Mirandópolis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o bairro da cidade de São Paulo, veja Mirandópolis (bairro de São Paulo).
Município de Mirandópolis
"Cidade labor"
Bandeira de Mirandópolis
Brasão de Mirandópolis
Bandeira Brasão
[[1]]
Fundação 24 de junho de 1934 (83 anos)
Gentílico mirandopolense
Prefeito(a) Regina Mustafa (PV)
(2017–2020)
Localização
Localização de Mirandópolis
Localização de Mirandópolis em São Paulo
Mirandópolis está localizado em: Brasil
Mirandópolis
Localização de Mirandópolis no Brasil
21° 08' 02" S 51° 06' 07" O21° 08' 02" S 51° 06' 07" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Araçatuba IBGE/2008[1]
Microrregião Andradina IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Lavínia, Guaraçaí, Irapuru, Pacaembu, Junqueirópolis e Pereira Barreto
Distância até a capital 594 km[2]
Características geográficas
Área 918,269 km² [3]
Distritos Três Alianças, Amandaba
População 29,185 hab.
Densidade 0,03 hab./km²
Altitude 429 m
Clima tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,797 elevado PNUD/2000
PIB R$ 227 431,591 mil IBGE/2008[4]
PIB per capita R$ 8 516,44 IBGE/2008[4]
Página oficial
Câmara http://www.mirandopolis.sp.gov.br/

Mirandópolis é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º08'01" sul e a uma longitude 51º06'06" oeste, estando a uma altitude de 429 metros. Sua população estimada em 2016 era de quase 30.000 habitantes. Possui uma área de 918,3 km².

Geografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2016

(Fonte: IPEADATA)

Artistas[editar | editar código-fonte]

José Datrino, mais conhecido como Profeta gentileza (Cafelândia, 11 de abril de 1917 – Mirandópolis, 29 de maio de1996)[1] , foi uma personalidade urbana carioca, espécie de pregador, que se tornou conhecido por fazer inscrições peculiares sob um viaduto situado na Avenida Brasil, na zona portuária do Rio de Janeiro, onde andava com uma túnica branca e longa barba.[2]

Profeta Gentileza

Em 29 de maio de 1996, aos 79 anos, faleceu em Mirandópolis, cidade de seus familiares, onde foi sepultado.[1]Com o decorrer dos anos, os murais foram danificados por pichadores, sofreram vandalismo, e mais tarde cobertos com tinta de cor cinza pela prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. A eliminação das inscrições foi criticada e posteriormente com ajuda da prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, foi organizado o projetoRio com Gentileza, com o objetivo restaurar os murais das pilastras. Começaram a ser recuperadas em janeiro de 1999. Em maio de 2000, a restauração das inscrições foi concluída e o patrimônio urbano carioca foi preservado.

No final do ano 2000 foi publicado pela EdUFF (Editora da Universidade Federal Fluminense) o livro Brasil: Tempo de Gentileza, de autoria do professor Leonardo Guelman. A obra introduz o leitor no "universo" do profeta Gentileza através de sua trajetória, da estilização de seus objetos, de sua caligrafia singular e de todos os 56 painéis criados por ele, além de trazer fatos relacionados ao projeto Rio com Gentileza e descrever as etapas do processo de restauração dos escritos. O livro é ricamente ilustrado com inúmeras fotografias, principalmente do profeta e de seus penduricalhos e painéis. Além de fotos do próprio profeta Gentileza trabalhando junto a algumas pilastras, existem imagens dos escritos antes, durante e após o processo de restauração.

Em 2001, foi homenageado pela Escola de Samba GRES Acadêmicos do Grande Rio.[7]

Em Conselheiro Lafaiete, cidade do interior de Minas Gerais, há um amplo trabalho feito pela ONG AMAR que dá continuidade ao trabalho do Profeta Gentileza. Foram desenvolvidas oficinas com jovens da cidade, onde foi possível repassar as técnicas de mosaico. Além disso, um grande muro no bairro São João recebeu uma linda aplicação de mosaico. E a praça São Pedro, no bairro Albinopólis, foi toda decorada seguindo o exemplo do Profeta Gentileza.

História de Mirandópolis[editar | editar código-fonte]

MIRANDÓPOLIS SÃO PAULO 

HISTÓRICO 

Por volta de 1920, a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, deu início à construção de sua variante Araçatuba-Juquiá, promovendo o surgimento de vários núcleos populacionais, no local que ficou conhecido por ?Região da Variante?. 

Nessa época, Manoel Alves de Atayde desmatou uma gleba de terras, entre as cabeceiras do Ribeirão Claro e do córrego da Saudade (de São João), na vertente do rio Feio. A construção de algumas cabanas, deu início ao primeiro núcleo populacional, que ficou conhecido por São João da Saudade. 

Em 1934, Atayde doou à Ferrovia, os terrenos necessários à implantação de uma estação. Auxiliado por outros povoados, elaborou o plano da cidade e construiu uma rústica capela. Dois anos depois, foi inaugurada a estação, ficando a povoação denominada Mirandópolis, em homenagem ao Senador Rodolfo Miranda, ativo colaborador da comunidade.

Quando da elevação a Distrito de Paz, em 1937, foi-lhe conferido o nome Comandante Árbues. Nessa ocasião, o Sr. Raul da Cunha Bueno traçou um loteamento urbano na Fazenda São Joaquim, daqual era proprietário. Esse loteamento, que ficava de frente a Mirandópolis (Comandante Árbues), recebeu o nome de Nova Paulicéia.

Somente por ocasião da elevação à categoria de Município, o topônimo Mirandópolis ficou oficializado, em atendimento à vontade da comunidade local. 

GENTÍLICO: MIRANDOPOLENSE 

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA 

Distrito criado com a denominação de Comandante Arbues, por Lei nº 2922, de 20 de março de 1937, no Município de Valparaíso. 

Elevado a categoria de município com a denominação de Mirandópolis, por Decreto-lei nº. 14334, de 30 de novembro de 1944, desmembrado de Valparaíso, Andradina, Pereira Barreto e Araçatuba. Constituído de 2 Distritos: Mirandópolis e Amandaba. Sua instalação verificou-se no dia 01 de janeiro de 1945. 

No quadro fixado, pelo citado Decreto-lei nº 14334, para vigorar em 1945-1948, o Município de Mirandópolis ficou composto dos Distritos de Mirandópolis e Amandaba, e pertence ao termo e comarca de Valparaíso. 

Aparece no fixado pela Lei Estadual nº 233, de 24-XII-1948, composto dos Distritos de Mirandópolis, Amandaba e Roteiro, comarca de Valparaíso, e no fixado pela Lei nº 2456, de 30-XII­1953, para 1954-1958, composto dos mesmos Distritos, porém na comarca de Mirandópolis. 

Lei Estadual nº 5285, de 18 de fevereiro de 1959, o Distrito de Roteiro. Passou a denominar-se Três Alianças. 

Em Divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído de 3 Distritos: Mirandópolis, Amandaba e Três Alianças. 

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

A partir de 1960.

Atualmente: Regina Mustafa - PV - 1 de janeiro de 2017 - até a atualidade

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Segundo o censo de 2005, é atendido na rede hospitalar da cidade uma média de 122 pacientes atendidos diariamente, 2.684 mensalmente e 32.208 anualmente.É dada toda assistência de demanda de receitas dos médicos da UBS (Unidade Básica de Saúde), Casa de Saúde e Hospital Geral através da Farmácia Municipal. A média é de 122 pacientes atendidos diariamente, 2.684 mensalmente e 32.208 anualmente.
  • Na área ambulatorial, trabalham nas três unidades básicas com especialidades - pediatria, clínica geral, ginecologia e obstetrícia, fazendo todo o atendimento básico da população num total médio de 630 consultas/mês e 8.437 anual.
  • Fazem os seguintes atendimentos básicos nas unidade: inalação, injeção e curativos, num total de 703 procedimento por mês.
  • Atualmente conta com cinco estabelecimentos de saúde

Prontos-socorros[editar | editar código-fonte]

Hospital[editar | editar código-fonte]

Hospital Estadual de Mirandópolis

Esportes[editar | editar código-fonte]

O esporte em Mirandópolis é bem representado, pela a equipe de vôlei da cidade, conhecida pela região, Super Vôlei Mirandópolis , a equipe amadora é conhecida por toda região por ganhar campeonatos regionais e ser destaque.

A equipe foi recentemente criada e já está sendo um sucesso na cidade de Mirandópolis, em poucos anos representou a cidade na região toda ganhando campeonatos e títulos regionais.

Ficheiro:Equipe de Mirandópolis (Categoria Infantil).jpeg
Super Vôlei Mirandópolis(Categoria Infantil)

Educação[editar | editar código-fonte]

O ensino fundamental foi municipalizado. A prefeitura de Mirandópolis mantém cinco escolas atendendo alunos de 1ª a 4ª série, totalizando 840 alunos e uma classe especial. Quatro escolas foram reformadas, sendo que uma delas foi ampliada com a construção de sala de aula, palco e banheiros.

Aproximadamente 40 professores atuam no Ensino Fundamental, além de diretores, vices e coordenadores pedagógicos. Vários projetos importantes são desenvolvidos nas Emefs, entre eles "O Computador na Escola", instalado na Emef "Professor Hélio Faria", com quatorze computadores, impressoras e 313 softwares pedagógicos.

  • 680 alunos na Rede Infantil
  • 840 alunos no Ensino Fundamental
  • 147 alunos no Ensino Supletivo
  • 150 alunos nos Cursos Profissionalizantes
  • 5.425 Alunos/Dia atendidos pela merenda escolar
  • 11 Emeis
  • 2 Creches
  • 5 Escolas de Ensino Fundamental
  • 5 Classes de Ensino Supletivo
  • 1 Classe de Educação Especial

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]