Línguas oficiais da Organização das Nações Unidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem of the United Nations.svg

Existem seis línguas oficiais utilizadas pelas Organização das Nações Unidas (ONU). As mesmas são a inglês, francês, chinês (mandarim), espanhol, árabe e russo.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Essas línguas são utilizadas em reuniões dos vários órgãos da ONU, em particular na Assembleia Geral (Artigo 51 do regimento) e no Conselho de segurança.[1] Cada representante de um país pode falar em qualquer uma das seis línguas, ou, se ele desejar falar na sua própria língua, ele vai ter que providenciar um intérprete que irá traduzir numa das seis línguas oficiais que tornará um relé para as outras cinco.

As seis línguas oficiais são também utilizadas para a divulgação de documentos oficiais. Enquanto os documentos não estão disponíveis nas seis línguas oficiais, eles não são publicados. Geralmente, os textos nas seis línguas devem ser autênticos da mesma forma. Isso pode representar alguns problemas de interpretação, particularmente a Resolução 242 do Conselho de Segurança, sobre os Territórios palestinianos ocupados por Israel.

Quando as Nações Unidas foi fundada em 1945, cinco línguas oficiais foram escolhidas : inglês, mandarim chinês, espanhol, francês e russo. O árabe foi adicionado a 18 de dezembro de 1973, pela Resolução 3191 (XXVIII) da Assembleia Geral das Nações unidas.

O Secretariado das Nações Unidas, usa duas línguas de trabalho: inglês e francês. Na verdade, todos os Secretários-Gerais falam essas duas línguas fluentemente.

Representatividade das línguas[editar | editar código-fonte]

As seis línguas oficiais faladas na ONU são a língua materna ou segunda língua de 2,8 mil milhões de pessoas no planeta, ou seja, quase 40 % da população mundial. Elas são uma das línguas oficiais de mais de metade dos Estados do mundo (uma centena).

Entre as línguas mais faladas no mundo, o hindi (2a) e o português (5a) não são línguas oficiais da ONU por enquanto. As muitas variantes que constituem o hindustani dificultam o seu reconhecimento como língua oficial. O hindustani também pode ser muito limitado no espaço global.

Língua Portuguesa[editar | editar código-fonte]

O português é bastante debatido e os lusófonos defendem um maior reconhecimento da sua língua, pois é falada na Europa (Portugal), América (Brasil), África (Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe) e na Ásia (Timor leste, Macau, Goa). Devido a isso, a CPLP pede um estatuto oficial para esse idioma (com 267 milhões de pessoas a utilizarem esta língua fluentemente), enquanto que o uso do português está a crescer fortemente, graças ao aumento da população brasileira. A 1 de novembro de 2016, foi aprovada a proposta para que o português seja língua oficial da ONU. Proposta feita pelo Presidente do Brasil, Michel Temer no final da XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP no Brasil.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. Artigo 41 do regimento

Veja também[editar | editar código-fonte]