Raul Rêgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2014)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Raul Rego.

Raul de Assunção Pimenta Rego GCSEGOL (Macedo de Cavaleiros, Morais, 15 de Abril de 1913Lisboa, 1 de Fevereiro de 2002) foi um jornalista e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Manuel José Rego e de Vitória da Purificação Pimenta Rego. De 1924 a 1936 frequentou o Seminário das Missões do Espírito Santo, em Viana do Castelo, tendo concluído o curso de Teologia. Acabou, no entanto, por abandonar a carreira eclesiástica, tendo-se mesmo tornado anticlerical.

Foi membro do Movimento de Unidade Democrática, o que o levou à prisão em 1945. Dirigiu os serviços de imprensa das candidaturas presidenciais dos generais Norton de Matos (1949) e Humberto Delgado (1958). Foi também preso em 1961, em 1965 e 1968 pelo «exercício de actividades contra a segurança do Estado», segundo a sua ficha na PIDE.

Enquanto jornalista, colaborou na Seara Nova, no Jornal do Comércio, no Diário de Lisboa e no República, do qual se tornaria director em 1971. Após o encerramento deste em 1976 fundou A Luta. Em 1974 tornou-se ministro da Comunicação Social do primeiro Governo Provisório. De 1975 a 1999 foi deputado pelo Partido Socialista, primeiro da Assembleia Constituinte e depois na Assembleia da República da I (1976) à VII (1999) legislatura. Também foi Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano de 1988 a 1990.[1] Raul Rego foi o primeiro Presidente da Assembleia Municipal de Lisboa, eleito nas listas do PS nas primeiras eleições locais democráticas após o 25 de Abril, realizadas em 12 de dezembro de 1976.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Horizontes fechados: Páginas de Política. Lisboa: Editorial Inquérito, 1969.
  • Diário Político. Lisboa: Edição de Autor, 1969.
  • O Caso do Bispo do Porto. Lisboa: Editorial República, 1973.
  • Diário Político. Lisboa: Arcádia, 1974.
  • Violência inútil. Lisboa: Dom Quixote, 1975.
  • O Último Regimento e o Regimento da Economia da Inquisição de Goa. Lisboa: Biblioteca Nacional, 1983.
  • História da República. Lisboa: Círculo de Leitores, 1986–88.
  • Para um Diálogo com o Senhor Cardeal Patriarca. Lisboa: Europress, 1989.
  • O Processo de Damião Goes na Inquisição. Lisboa: Assírio & Alvim, 2007.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 1976, o Congresso da Federação Internacional dos Editores de Jornais distinguiu-o com a Pena de Ouro da Liberdade.

Foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem da Liberdade, a 30 de junho de 1980, e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada a 2 de outubro de 1998.[2]

No dia 15 de abril de 2013 foi homenageado na Biblioteca Nacional de Portugal pelo centenário do seu nascimento.

A Câmara Municipal de Lisboa prestou-lhe a sua homenagem ao atribuir o seu nome a uma rua na freguesia da Charneca, no Alto do Lumiar, cuja inauguração se fez no dia 3 de maio de 2005, Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • FOYOS, Pedro. O Combatente.
  • PEREIRA, Teresa Sancha. Raúl Rego: 1913-2002: Jornalista. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, Comissão de Toponímia, 2005.
  • RÊGO, Raul; MASCARENHAS, João Mário (ed. lit.). Raúl Rêgo: O Combatente da Liberdade. Lisboa: Câmara Municipal - Biblioteca Museu República e Resistência, 2002. ISBN 972-8695-07-1
  • Santos, Natália Sofia Neves dos (2014). Raul Rêgo: O Jornalista e o Político. Tese de mestrado apresentada em Coimbra, em 2007, sob a orientação do Prof. Doutor Luís Reis Torgal. Macedo de Cavaleiros: Poética Edições. ISBN 978-989-98509-4-1 
  • SARAIVA, José Hermano (coord.). «Raúl Rego» in História de Portugal: Dicionário de Personalidades. Lisboa: QuidNovi, 2004.

Referências

  1. «Grão-Mestres do GOL – 1803 – 2011». Consultado em 9 de Outubro de 2015 
  2. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Raúl d'Assunção Pimenta Rego". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 10 de junho de 2014 
  3. Comissão Municipal de Toponímia, Toponimia lx Raul Rego, Março 2015.
Precedido por
José Eduardo Simões Coimbra
Grão-Mestre do Grande Oriente Lusitano
1988 – 1990
Sucedido por
Ramón Machado de La Féria
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.