Fleshlight

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Variedades de Fleshlights: orifício discreto, lábios, vulva e ânus.

Fleshlight é uma marca de brinquedos sexuais destinada ao sexo masculino. Ela é concebida e comercializada pela Interactive Life Forms (ILF).[1] Seu nome vem de "flesh", carne em inglês, em relação ao material utilizado em sua parte interna, e "light", luz, em relação à caixa de plástico que abriga a luva masturbadora interna e que é formada de modo a parecer com uma lanterna de grandes dimensões. A parte interna dos produtos replicam os orifícios: vulva, o ânus, os lábios e um orifício mais discreto e com uma pequena abertura. As Luvas Masturbadoras internas são comercializadas em cor de carne (rosada) ou gelo e sob diversas texturas internas.

A Fleshlight foi projetada por Steve Shubin.[2] Em 1998, lhe foi concedida a patente da invenção que, na época, foi usada como "dispositivo para coleta de sêmen".[3] Esta invenção também foi projetada para ser uma alternativa segura do sexo real, considerando as DSTs, a gravidez.[4]

Prática[editar | editar código-fonte]

O homem introduz o pênis nas aberturas do brinquedo a fim de estimular o prazer sexual com as reproduções dos lábios, ânus e vulva. Trata-se de uma prática alternativa ou complementar a masturbação.

Material[editar | editar código-fonte]

Certas fontes indicam que a Fleshlight é feita de material comestível e de grau médico, de polímeros livres de ftalato.[5] Segundo o site da Fleshlight, a inserção não é feita de plástico, látex ou silicone. E afirma que o material é "um segredo da empresa coberta por uma série de patentes nos EUA",[6] enquanto de acordo com a patente pública o material é um gel elastômero formado a partir de uma mistura que consiste em aproximadamente 90-94% de plastificante e 5-9% de copolímero e outras substâncias como o estireno e o estileno. Devido a composição química do material, sua utilização é apenas adequada com lubrificantes íntimos à base de água, uma vez que os lubrificantes à base de óleo ou sabão podem danificar permanentemente o tecido do brinquedo.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos:

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Bussel, Rachel Kramer (21 de setembro de 2006). «Boys' Toys». The Village Voice 
  2. Lynn, Regina (15 de fevereiro de 2008). «Unexpected Sources Drive Progress of Sex Tech». Wired 
  3. U.S. Patent 5,782,818 e U.S. Patent 5,807,360
  4. «Fleshlight Buyer's Guide» 
  5. [1] Elastômeros indicados por Greenpeace como uma alternativa segura aos polímeros tóxicos.[2]
  6. Fleshlight Product Questions
  7. a b XBIZ Award Winners, XBIZ, Fevereiro, 2011

Ligações externas[editar | editar código-fonte]