Rafael Bittencourt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rafael Bittencourt
Hellfest, em 2014
Informação geral
Nome completo Rafael de Paula Souza Neto
Nascimento 22 de outubro de 1971 (49 anos)
Local de nascimento São Paulo,SP
 Brasil
Gênero(s) power metal,heavy metal
Ocupação(ões) guitarrista
Instrumento(s) guitarra
Período em atividade 1986 - atualmente
Outras ocupações professor, coach de bandas, palestrante, influenciador em mídias sociais, cantor, arranjador, produtor musical e empresário
Afiliação(ões) Angra
Bittencourt Project
Página oficial www.rafaelbittencourt.com

Rafael Bittencourt (São Paulo, 22 de Outubro de 1971)[1] um músico brasileiro, conhecido pelo seu trabalho como guitarrista da banda de power metal Angra, da qual é fundador e único membro ativo em todas as formações.

Em sua carreira, vendeu mais de 5 milhões de álbuns, em uma discografia de 24 títulos lançados mundialmente, incluindo singles, CDs, EPs e DVDs.[2]

É Bacharel em Composição Musical e Regência. Também atua como professor, coach de bandas, palestrante, influenciador em mídias sociais, cantor, arranjador, produtor musical e empresário.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua educação musical aos sete anos, motivado por seus pais, tendo aulas de flauta e piano. Aos 12 anos, quando viu pela primeira vez Angus Young tocando guitarra em um clip do AC/DC. Aquele tipo de atitude e aquele som o impulsionaram a aprender guitarra, comprou um violão e começou a ter aulas. Como muitos garotos de sua idade, aprender no violão as músicas da cultura popular brasileira foi seu primeiro passo. Neste momento ele teve contato com os acordes jazzísticos da Bossa Nova e seus ritmos típicos. Porém, os poderosos acordes da guitarra ainda eram um mistério que continuava a seduzi-lo.[1]

Iniciou a guitarra elétrica aos 14 anos e, um ano depois, formou sua primeira banda chamada "Lixo Atômico"[carece de fontes?] que, movida pelo movimento punk, tocava covers de Ratos do Porão, Garotos Podres, Cólera e Camisa de Vênus. Continuou estudando e alimentando sua fascinação por bandas de rock durante os anos oitenta. Foi nessa época o primeiro show de metal, com sua antiga banda "Detroit", num festival em Pindamonhangaba.[1]

Em 1988, foi viver nos Estados Unidos, continuando a ter aulas de guitarra tocando em uma big band de jazz onde recebeu o prêmio Louis Armstrong. Juntou-se a um coral, tomou parte em diferentes atividades de dramaturgia, tocou tuba em duas orquestras e ganhou muita experiência decidindo-se finalmente por ser um músico profissional.[1]

De volta ao Brasil, ingressou à Faculdade de Artes Santa Marcelina para o estudo de Composição e Regência, onde se graduou em 1996. Lá, o Angra foi formado em 1991, pelo vocalista, tecladista e multi-instrumentista Andre Matos e os guitarristas Rafael Bittencourt e André Linhares.[3][4][5] Antes, Rafael Bittencourt fazia parte da banda Spitfire.[carece de fontes?] O primeiro show da banda foi dia 17 de abril de 1993 no Black Jack, em São Paulo.[6]

Compôs aos 17 anos músicas que constam na primeira demo-tape do Angra, como Reaching Horizons, que garantiu ao Angra um contrato com a gravadora japonesa JVC. Criou o conceito original do Angra com sua visão transformadora e interesse em anjos. O primeiro álbum do grupo, Angels Cry, repleto de composições e conceitos criados por Rafael, alcançou disco de ouro no Japão e até hoje é um grande sucesso em todo o mundo com mais de um milhão de discos vendidos.

Com a banda, se apresentou nos festivais Monsters of Rock, Rock Machine, Wacken Open Air, Festival Pop Rock e em duas edições do Rock in Rio (2011 e 2015).[6]

Apenas o guitarrista Rafael Bittencourt foi o único integrante a tocar em todos os álbuns da banda.[carece de fontes?]

Além do Angra, Rafael criou o Bittencourt Project, explorando muitos outros estilos e sonoridades além do heavy-metal.

Em 2008, lança o álbum "Brainworms I", onde o guitarrista vira cantor e faz um som mais direto e diversificado do que o que se podia esperar, misturando elementos do rock, do metal e até do pop.[carece de fontes?]

Em 2016, é gravado no Café Piu-Piu, em São Paulo o primeiro DVD deste projeto, chamado "Brainworms Live in Brazil", que teve as participações de Alirio Netto, Marcello Pompeu, Michel Leme, Fabio Zaganin, Ricardo Confessori, Edu Ardanuy, Bruno Valverde e Felipe Andreoli.[carece de fontes?]

Em 2020, participa de um show da cantora Tarja Turunen em Praga, na República Checa, que irá para um DVD da artista.[carece de fontes?]

Em 28 de maio de 2021, lança a música "Dar as Mãos", com a participação de diversos artistas, como Carlinhos Brown, MC Guimê, Toni Garrido e Família Lima.[7][8]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Angra[editar | editar código-fonte]

Bittencourt Project[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d «Revista Guitar Player». www.guitarplayer.com.br. Consultado em 15 de abril de 2021 
  2. «História – Rafael Bittencourt». Consultado em 15 de abril de 2021 
  3. «Andre Matos misturou metal e erudito e quase entrou no Iron Maiden». entretenimento.uol.com.br. Consultado em 15 de abril de 2021 
  4. «Cultura Brasil - Estúdio F - Angra». cmais+. Consultado em 15 de abril de 2021 
  5. «ANDRÉ MATOS - Between My Life and Death - Relembrando sua Trajetória - Rock Press». www.portalrockpress.com.br. Consultado em 15 de abril de 2021 
  6. a b «Angra». rockdigital. Consultado em 15 de abril de 2021 
  7. «Rafael Bittencourt, da banda Angra, lança música de incentivo à união». R7.com. 28 de maio de 2021. Consultado em 18 de outubro de 2021 
  8. Ernani, Felipe (23 de junho de 2021). «Ao TMDQA!, Rafael Bittencourt (Angra) detalha parceria com MC Guimê e mais no projeto "Dar as Mãos"». Tenho Mais Discos Que Amigos!. Consultado em 18 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]