Maria Lydia Flândoli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maria Lydia
Nome completo Maria Lydia Flândoli
Nascimento 4 de janeiro de 1944 (74 anos)
São Paulo, SP
Ocupação Jornalista,
entrevistadora,
comentarista,
apresentadora.
Nacionalidade brasileira
Trabalhos notáveis Jornal da Gazeta
Jornal da Record
Meninas do Jô

Maria Lydia Flândoli (São Paulo, 4 de janeiro de 1944) é uma jornalista brasileira.

Graduada pela Faculdade Cásper Líbero, Maria Lydia atuou sempre na área do jornalismo opinativo como comentarista de notícias e âncora de programas de rádio e TV. É também graduada em Serviço Social e pós-graduada em Psicologia da Educação.

Trabalhou em várias das mais importantes rádios brasileiras, entre elas as rádios Jovem Pan, Record e CBN.[1] Atualmente participa como comentarista do programa Jornal Gente da Rádio Bandeirantes.[1] Trabalhou também na RecordTV como comentarista do Record em Notícias e do Jornal da Record, e âncora do programa Defenda-se, primeiro programa de TV sobre direitos do cidadão.[1]Em maio de 1991 a apresentadora chegou a TV Gazeta, para comandar o Gazeta Meio-Dia,no qual debatia os assuntos do dia ao lado de grandes debatedores.O programa diário durou até 1999 quando passou a comandar o Em Questão.[2]

Em maio de 2011, após trabalhar na TV Gazeta há 20 anos, onde ancorou o programa de debate político Em Questão e o Jornal da Gazeta, Maria Lydia é demitida da TV Gazeta, pois haveria uma reformulação no único telejornal da emissora.[3]

Em dezembro de 2011, Maria Lydia é recontratada pela TV Gazeta para apresentar um quadro de entrevistas no Jornal da Gazeta.[4]

A jornalista também foi comentarista no quadro Meninas do Jô, do Programa do Jô, na Rede Globo.[5]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Maria Lydia Flandoli». Museu da Televisão Brasileira. Consultado em 16 de dezembro de 2016. 
  2. «Folha de S.Paulo - Maria Lydia e Ione Borges ganham novos programas - 22/08/99». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 25 de março de 2017. 
  3. Estadão.com.br (30 de maio de 2011). «Maria Lydia é demitida da TV Gazeta». Estadão. Consultado em 16 de dezembro de 2016. 
  4. Portal Terra (27 de novembro de 2011). «Jornal: após ser demitida, Maria Lydia é recontratada pela Gazeta». Terra. Consultado em 16 de dezembro de 2016. 
  5. GShow (15 de dezembro de 2016). «Jô Soares dá adeus as suas meninas e diz que debates foram parte gratificante do programa». GShow / Globo.com. Consultado em 16 de dezembro de 2016. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.