Prémio Editorial Caminho de Ficção Científica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Prémio Editorial Caminho de Ficção Científica
Organização Editorial Caminho
País  Portugal
Primeira cerimónia 1982
Última cerimónia 1999

O Prémio Editorial Caminho de Ficção Científica foi um prémio, em princípio, bianual que distinguia livros de ficção científica e fantasia escritos em língua portuguesa, promovido pela Editorial Caminho.[1][2]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

1982 Vencedor : Os Caminhos Nunca Acabam por João Aniceto
Recomendação do Júri : A Vocação do Círculo por Daniel Tércio
1987 Vencedor : Universal, Limitada por Isabel Cristina Pires
1989 Vencedor : A Espinha Dorsal da Memória por Bráulio Tavares
1991 Vencedor : O Futuro à Janela por Luís Filipe Silva
Recomendação do Júri : O Limite de Rudzky por António de Macedo
1993 Vencedor : Beduínos a Gasóleo por João Botelho da Silva
1997 Vencedor : EuroNovela por Miguel Vale de Almeida
Recomendação do Júri : Eu, Clone Precedido de Estilhaços do Futuro por João Seixas
1999 Vencedor : Quatro Andamentos por Luís Richheimer de Sequeira
Recomendação do Júri : A Diferença da Máquina por Daniel Malagum

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sousa, Eduarda (15 de dezembro de 2008). «O grande sono da ficção científica». Público 
  2. «Prémio Editorial Caminho de Ficção Científica». Ficção Científica e Fantástico em Portugal. Consultado em 13 de abril de 2016