Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Previ)
Previ
Razão social Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil
Fundo de pensão
Atividade Previdência privada
Fundação 16 de abril de 1904 (117 anos)
Sede Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro,  Brasil
Presidente Daniel Andre Stieler
Ativos R$ 237,07 bilhões[1]
Website oficial previ.com.br

A Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (PREVI) é um fundo de pensão brasileiro que gerencia a previdência complementar dos funcionários do Banco do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

O fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, que é hoje o maior fundo de previdência da América Latina, foi fundado em 16 de abril de 1904, sob o nome de Caixa Montepio dos Funccionários do Banco da República do Brazil, antes mesmo da seguridade social estatal no Brasil.[2] Sua sede localiza-se no bairro de Botafogo, Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro.

A PREVI é uma entidade fechada de previdência privada, de gestão compartilhada, cuja direção é escolhida 50% pelo Banco do Brasil e 50% por meio de voto direto de seus participantes (funcionários da ativa e aposentados)[3], sejam funcionários do Banco do Brasil ou empregados do quadro próprio da PREVI. A Instituição trabalha para garantir a esses participantes benefícios previdenciários complementares aos da Previdência Oficial, de forma a contribuir para a qualidade de vida desses participantes e seus dependentes, tendo como função complementar o benefício do INSS dos funcionários aposentados da empresa e pensionistas.[1]

Em setembro de 2009 o total de recursos investidos pela Previ atingia a soma de 135,5 bilhões de reais.[4]

Maior fundo de pensão do país e com uma das maiores carteiras de renda variável do setor, de quase 50% do total sob gestão, com meta de 10,2% em 2020. O fundo possuía 430 mil participantes em 2021, com um total de R$ 220 bilhões sob sua gestão.[5]

Gestão e Investimentos[editar | editar código-fonte]

A gestão compartilhada (entre o Banco do Brasil e os participantes do planos) da Previ é feita por três níveis de governança corporativa [2]: Conselho Deliberativo, Diretoria Executiva e Conselho Fiscal.

O Conselho Deliberativo é composto por seis membros titulares, sendo três eleitos pelos participantes e três indicados pelo Banco do Brasil. O Conselho Fiscal é formado por quatro membros efetivos e seus suplentes, dos quais dois são eleitos pelo Corpo Social e dois são indicados pelo Banco do Brasil.

A gestão e fiscalização da PREVI é dividida entre Conselho Deliberativo, Diretoria Executiva e Conselho Fiscal. A Diretoria Executiva é composta de seis membros: presidente, diretor de Administração, de Investimentos, de Seguridade, de Participações e de Planejamento.

Para permitir a não-funcionários participar de investimentos semelhantes aos rentáveis investimentos feitos pela Previ, foi criada a Brasilprev Seguros e Previdência S.A.,[3] que é uma empresa de previdência complementar, resultado da associação entre o Banco do Brasil, o Principal Financial Group e o Sebrae, onde qualquer pessoa pode criar seu próprio plano de previdência.

Fundos de investimento administrados pela PREVI[editar | editar código-fonte]

A Previ administra uma grande quantidade de fundos de investimento. Dentre eles, destacam-se os fundos Litel e Litela que, juntos, detêm 58,1% das ações da Valepar S.A., que é a empresa detentora do controle acionário da Vale.

Por gerir imenso volume de dinheiro dos seus associados, a Previ é considerada um dos maiores investidores do Brasil, tendo tido destacado papel durante as privatizações. Hoje, é importante acionista de grandes empresas como a Companhia Siderúrgica Nacional, Embraer e era a maior acionista da Perdigão, agora transformada em BRF, após sua fusão com a Sadia. A Previ passou a deter 13,65% do capital da nova empresa.

Além de grandes empresas, que detém as maiores posições em sua carteira de ações, a Previ estruturou, em 2020, uma carteira de R$ 630 milhões que se voltou exclusivamente para os novos nomes que têm vindo à Bolsa, tendo participado das ofertas iniciais de ações (IPO) de Rede D´Or, Petz, Quero-Quero e Grupo Mateus, além do follow-on da Rumo.[5]

Referências[editar | editar código-fonte]

PREVI>>Investimentos>>Governança Corporativa

Quem Somos. Previ Instucional.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]