Festival dos Festivais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:

O Festival dos Festivais foi um festival de música realizado no Brasil em 1985.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Festival dos Festivais foi um dos eventos comemorativos dos 20 anos da Rede Globo de Televisão, no ano de 1985. Teve direção de Roberto Talma, produção de Vitor Paranhos e organização e produção musical de Solano Ribeiro. Foram feitas nove etapas eliminatórias antes da etapa final. A apresentação foi feita pelo jornalista Nelson Motta e a repórter Glória Maria fazia as entrevistas durante os intervalos das apresentações. As músicas escolhidas para a grande final no Ginásio do Maracanãzinho em 26 de outubro daquele ano foram Mira Ira (Nação Mel), interpretada por Lula Barbosa, Tarancón e Placa Luminosa; Verde, interpretada por Leila Pinheiro; Escrito Nas Estrelas interpretada por Tetê Espíndola; Caribe, Calibre, Amor, interpretada por Jorge Portugal, Roberto Mendes, Edinho Santa Cruz e Banda; Novos Rumos, interpretada por Cida Moreira; Os Metaleiros Também Amam interpretada pela banda Língua de Trapo; O Dono Da Terra, interpretada por Os Abelhudos; Condor interpretada por Oswaldo Montenegro; Elis, Elis, interpretada por Emílio Santiago; Tempo Certo interpretada por Casinha da Roça; Vamp Neguinha, interpretada pelo grupo Zipertensão; A Última Voz Do Brasil interpretada pela banda Joelho de Porco. A vencedora foi a música Escrito nas Estrelas interpretada pela cantora Tetê Espíndola. Mira Ira (Nação Mel) ficou em segundo lugar e Verde em terceiro. Mira Ira (Nação Mel) ainda levou o prêmio de melhor arranjo. O prêmio de melhor letra foi para A Última Voz Do Brasil, de Próspero Albanese, Armando Ferrante, Tico Terpins e Zé Rodrix. Emílio Santiago ganhou o prêmio de melhor intéprete e Leila Pinheiro o de revelação.

Finalistas[editar | editar código-fonte]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

1º lugar[editar | editar código-fonte]

2º lugar[editar | editar código-fonte]

3º lugar[editar | editar código-fonte]

Premiações[editar | editar código-fonte]

Melhor letra[editar | editar código-fonte]

Melhor arranjo[editar | editar código-fonte]

Melhor intéprete[editar | editar código-fonte]

Revelação[editar | editar código-fonte]

Júri do festival[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

  • A canção Os Metaleiros Também Amam, do Língua de Trapo, foi a música mais vaiada pelo público mas foi também, de longe, a mais engraçada.
  • Para a interpretação da canção Condor, o cantor e compositor Oswaldo Montenegro trouxe um coral negro composto de 25 vozes.
  • Um pouco após o término do festival foi lançado o LP Festival dos Festivais pela gravadora Som Livre com as músicas finalistas acrescidas da música instrumental Fest Wave, tema do evento composta por César Camargo Mariano e Dino Vicente.[1]
  • A banda Joelho de Porco ficou surpresa quando soube que A Última Voz do Brasil tinha ganho o prêmio de melhor letra, pois achava que sua música não obteria nenhum tipo de premiação.
  • No festival surgiu o grupo musical infantil chamado Os Abelhudos, cantando O Dono Da Terra, mas o sucesso não convenceu os jurados. A banda se estendeu até 1989.

Referências

  1. «Festival dos festivais Som livre 1985». Aispo records 3. Google. 2010-1  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]