Povo rohingya

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rohingya
Ruáingga
Rohingya flag.png
Bandeira Rohingya
População total

1,424 - 3 milhões

Regiões com população significativa
 Bangladesh 1,300,000 [1]
Arábia Saudita 500,000 [1]
Mianmar ~400,000 [2]
Paquistão 350,000 [3]
 Malásia 24.000 [1]
Línguas
Língua rohingya
Religiões
Islamismo

Os rohingyas, roinjas[4] ou ruaingas[5] (Ruáingga /ɹuájŋɡa/, birmanês: ရိုဟင်ဂျာ rui hang gya /ɹòhɪ̀ɴɡjà/, em bengali: রোহিঙ্গা Rohingga /ɹohiŋɡa/) são um grupo étnico que pratica o islamismo e fala a língua rohingya, um idioma indo-ariano parente do bengáli. A origem desse povo é motivo de divergência com alguns dizendo que se originaram em Arracão (também conhecida como Rakhine, ou Rohang em Rohingya) no Mianmar, e outros dizendo que são imigrantes muçulmano oriundos de Bengala, atualmente Bangladesh.[6][7] No Mianmar vivia a maior concentração de rohingyas no mundo. Os rohingyas, entretanto, não são reconhecidos pelo governo do Mianmar, tendo direitos como cidadania, movimento e permissão de residência limitados,[8][9] impedindo o progresso social e econômico dessa etnia, sendo considerados apátridas.[10][9]

Os rohingyas foram marginalizados em vários países, sendo perseguidos por motivações étnicas e religiosas e tendo que se refugiar em guetos e favelas, a ponto de a Organização das Nações Unidas tê-los nomeado como uma das minorias mais perseguidas do mundo.[10] Destacaram-se na mídia por causa dos conflitos étnicos no Mianmar, como em junho de 2012, quando conflitos com arracaneses étnicos deixaram 140 mortos e 100 mil pessoas sem casa.[10][11][7] Em 2015, os conflitos se intensificaram e causaram a crise de refugiados rohingya e a perseguição aos rohingya no Mianmar em 2016 e 2017 na região, afetando países próximos.[10][12][9] O governo da Índia apoia o governo birmanês na contenção desta etnia.[13]

Referências

  1. a b c «Myanmar Rohingya: What you need to know about the crisis» (em inglês). BBC. 24 de Março de 2018. Consultado em 13 de Setembro de 2018 
  2. Mahmud, Tarek (8 de Novembro de 2017). «Why do some Rohingya men return to Rakhine at the dead of night?» (em inglês). Dhaka Tribune. Consultado em 13 de Setembro de 2018 
  3. Husain, Irfan (29 de julho de 2012). «Karma and killings in Myanmar» (em inglês). Inter press Service. Consultado em 13 de Setembro de 2018 
  4. Correia, Paulo (2018). «Linguagem inclusiva sem discriminação ortográfica dos povos» (PDF). a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias. N.º 56. pp. 6–10. Consultado em 17 de outubro de 2018 
  5. «Com que então, os «rohingya»... [5.01.2017]». linguagista.blogs.sapo.pt. Consultado em 10 de fevereiro de 2017 
  6. «'Mass graves' for Myanmar's Rohingya». www.aljazeera.com (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2017 
  7. a b «Unforgiving history» (em inglês). The Economist. 3 de Novembro de 2012. Consultado em 13 de Setembro de 2018. Cópia arquivada em 8 de Novembro de 2012 
  8. «Rohingya, o povo sem cidadania». O Globo. 15 de Maio de 2015. Consultado em 13 de Setembro de 2018 
  9. a b c «The Rohingya Crisis» (em inglês). Council on Foreign Relations. 20 de Abril de 2018. Consultado em 13 de Setembro de 2018. Cópia arquivada em 30 de Agosto de 2018 
  10. a b c d «Quem são os rohingyas, povo muçulmano que a ONU diz ser alvo de limpeza étnica». BBC. 13 de Setembro de 2017. Consultado em 13 de Setembro de 2018 
  11. Wade, Francis (13 de Julho de 2012). «Burma 'creating humanitarian crisis' with displacement camps in Arakan» (em inglês). The Guardian. Consultado em 13 de Setembro de 2018. Cópia arquivada em 17 de Junho de 2018 
  12. «Em visita a refugiados rohingyas, ONU recebe apelos por ajuda». Deutsche Welle. 29 de Abril de 2018. Consultado em 13 de Setembro de 2018. Cópia arquivada em 13 de Setembro de 2018 
  13. «Do Graves in Myanmar Mark Where Rohingya Militants Killed Hindu Villagers?». Voice of America (em inglês). Consultado em 25 de outubro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre etnologia ou sobre um(a) etnólogo(a) é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.