Política da Grécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mansão Presidencial de Atenas, sede do executivo.

Desde 1 de Junho de 1975, com a adoção da nova Constituição, a Grécia é uma democracia republicana parlamentar.

A monarquia foi rejeitada a 8 de Dezembro de 1974.

O voto é obrigatório e universal, sendo adquirido esse direito aos dezassete anos (a partir de 2016).[1]

O poder executivo é regido pelo Chefe de Estado, que é eleito pelo parlamento. Além disso, existe ainda o chefe do governo, nomeado pelo presidente, e o Gabinete do Governo, cujos membros são também nomeados pelo presidente, tendo em conta as recomendações do primeiro-ministro.

O poder legislativo é uni camarário (só possui uma câmara de deputados) e o judicial conta com uma Corte e um Tribunal Supremo. O sistema legal baseia-se no código romano. Com cortes divididas em assuntos civis, administrativos e criminosos.


Partidos políticos da Grécia[editar | editar código-fonte]

Os seguintes partidos estão representados no Parlamento da Grécia, depois das eleições legislativas de janeiro de 2015:

Partido Ideologia
Syriza
Συνασπισμός Ριζοσπαστικής Αριστεράς
Esquerda radical
Nova Democracia
Νέα Δημοκρατία
Conservadorismo
Aurora Dourada
Λαϊκός Σύνδεσμος – Χρυσή Αυγή
Extrema-direita nacionalista
To Potami
Το Ποτάμι
Centrismo
Partido Comunista da Grécia
Κομμουνιστικό Κόμμα Ελλάδας
Esquerda radical
Gregos Independentes
Ανεξάρτητοι Έλληνες
Conservadorismo liberal
PASOK
Πανελλήνιο Σοσιαλιστικό Κίνημα
Socialismo democrático
Unidade Popular
Λαϊκή Ενότητα
Esquerda radical

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Flag-map of Greece.svg Grécia
História • Política • Forças Armadas • Regiões • Geografia • Economia • Demografia • Cultura • Turismo • Portal • Imagens
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Gregos de 17 anos já podem votar».