Jornal da Noite (Band)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jornal da Noite
Informação geral
Também conhecido(a) como Jornal de Amanhã (1985-1986)
Formato telejornal
Gênero jornalismo
Duração 45 minutos
Estado em exibição
Criador(es) Grupo Bandeirantes de Comunicação
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es)
Câmera multicâmera
Apresentador(es) Cynthia Martins
Felipe Vieira
Elenco
Tema de abertura instrumental
Tema de encerramento instrumental
Exibição
Emissora original Rede Bandeirantes
Formato de exibição 1080i (HDTV)
480i (SDTV) (1986-2008)
Formato de áudio estéreo
Transmissão original 20 de janeiro de 1986 – presente
Episódios Vários
Cronologia
Programas relacionados Primeiro Jornal
Band Notícias
Jornal da Band

Jornal da Noite é um telejornal noturno brasileiro, produzido e exibido pela Rede Bandeirantes, que vai ao ar de segunda a sexta. Estreou em 1986 sob o comando de Lillian Witte Fibe. Atualmente, é comandado pelos jornalistas Cynthia Martins e Felipe Vieira.

História[editar | editar código-fonte]

O telejornal estreou em 1982. Em 1986, passou a ter Lillian Witte Fibe na bancada, na época o Jornal da Noite era propriedade do Governo do Estado de São Paulo. Lillian saiu da bancada em 1987, deixando para os jornalistas José Paulo de Andrade e Geraldo Canali que assumiram como âncoras e depois de duas semanas, o telejornal deixou de ser do governo e se tornou independente, sendo comandado por Rafael Moreno e Maria Lins, até 1988, quando foi substituído pelo Jornal de Vanguarda. Em 1989, o Jornal da Noite retornou a grade, com Rafael Moreno e Doris Giesse, que tinham feito dupla no Vanguarda. Os dois ficaram até 1991, quando Dárcio Arruda assume, ficando até 1992, passando o comando para Chico Pinheiro que assume o jornal até 1994 e Carla Vilhena entra no lugar de Pinheiro, ficando até 1995, quando Sérgio Rondino assume o programa. Rondino ficou até 2002, quando a jornalista Maria Cristina Poli assume o telejornal; um ano depois, Roberto Cabrini assume o comando do jornal sem bancada, apresentando o jornal em pé e com reportagens de cunho investigativo, Cabrini ressaltava nas chamadas do jornalístico: "Eu sou um repórter que apresenta e não um apresentador que faz reportagem". Nesta fase, ele adotava o jargão O jeito diferente de fazer telejornal. Em 2008, Cabrini assina com a RecordTV, e provisoriamente Eleonora Pascoal apresenta até que em seu lugar entra Boris Casoy. Com passagens pelo SBT e Record, e depois de menos de 1 ano fora do ar, Casoy estreou em abril e ficou no jornal até 30 de setembro de 2016, sendo sucedido por Fábio Pannunzio. Em 2019, com o falecimento de Ricardo Boechat, Pannunzio passa apresentar o Jornal da Band sendo substituído inicialmente pelo jornalista Rafael Colombo, que acabou por dar espaço para Carol Nogueira e depois para Marina Machado. [1] Depois, Panuzzio retornou ao Jornal da Noite, ficando até 4 de setembro de 2019, quando decidiu deixar a Band por motivos de saúde. Ele foi substituído por Sérgio Gabriel. [2] Em 2021, Gabriel é substituído pelo jornalista do BandNews TV Felipe Vieira.[3]. Em janeiro de 2022, Vieira ganha a companhia de Cynthia Martins, vinda do extinto Band Notícias, na bancada do Jornal da Noite.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. Ricco, Flávio (6 de fevereiro de 2019). «Eduardo Oinegue vai assumir o "Jornal da Noite" na Band». UOL. Consultado em 11 de abril de 2019 
  2. «Band prepara mudanças no Jornal da Noite e define novo apresentador». uol.com.br. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  3. «Mais um desafio na carreira: Felipe Vieira é o novo ancora do Jornal da Noite». coletiva.net. 25 de janeiro de 2021. Consultado em 11 de fevereiro de 2021