recebeu o nome de "Felipe Guerra" numa homenagem a Felipe Neri de Brito Guerra, filho do município de Campo Grande, líder da região, deputado às Constituintes de 1891, 1892 e 1895, juiz de Direito, desembargador e secretário de Educação.

Antes um povoado, Felipe Guerra tornou-se município em 17 de dezembro de 1953, através da Lei, N° 1.017, o que durou apenas um ano e, em 1954 por decisão do Supremo Tribunal Federal a lei foi anulada e a localidade voltou à condição de povoado, que só desmembrou-se definitivamente de Apodi no dia 18 de setembro de 1963, pela Lei, N° 2.926, tornando-se município do Rio Grande do Norte.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2010, sua população é de 5.734 habitantes. Área territorial de 268 km². Da população total, 73,90% são alfabetizados.

As principais atividades econômicas são: turismo, agropecuária, extração de petróleo e gás natural, extrativismo e comércio.

O município de Felipe Guerra encontra-se totalmente inserido nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Apodi-Mossoró, que o atravessa na direção SW-NE. Seus principais tributários são: os Rios do Alazão, do Meio, do Abreu e Preto. As principais acumulações de água são: a Barragem Mirador (685.000m3/comunitário) e a lagoa do Saco. Todos os cursos d’ água são intermitentes e o padrão da drenagem é o dendrítico.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Como fator primordial a economia e o desenvolvimento do município, a exploração turística é uma realidade vigente na cidade de Felipe Guerra, tendo em conta as suas mais diversas belezas naturais e arquitetônicas. Enquadrado no contexto turístico do Pólo Serrano no interior do RN, a cidade de Felipe Guerra ainda apresenta um deficit no que refere-se a exploração sustentável do turismo local.

Localizado na Chapada do Apodi, na Região Oeste Potiguar, a cidade de Felipe Guerra, com cerca de 6 mil habitantes, destaca-se principalmente pela beleza escondida nas cavernas de origem cretácea, como por exemplo as do Lajedo do Rosário, a caverna da Rainha, de Passagem Funda, do Urubu, da Catedral e do Abissal, cuja beleza e diversidade de formações atraem pesquisadores e estudiosos de todo o Brasil. A região é calcária e abriga paisagens de extrema beleza e é ideal para a prática de ecoturismo e esportes de aventura.[parcial?]

O município de Felipe Guerra, também têm grande representatividade espeleológica, sendo que o município ainda apresenta grandes extensões de áreas totalmente inexploradas . Felipe Guerra consiste, ainda, no município com a maior quantidade de cavernas cadastradas no estado do Rio Grande do Norte, com aproximadamente mais 200 cavernas totalmente inexploradas.

Diversos órgãos referentes as comunidades científicas espeleológicas, destacam a região de Felipe Guerra como uma das cidades que mais apresentam riquezas no Brasil quando assunto é espeleologia. Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão ambiental do governo brasileiro, criado pela lei 11.516, de 28 de agosto de 2007, para esta região, é urgente a criação de uma unidade de conservação que proteja as cavernas e sua fauna associada.

Notas

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. FEMURN. «Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN». Consultado em 6 de agosto de 2011. 
  3. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  4. «Consulta de área, população e dados básicos dos municípios». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. Consultado em 30 de outubro de 2010. 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de agosto de 2013. 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.