Renato Teixeira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Renato Teixeira
Renato Teixeira em 2009.
Informação geral
Nascimento 20 de maio de 1945 (72 anos)
Origem Santos, São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Música Regional, MPB, folk
Instrumento(s) Vocais, violão, viola caipira

Renato Teixeira de Oliveira (Santos, 20 de maio de 1945) é um compositor e cantor brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Teixeira é autor de conhecidas canções, como "Romaria" (grande sucesso na gravação de Elis Regina, em 1977), "Tocando em Frente" (em parceria com Almir Sater, gravada também por Maria Bethânia), "Dadá Maria" (em dueto com Gal Costa), "Frete" (tema de abertura do seriado Carga Pesada, da Rede Globo, além de "Amanheceu", também criou, junto com Sérgio Mineiro e Sérgio Campanelli o jingle "Balas de leite Kids", entre outros.

Em 1990, apresentou o programa Tom Brasileiro na Rede Record, no qual, além de cantar, apresentava artistas que valorizavam a música nacional.

Recentemente, Renato Teixeira compôs a música "Rapaz caipira", como crítica à atual música sertaneja de consumo, fazendo renascer a expressão "música caipira". É um defensor aberto da música de raiz, caipira, que ainda sobrevive apesar dos desvios da música sertaneja. Em 2010 gravou Amizade Sincera em parceria com seu amigo de longa data e outro bastião do gênero caipira, Sérgio Reis. Também compôs uma canção com Victor Chaves, da dupla Victor & Leo.[1]

Em dezembro de 2015, Renato Teixeira e Almir Sater lançaram o álbum AR nas plataformas digitais.[2] Apesar de parceiros musicais e amigos de longa data, foi a primeira vez que os artistas realizam um projeto juntos. Gravado entre o Brasil e Nashville, Estados Unidos, com produção do norte-americano Eric Silver, o álbum traz 10 músicas inéditas compostas pela dupla.[3] Os artistas navegam pelas vertentes do country ao folk, sem perder sua essência, agregando ao purismo da música caipira e seus ritmos genuínos.[4][5] Por este álbum, Almir e Renato ganharam em 2016 os prêmios de melhor dupla regional na 27.ª edição do Prêmio da Música Brasileira e de Melhor Álbum de Música Regional ou de Raizes Brasileiras no 17.º Grammy Latino.[6][7][8][9] A música do álbum "D de Destino", composta por Almir, Paulo Simões e Renato, foi indicada ao prêmio de Melhor Canção em Língua Portuguesa do Grammy.[10][11]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1969 - Maranhão e Renato Teixeira
  • 1971 - Álbum de Família
  • 1973 - Paisagem
  • 1977 - Romaria
  • 1979 - Amora
  • 1980 - Garapa
  • 1981 - Uma Doce Canção
  • 1982 - Um Brasileiro Errante
  • 1984 - Azul
  • 1985 - Terra Tão Querida
  • 1986 - Renato Teixeira
  • 1990 - Amizade Sincera
  • 1992 - Ao Vivo em Tatuí (com Pena Branca & Xavantinho)
  • 1995 - Aguaraterra (com Xangai)
  • 1996 - Sonhos Guaranis
  • 1997 - Um Poeta e Um Violão
  • 1998 - Ao Vivo no Rio
  • 2000 - Alvorada Brasileira (com Natan Marques)
  • 2000 - O Novo Amanhecer (com Zé Geraldo)
  • 2002 - Cantoria Brasileira
  • 2003 - Cirandas, Folias e Cantigas do Povo Brasileiro
  • 2004 - Renato Teixeira e Rolando Boldrin
  • 2007 - Ao Vivo No Auditório Ibirapuera
  • 2010 - Amizade Sincera (com Sérgio Reis)
  • 2015 - Amizade Sincera II (com Sérgio Reis)
  • 2016 - AR (com Almir Sater)

Referências

  1. Renato Teixeira e Sérgio Reis unem vozes em apresentação no Palácio das Artes, Estado de Minas
  2. «No "AR" o CD de Almir Sater e Renato Teixeira». Cultura Caipira. 12 de dezembro de 2015. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  3. Letícia Saraiva (9 de fevereiro de 2016). «Renato Teixeira e Almir Sater lançam o álbum "AR"». Portal SUCESSO!. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  4. Julio Maria (18 de fevereiro de 2016). «Renato Teixeira e Almir Sater fazem folk serrano em novo disco». O Estado de S.Paulo. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  5. Silvio Essinger (26 de janeiro de 2016). «Crítica: O prodígio interiorano de Almir Sater e Renato Teixeira». O Globo. Consultado em 7 de fevereiro de 2016 
  6. «Com o álbum "AR", Almir Sater e Renato Teixeira vencem o Prêmio da Música Brasileira». Trem das Gerais. 20 de setembro de 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  7. «Vencedores 2016». Prêmio da Música Brasileira. 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  8. «Elza Soares, Céu, Martinho da Vila, Almir Sater e Renato Teixeira são premiados no Grammy Latino». O Estado de S.Paulo. 18 de novembro de 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  9. «Grammy Latino premia grandes nomes da música brasileira». O Povo. 18 de novembro de 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  10. Laura Holsback (25 de outubro de 2016). «Músicos de MS são indicados ao prêmio Grammy Latino, em Las Vegas». Correio do Estado. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 
  11. «Final Nominations List 17th Annual Latin GRAMMY Awards» (PDF). Grammy Latino. 2016. Consultado em 7 de fevereiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.