Grande Prêmio da Itália de 1982

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Grande Prêmio da Itália
de Fórmula 1 de 1982
Monza 1976.jpg
47º GP da Itália realizado em Monza
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 12 de setembro de 1982
Nome oficial LIII Gran Premio d'Italia[nota 1]
Local Autódromo Nacional de Monza, Monza, Monza e Brianza, Lombardia, Itália
Total 52 voltas / 301.600 km
Condições do tempo Seco
Pole
Piloto
Estados Unidos Mario Andretti Ferrari
Tempo 1:28.472
Volta mais rápida
Piloto
França René Arnoux Renault
Tempo 1:33.619 (na volta 25)
Pódio
Primeiro
França René Arnoux Renault
Segundo
França Patrick Tambay Ferrari
Terceiro
Estados Unidos Mario Andretti Ferrari

Resultados do Grande Prêmio da Itália de Fórmula 1 realizado em Monza em 12 de setembro de 1982.[1] Décima quinta etapa da temporada, foi vencido pelo francês René Arnoux, da Renault, que subiu ao pódio ladeado por Patrick Tambay e Mario Andretti, pilotos da Ferrari.[2][3][nota 2]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Mario Andretti na Ferrari[editar | editar código-fonte]

Contratado pela Williams para substituir Carlos Reutemann no Grande Prêmio do Oeste dos EUA, Mario Andretti retornou para a Formula Indy, mas em setembro o piloto acertou com Enzo Ferrari sua participação no Grande Prêmio da Itália para ajudar a equipe vermelha a conquistar o título mundial de construtores de 1982.[4] Dias mais tarde o norte-americano confirmou as expectativas e assinalou a décima oitava e última pole position de sua carreira à frente da Brabham-BMW de Nelson Piquet, com Patrick Tambay e Riccardo Patrese, também pilotos de Ferrari e Brabham, respectivamente, ocupando a segunda fila bem adiante de Alain Prost e René Arnoux, dupla da Renault. Em sétimo lugar sai a Williams-Ford de Keke Rosberg, líder do campeonato, enquanto Niki Lauda e John Watson, pilotos da McLaren-Ford, saem em décimo e décimo segundo lugares, respectivamente.[5]

Em meio a tanta agitação dois fatos relativos a 1983 sobressaíram-se no paddock: a contratação de Eddie Cheever como titular da Renault ao lado de Alain Prost[6] e o contrato entre a empresa Techniques d'Avant Garde (do bilionário saudita Mansour Ojjeh) e a Porsche para o fornecimento de motores turbo à McLaren.[7]

Arnoux vence e adia decisão[editar | editar código-fonte]

Mesmo sendo o pole position, Mario Andretti largou mal devido a uma falha no cabo do acelerador de sua Ferrari. Por consequência uma mixórdia formou-se detrás do norte-americano e assim Nelson Piquet surgiu à frente dos rivais, entretanto sua Brabham não resistiu à força de René Arnoux cuja Renault tomou a liderança na Variante Ascari. Logo depois o brasileiro perderia o segundo lugar para Patrick Tambay, da Ferrari, e para desgosto de Bernie Ecclestone seus pilotos deixaram a corrida um após o outro: na sexta volta a embreagem traiu Riccardo Patrese, que ultrapassara Tambay, e Piquet sucumbiu ao motor no giro seguinte.[3]

Vítima da confusão causada pelo "engasgo" de Andretti, o francês Alain Prost passeou pela grama e caiu várias posições, mas na sétima volta o Renault turbo do francês tomou o terceiro lugar de Mario Andretti e partiu em perseguição a Tambay, mas o fulgor da disputa fez Prost danificar a "saia" de seu carro ao forçar uma ultrapassagem sobre o rival. Obrigado a parar nos boxes para consertar o estrago, ele abandonou a corrida na volta 27 por falhas na injeção de combustível de seu Renault e como os freios da McLaren-Ford de Niki Lauda deixaram o austríaco a pé na vigésima primeira volta, restaram apenas John Watson e Keke Rosberg como candidatos ao título de 1982, mas para o azar deste último um toque na Alfa Romeo de Bruno Giacomelli durante uma tentativa de ultrapassagem na volta 26 danificou o aerofólio traseiro do conjunto Williams-Ford e assim o finlandês saiu de Monza sem pontuar.[3]

Ultrapassagens esparsas ocorreram como de praxe, mas a partir da trigésima segunda volta René Arnoux, Patrick Tambay, Mario Andretti e John Watson acomodaram-se nas quatro primeiras posições até cruzarem a linha de chegada, com Michele Alboreto e Eddie Cheever completando a zona de pontuação a uma volta dos primeiros.[8] Fora da zona de pontuação, Keke Rosberg não conseguiu o sexto lugar necessário para assegurar o título, mas conservou a liderança do mundial com 42 pontos, três a mais que Didier Pironi. Todavia, como o francês parou de correr após o grave acidente sofrido no Grande Prêmio da Alemanha de 1982,[9] o único em condições matemáticas de desafiar Rosberg é John Watson com seus 33 pontos. Já entre as equipes, Ferrari, McLaren e Renault seguem em busca do título de construtores.[10]

René Arnoux venceu sua última prova pela Renault e com Patrick Tambay ao seu lado, protagonizou a terceira dobradinha francesa na temporada. Por fim, após conquistar uma pole position inédita desde a Lotus no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1978, Mario Andretti conquistou um honroso terceiro lugar em seu derradeiro pódio na Fórmula 1 e pela mesma equipe onde obteve a primeira vitória no Grande Prêmio da África do Sul de 1971.[11]

Classificação da prova[editar | editar código-fonte]

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 16 França René Arnoux Renault 52 1:22:25.734 6 9
2 27 França Patrick Tambay Ferrari 52 + 14.064 3 6
3 28 Estados Unidos Mario Andretti Ferrari 52 + 48.452 1 4
4 7 Reino Unido John Watson McLaren-Ford 52 + 1:27.845 12 3
5 3 Itália Michele Alboreto Tyrrell-Ford 51 + 1 volta 11 2
6 25 Estados Unidos Eddie Cheever Ligier-Matra 51 + 1 volta 14 1
7 12 Reino Unido Nigel Mansell Lotus-Ford 51 + 1 volta 23
8 6 Finlândia Keke Rosberg Williams-Ford 50 + 2 voltas 7
9 10 Chile Eliseo Salazar ATS-Ford 50 + 2 voltas 25
10 22 Itália Andrea de Cesaris Alfa Romeo 50 + 2 voltas 9
11 20 Brasil Chico Serra Fittipaldi-Ford 49 + 3 voltas 26
12 30 Itália Mauro Baldi Arrows-Ford 49 + 3 voltas 24
NC 14 Colômbia Roberto Guerrero Ensign-Ford 40 Não classificado 18
Ret 11 Itália Elio de Angelis Lotus-Ford 33 Regulador 17
Ret 23 Itália Bruno Giacomelli Alfa Romeo 32 Handling 8
Ret 29 Suíça Marc Surer Arrows-Ford 28 Ignição 19
Ret 15 França Alain Prost Renault 27 Injeção 5
Ret 8 Áustria Niki Lauda McLaren-Ford 21 Freios 10
Ret 31 França Jean-Pierre Jarier Osella-Ford 10 Roda 15
Ret 1 Brasil Nelson Piquet Brabham-BMW 7 Motor 2
Ret 2 Itália Riccardo Patrese Brabham-BMW 6 Embreagem 4
Ret 26 França Jacques Laffite Ligier-Matra 5 Câmbio 21
Ret 36 Itália Teo Fabi Toleman-Hart 2 Motor 22
Ret 5 República da Irlanda Derek Daly Williams-Ford 0 Colisão 13
Ret 35 Reino Unido Derek Warwick Toleman-Hart 0 Colisão 16
Ret 4 Reino Unido Brian Henton Tyrrell-Ford 0 Colisão 20
DNQ 17 Reino Unido Rupert Keegan March-Ford
DNQ 9 Alemanha Ocidental Manfred Winkelhock ATS-Ford
DNQ 18 Brasil Raul Boesel March-Ford
DNQ 33 República da Irlanda Tommy Byrne Theodore-Ford
Fonte: [1]

Tabela do campeonato após a corrida[editar | editar código-fonte]

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Entre 1981 e 1990 cada piloto podia computar onze resultados válidos por temporada não havendo descartes no mundial de construtores.

Notas

  1. A denominação oficial do Grande Prêmio da Itália enumera uma prova a mais que as efetivamente realizadas.
  2. Voltas na liderança: René Arnoux liderou as 52 voltas da prova.

Referências

  1. a b «1982 Italian Grand Prix - race result». Consultado em 14 de fevereiro de 2019 
  2. Fred Sabino (4 de julho de 2018). «Os 70 anos de René Arnoux, um dos mais arrojados pilotos da década de 1980». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  3. a b c Rene Arnoux ganha o GP da Itália de ponta a ponta (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 13/09/1982. Esportes, p. 18. Página visitada em 28 de agosto de 2019.
  4. Andretti confirma volta às pistas no GP da Itália (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 03/09/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 02. Página visitada em 29 de agosto de 2019.
  5. Piquet sai na 1ª fila, com Andretti, o "pole" (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 12/09/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 04. Página visitada em 29 de agosto de 2019.
  6. Cheever na Renault em 83 (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 13/09/1982. Esportes, p. 18. Página visitada em 29 de agosto de 2019.
  7. TAG dá turbo à McLaren (online). Folha de S.Paulo, São Paulo (SP), 13/09/1982. Esportes, p. 18. Página visitada em 29 de agosto de 2019.
  8. «Italian GP, 1982 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 29 de agosto de 2019 
  9. Gabriela Cavalcante (23 de agosto de 2019). «Precisamos falar sobre Didier Pironi». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 8 de agosto de 2019 
  10. Vitória de Arnoux adia decisão da F-1 para os EUA (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 13/09/1982. Primeiro caderno, Esportes, p. 04. Página visitada em 14 de fevereiro de 2019.
  11. «South African GP, 1971 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 29 de agosto de 2019 
Precedido por
Grande Prêmio da Suíça de 1982
Campeonato mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1982
Sucedido por
Grande Prêmio de Las Vegas de 1982
Precedido por
Grande Prêmio da Itália de 1981
Grande Prêmio da Itália
52ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Itália de 1983