Forças de manutenção da paz das Nações Unidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Forças de Paz das Nações Unidas Nobel prize medal.svg
UN Soldiers in Eritrea.jpeg
Soldados da Força de Paz da ONU na Eritreia.
Subordinação Conselho de Segurança da ONU
Missão Força militar
Denominação Forças de Paz
Criação Aprox. 1948
Cores Azul e branco
Sede
Sede Nova Iorque,  Estados Unidos

Forças de manutenção da paz das Nações Unidas (em inglês: United Nations Peacekeeping Forces) são forças militares multinacionais instituídas pela Organização das Nações Unidas com a aprovação e objetivos designados pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas para atuar em zonas de conflito armado. Seus participantes são conhecidos como boinas azuis ou capacetes azuis.

Geralmente os objetivos das missões estão relacionados ao monitoramento de cessar-fogos, supervisionamento de retirada de tropas, entre outras possibilidades.

Capacetes Azuis[editar | editar código-fonte]

Soldado norueguês da forças de paz da ONU após Cerco de Sarajevo, 1992 - 1993.

Capacetes azuis é o nome pelo qual são conhecidas as tropas multinacionais que servem nas Forças de Paz da ONU para a resolução de conflitos internacionais em países envolvidos em conturbação social.

Estes nomes são devidos ao fato de que essas tropas utilizam como cobertura (nome que se dá, militarmente, aos chapéus, bonés, boinas e capacetes) boinas e capacetes na cor azul, a mesma da bandeira da ONU.

Muitas pessoas criticam estas missões de paz[1] por cometerem vários crimes contra a humanidade, atos de desrespeito contra a população nativa, corporativismo e expurgar críticos de dentro da organização[2][3][4], além da epidemia de cólera de 2010. Em 22 de dezembro, começaram as primeiras manifestações populares exigindo a apuração de denúncias de compra de votos nas eleições haitianas de 2010 reprimidas pela Minustah.[5][6][7]

Medalha Dag Hammarskjöld[editar | editar código-fonte]

Em 1997, ano do aniversário de 50 anos da existência de missões de paz, o Conselho de Segurança das Nações Unidas criou por meio de resolução a medalha Dag Hammarskjöld, uma comenda entregue àqueles que perderam suas vidas em missões de manutenção da paz das Nações Unidas.

A primeira medalha foi entregue pelo Secretário-Geral Kofi Annan à família do segundo a ocupar o posto de Secretário-Geral das Nações Unidas, Dag Hammarskjöld, que perdera sua vida em 1961 na queda de um avião enquanto buscava terminar o conflito no Congo.

Outras duas medalhas foram entregues na mesma ocasião, uma para a família do comandante René de Labarrière, o primeiro a morrer em uma missão de paz em 6 de julho de 1948, e outra para a família do Conde Folke Bernadotte, que foi assassinado em Jerusalém quando exercia a função de mediador para a resolução da questão palestina em 17 de setembro de 1948.

Recebimento do Nobel[editar | editar código-fonte]

A 10 de Dezembro de 1988, na cidade de Oslo, com a presença do Rei da Noruega, família real e altas autoridades internacionais, foi procedida à entrega do prêmio a Javier Pérez de Cuéllar, Secretário da ONU, em nome das Forças de Paz das Nações Unidas.

Na oportunidade, o Diretor do Comitê do Nobel proferiu a seguinte menção:

  • A entrega do Nobel da Paz às Forças de Paz das Nações Unidas.
  • A paz tem que ser protegida ativamente e esta proteção tem o seu preço.
  • Setecentos e trinta e três jovens sacrificaram suas vidas a serviços do tipo específico de preservação da paz que está sendo considerado aqui!

Referências

  1. Soldiers Without a Cause: Why Are Thousands of UN Troops Still in Haiti? CPPR, Dan Beeton, Relatório NACLA sobre as Américas , Primavera de 2012
  2. OEA afasta brasileiro do Haiti por crítica Estado de São Paulo.com, acessado em 27 de dezembro de 2010
  3. Soldiers Without a Cause: Why Are Thousands of UN Troops Still in Haiti? Los Angeles Times, Carol J. Williams, 15 de dezembro de 2007
  4. El buen negocio de reconstruir Haití Otra America, acessado em 10 de janeiro de 2011
  5. El pueblo de Haití comenzó a reaccionar contra la injerencia extranjera AVN.info, acessado em 22 de dezembro de 2010
  6. Cholera in Haiti and Other Caribbean Regions, 19th Century Centers for Disease Control and Prevenition.GOV, acessado em dezembro de 2011
  7. [1] BBC.com, acessado em 21 de fevereiro de 2013

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Óscar Arias
Nobel da Paz
1988
Sucedido por
Tenzin Gyatso
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Forças de manutenção da paz das Nações Unidas